O velho e bom humor

Equipe do Labjor: Wolney Batista e Raynna Benevides, com Oscar Magrini e Thaís Pacholek após a coletiva. Foto: Jaqueline Longatti

Traição e ciúme são alguns dos ingredientes que estão em cena esse fim de semana no Teatro Celina Queiroz, com a comédia “Escola de Mulheres“, clássico do dramaturgo francês Molière. O espetáculo, que já passou por oito cidades, é dirigido por Roberto Lage e traz Oscar Magrini, Thais Pacholek, Flávio Faustinoni, Felipe Lima e  Ana Paula Vieira no elenco.

Poucas horas antes da primeira apresentação em Fortaleza, que aconteceu ontem (27), às 21h, todo o elenco se reuniu para uma rápida e descontraída coletiva. Oscar, que esse ano completa 20 anos de carreira, disse que está lisonjeado em fazer Escola de Mulheres. “Nesses 20 anos, é a primeira vez que faço um clássico do teatro. Estou muito feliz, o público está nos recebendo bem e as críticas são muito favoráveis”. Thaís Pacholek contou que fica surpresa com a reação da platéia. “Em uma mesma cidade, as reações podem ser bem diferentes. Em volta Redonda, por exemplo, a plateia da sexta reagiu diferente da plateia de sábado”.

O texto original de Molière data de 1662; no entanto, já foi várias vezes reescrito. Roberto Lage usou a versão de Millôr Fernandes para compor a peça, que continua atual e hilariante. Oscar defende a readaptação. “O texto original tem 2h e meia; as palavras eram outras. A escrita é uma coisa, a fala é outra, e às vezes a palavra ‘não cabe na boca’. Se fosse falar o autêntico Molière, seria muito difícil.”

 Enredo

Arnolfo, interpretado por Oscar Magrini, é um homem de cerca de 40 anos que só se envolve com mulheres comprometidas por medo de ser traído. Dizendo-se grande entendedor de adultérios, resolve adotar e educar a menina Inês, interpretada por Thais Pacholek, para que ela torne-se sua esposa inocente, honesta, submissa e, claro, que nunca o traia. Mas seus planos começam a dar errado quando Inês, já com 18 anos, se apaixona pelo jovem Horácio (Felipe Lima), filho de seu amigo Oronte, interpretado por Flávio Faustinoni.

A comédia estimula reflexões sobre individualismo, poder, moral, amizade, ciúmes e amor.

Serviço
Escola de Mulheres
Teatro Celina Queiroz (Campus Unifor)
Às 21h (sábado) e às 19h (domingo)
Ingressos: R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia)
Telefone: (85) 3477.3033

Texto de Raynna Benevides

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s