“Quem não gosta de samba é ruim da cabeça.. ou doente do pé”

O Pré-Carnaval de Rua de Fortaleza é uma manifestação tradicional que mobiliza foliões por meio dos blocos e brincadeiras espontâneas, fortalecendo as raízes culturais e estimulando a criação artística do fortalezense. Mais do que apenas festa, brilho e cor, os blocos se tornaram instrumentos de expressão social e política, indo além de simples manifestação cultural, e sendo compreendidos como objetos de estudos para se entender o que as pessoas pensam sobre elas mesmas e sobre a sociedade em que vivem.

Ao se reunirem e saírem pelas ruas caracterizados e cantando as tradicionais marchinhas carnavalescas, nós estamos resgatando os antigos carnavais. Esse é o principal objetivo das pessoas que frequentam os blocos de Pré-Carnaval. Atualmente, os jovens fortalezenses foram seduzidos e prestigiam cada vez mais o evento. A cena não se repete quando o carnaval propriamente dito chega, pois criou-se o hábito de carnavais na praia com hits de axé e o “mela-mela”.

Fortaleza tem hoje cerca de 80 blocos de Pré-Carnaval espalhados por diferentes bairros e praças da Cidade. O movimento geralmente acontece nos quatro finais de semana que antecedem o carnaval e os ritmistas ensaiam durante o decorrer do ano para garantir a diversão dos foliões.

Destaque

Entre tantas opções, alguns blocos acabam se destacando. O Unidos das Cachorras virou referência entre os jovens e é um exemplo de animação. O bloco foi fundado no ano de 1997 por um grupo de amigos que tinha o samba como uma paixão em comum. A ideia do nome surgiu da rua onde eles costumavam se reunir, a Rua da Cachorra Magra, atua Marechal Deodoro.

Dez anos depois, o Grêmio Recreativo Bloco Carnavalesco Unidos da Cachorra começou a realizar seus cortejos na Praia de Iracema como forma de protesto para revitalização do tradicional e boêmio bairro de Fortaleza. Atualmente a bateria de ritmistas já conta com mais de 100 integrantes, tornando-se uma referência no cenário musical da Cidade.

O Baqueta Clube de Ritmistas também se destaca pela animação. Ele foi criado pela iniciativa do seu atual diretor, Carlos Henrique, mais conhecido como Carlinhos. O fundador nasceu em Niterói (RJ), mas sempre viveu em terras cearenses. Ele não deixou sua cultural original e essa paixão pelo ritmo da percussão originou o bloco.

Mais recente, o Baqueta foi criado em 2007. A bateria foi inspirada no tradicional projeto Tamborim Sensação do Rio de Janeiro e fundamentado pela metodologia “O Passo”, utilizada em escolas e oficinas de percussão no Brasil e no exterior. Foi misturando a alegria própria dos sambistas com o som de instrumentos como o tamborim, o repique, o surdo, o chocalho, o agogô, a cuíca e a caixa de guerra que, hoje, o Baqueta reuniu mais de 100 alunos, entre ritmistas, monitores voluntários e parcerias com escolas de samba do Rio de Janeiro, como Portela, Unidos da Tijuca e Salgueiro.

O repertório inclui clássicos do samba, sambas-enredos de escolas campeãs do carnaval carioca e músicas adaptadas para o ritmo de escola da samba, passeando de Chico Buarque a Jorge Benjor, Gonzaguinha e Maria Rita. E é assim que o Baqueta agita multidões em festas particulares e nos Pré-Carnavais de Fortaleza.

Para a estudante de estilismo em moda Vanessa Carneiro, o Pré-Carnaval já é uma tradição, por isso prefere frequentar os blocos mais antigos. “É um tipo de folia que lembra como eram os carnavais antigamente. Além de ser muito bem organizado, as pessoas que frequentam, geralmente, são famílias, ou seja, praticamente não há confusões”. Segundo a estudante, os melhores dias para ir são os últimos finais da semana. “Costumo ir aos dois últimos sábados quando já está bem lotado. Assim posso rever todo mundo e matar a saudade”.

Já a aluna de direito Talita Dutra, para se divertir considera o bloco “Unidos da Cachorra” o melhor. “Durante o Pré-Carnaval costumo ir umas três vezes para a folia e frequento o bloco Unidos da Cachorra, pois é o mais frequentado pelos meus amigos”.

Apoio da Secultfor

O Pré-Carnaval em Fortaleza conta, desde 2005, com o apoio da Secretaria de Cultura de Fortaleza (Secultfor), mas foi apenas em 2007 que a Prefeitura passou a apoiar a festa com um investimento financeiro, que naquele ano foi de R$ 247, 5 mil a 45 blocos selecionados. Segundo dados da Secultfor, de 2008 a 2011 o valor destinado para os blocos subiu para R$ 300 mil, premiando 50 blocos.

Já para 2012, 60 agremiações serão contempladas. A previsão é de que cada uma receba o valor de R$ 6 mil, totalizando R$ 360 mil. De acordo com a Secultfor, foram selecionados projetos que reúnem grupos de brincantes realizadores de cortejos pelas ruas ou praças de Fortaleza, fantasiados ou não, que desfilem ao ritmo de samba, frevo ou marchinhas carnavalescas e utilizem instrumentos de sopros, metais ou percussão.

Para participar do Edital, os blocos têm que ter como local de concentração e desfile espaços públicos como praças, parques, ruas ou avenidas; ter desfilado, no mínimo, dois dias no pré-carnaval de Fortaleza em anos anteriores; ter um público superior a 200 pessoas em cada edição; utilizar banda de sopros e metais, charanga e/ou bateria fundamentada em ritmos de raiz.

Texto: Jacqueline Nóbrega e Suzane Saldanha
Orientação: Profas. Adriana Santiago e Joana Dutra 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s