Carro de Fórmula 1 chama atenção de alunos

Um carro de Fórmula 1 pesa mais de 600kg, na primeira marcha atinge aproximadamente 156 Km/h e em menos de 15 segundos pode chegar a dobrar essa velocidade. Esta máquina que foi criada para correr, mesmo parada, ainda atrai curiosos. Um pátio onde antes tinha mesas e cadeiras, agora abriga um F1 R28 usado por Nelsinho Piquet e o bicampeão Fernando Alonso. O Renault chama a atenção de estudantes que passam apressados e dos fãs de automobilismo. Essa cena inusitada está ocorrendo desde o começo da semana no hall do Bloco D, da Universidade de Fortaleza (Unifor).

Eduardo Buchholz, amante do automobilismo/Foto: Thalyta Martins

Eduardo Buchholz, estudante de Jornalismo, é um apaixonado por automobilismo. Em entrevista para o Blog, o estagiário do Caderno Jogada do Jornal Diário do Nordeste, conta como começou esse interesse pelo esporte.

“Apesar de novo, eu acompanho Fórmula 1 desde pequeno, quando o Ayrton Senna era aquela paixão nacional. Naquela época, ele significou pro Brasil mais que qualquer coisa. As pessoas não assistiam à corrida, assistiam ao Senna. Era como uma Copa do Mundo que acontecia a cada duas semanas. Desde então, eu acompanho tudo, gravo e vou a corridas. Automobilismo é o meu esporte favorito”.

Segundo Eduardo, há muitas dificuldades em escrever sobre o esporte. Ele explica que o brasileiro, de forma geral, perdeu o interesse por Fórmula 1 quando a paixão foi interrompida de maneira trágica com a morte de Ayrton Senna. Outro motivo seria pela linguagem própria do esporte. “Quem acompanha o automobilismo consegue falar um termo que explica tudo e quando você vai passar para o impresso, você tem que detalhar cada coisa”.

O jornalista em formação, que já praticou kart amador e hoje participa de ralis com o pai, conta que já tinha visto um carro de corrida de perto e que, desde de 2007, viaja para assistir ao Grande Prêmio Brasil de Fórmula 1, em Interlagos, São Paulo. Sobre o projeto da Renault, ele acredita que o evento aproxima as pessoas da realidade. “Tem gente que assiste as corridas pela televisão e não tem noção do tamanho do carro ou não assiste mas vai lá e tira uma foto com o carro. É uma divulgação muito bacana do esporte”.

Diferente de Eduardo, algumas pessoas não demonstraram tanto interesse pelo F1, como é o caso da estudante de Psicologia, Catarina Freitas. “Na verdade, eu nem liguei muito porque não gosto e não assisto corridas”.

Projeto Renault

O Renault Experience, que está pela primeira vez no Ceará, traz aos alunos da Universidade de Fortaleza a oportunidade de conhecer os processos de desenvolvimento de um carro desde a sua concepção até a venda. O diretor do Centro de Ciências Tecnológicas, Almeida Júnior, comenta que as palestras realizadas agregam valor aos estudantes tanto das áreas Tecnológicas e Administrativas como das áreas de Humanas. Ainda haverão workshops de Eletrônica Embarcada e Meio Ambiente até quinta-feira.

Texto de Juliano de Medeiros e Renata Monte
(julianomteixeira@hotmail.com)
(renatamonte_@hotmail.com)

Orientação: Profa. Adriana Santiago

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s