Eleições diretas para o DCE marcadas para outubro

Depois de grandes desentendimentos no início do mês entre Diretório Central dos Estudantes (DCE) e os dirigentes estudantis de base, chegou-se ao acordo que prevê as  eleições diretas para o final do mês de outubro deste ano. Segundo Tiago Torquato, dirigente do Centro Acadêmico (C.A.) de Administração, na semana passada  aconteceram duas reuniões entre Reitoria da Unifor, representantes das entidades e da segurança onde a situação foi discutida. Na ocasião, foi acordado que o grupo do Conselho Gestor, mesmo contra as decisões do Conselho de Entidades de Base (CEB), continuará gerindo a diretoria até que sejam feitas as eleições. Para o gestor atual do DCE, Muniz Júnior, as entidades têm que regularizar a filiação ao CEB para serem reconhecidas e poderem participar do processo de escolha do novo representante do diretório. A grande novidade é que ambos os lados estão de acordo com as eleições.

Foto: Tiago Torquato

Essa reunião foi fruto de uma manifestação que reuniu dezenas de estudantes no Centro de Convivência, com o principal motivo de convocar eleições diretas no último dia 13/09 (terça-feira), por volta das 18 horas.  Os manifestantes partiram em passeata até o DCE, provocando o lacre da entidade pela segurança da Unifor, comandados pelo chefe Coronel Caracas, poucos dias antes da calourada que aconteceu no estacionameto da instituição. Os membros do CEB com megafones, aos gritos de respeito aos estudantes e à democracia, expressaram o sentimento de insatisfação com o Conselho Gestor e seguiram até o Diretório Central, requerendo a sua destituição. Os participantes do movimento e representantes do Conselho Gestor, concentrados no DCE, partiram para troca de acusações em busca de esclarecimentos até a intervenção dos agentes de segurança.

Entenda o caso

Segundo Torquato, o CEB, com o apoio de grande parte dos alunos, exige a saída do atual Conselho Gestor do DCE, pois não o reconhece como representante da comunidade acadêmica. Muniz Júnior, por sua vez, afirma que as entidades não estão oficialmente filiadas ao CEB e não podem fazer tais exigências. Os manifestantes dizem que os atuais gestores do DCE estão no comando da entidade desde o início do ano sem passar por qualquer votação dos alunos e, principalmente, por um processo legal de eleição direta, onde os estudantes possam, de fato, escolher os seus representantes frente ao Diretório Central.

Uma carta aberta distribuída por 11 Centros Acadêmicos(CAs) e o Diretório Acadêmico (DA) de Jornalismo e Publicidade denuncia que o atual Conselho Gestor foi referendando pelo presidente anterior do DCE, David Duarte, no final de 2010 sem qualquer aprovação do CEB ou assembléia de estudantes, instâncias previstas no estatuto do DCE como maiores do que a própria diretoria. Este Conselho Gestor deveria fazer uma eleição direta para a nova diretoria da entidade, porém, conforme os demais dirigentes estudantis denunciam, realizou uma manobra durante as férias e fez à guiza de eleição, um processo esvaziado e questionado para manter o mesmo grupo no comando. Desde maio, os CAs e DA tentavam uma retomada legal da entidade, pois não reconhecem a legitimidade do Conselho Gestor.

Texto: Suewellyn Casemiro e Gizela Farias
(gizelafarias@gmail.com)

Orientação: Profa. Adriana Santiago

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s