Esqueceu o que ia fazer?

Diferentemente do personagem Dory, do filme Procurando Nemo, que sofre de perda de memória recente, os jovens esquecem por falta de foco. /Foto: ste Fanpop.com

Anda esquecendo pra onde iria? Para quem ia ligar? Você não é o único. Os jovens estão cada vez mais esquecidos, e, na maioria das vezes, não existe doença causando esquecimento, afirma a neurologista e professora da Unifor, Fernanda Maia.

Devido ao intenso fluxo de informação recebido pelo jovem, com uma rapidez também excessiva, o cérebro e os circuitos responsáveis pela manutenção da atenção acabam se sobrecarregando e não conseguem selecionar, de forma adequada, o que é realmente importante.

Diante do bombardeio de informações que se recebe, a memória se compromete. Por isso, é preciso saber distinguir quando se deve focar toda a atenção a um determinado assunto, sem que se permita que agentes externos perturbem e tirem a atenção do que acontece, assim há uma maior probabilidade que se armazene o acontecido na memória por mais tempo.

 

Foto: site Timtim.com

 

Doenças que diminuem a atenção podem também se iniciar com o esquecimento precoce, como a depressão, o hipotireoidismo (diminuição dos hormônios da tireóide), deficiências de vitaminas, distúrbios do sono, dentre outras. O esquecimento, entretanto, não é uma doença, e sim, um sintoma de que está havendo algum obstáculo no armazenamento da informação. “O importante é que, uma vez detectada a perda de memória recorrente, a pessoa deve ser submetida a uma avaliação médica que permita o diagnóstico e tratamento de uma possível doença de base”, afirma a neurologista Fernanda Maia.

Quando há uma doença como Déficit de Atenção ou Hiperatividade, em que há uma redução da atenção no jovem, há uma deficiência na quantidade de serotonina (hormônio do bem-estar) distribuída no cérebro.

Segundo Fernanda, o esquecimento é reversível, a depender do que está causando o problema. Quando se fala especificamente dos jovens, em que há dificuldade de concentração, muitas vezes, apenas medidas comportamentais, como exercícios que treinem a concentração, como sudoku e palavras cruzadas já podem ajudar.

Medidas alternativas como evitar a poluição sonora e visual, estabelecer horários fixos para estudos, regularidade nos horários de dormir, boa alimentação e prática de exercícios físicos regulares podem melhorar o funcionamento das estruturas responsáveis pela manutenção da atenção e, consequentemente, da memória.

 Texto de Lia Girão

5 comentários em “Esqueceu o que ia fazer?

  1. Lia,

    antes de eu identificar que tinha hipotireoidismo, sempre esquecia das coisas. Esse é realmente um dos sintomas, assim como depressão, intestino preso, cabelos fracos etc.
    No site mulhersemfalta.com.br eles mostram todos esses sintomas do hipotireoidismo.
    E parabéns pelo texto, bem legal.

  2. Realmente, quase todo mundo já passou pelo problema de ir fazer alguma coisa e eu ao chegar no local se perguntar “O que eu vim fazer mesmo?”. Mas atualmentem em dias com um ritmo de vida acelerado nos quais nos encontramos sobrecarregados tanto com o nosso trabalho quanto com a nossa familia isso é até compreensivo, mas esse tipo de coisa se torna um inferna na vida de uma pessoa quando este problema passa a ser constante. É como se naquele exato momento em que a situação exige a sua atenção o seu cérebro disesse eu vou tomar um café e ja volto, e após a pessoa acabar de falar, minutos depois você se pergunta mas o que foi que ela disse mesmo “Isto é claro quando você se lembra que aquela pessoa te disse alguma coisa.”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s