Turismo sem sair de casa

Foto: Divulgação

Andar pelas ruas de Paris, conhecer o interior das pirâmides do Egito, museus ou qualquer outro lugar do mundo através de guias turísticos virtuais. Segundo o professor de computação gráfica da Unifor, Júlio Militão, a riqueza de detalhes é impressionante, os aplicativos exploram lugares a partir dos ângulos preferidos pelo usuário. As imagens de satélites e fotos panorâmicas em 360 graus proporcionam passeios bem realistas.

Para Militão, os recursos multimídia fornecem boas ferramentas que tornam próximas à realidade. Os aplicativos de satélite Google Street View e Google Earth (Permitem explorar países, ruas ou qualquer local) e algumas ferramentas como, Paris 26 Gigapixels, 360 Cites (composições fotográficas em alta resolução). Comenta ainda que é necessário ter um navegador atualizado e uma conexão em alta velocidade com a internet. Caso contrário a experiência não é interessante.

Acesse o site: http://migre.me/9yDpg

Para fazer o tour virtual via satélite basta usar as ferramentas destinadas. Quem já experimentou o google maps, os outros aplicativos são similares. O professor de computação explica que a viagem on line é uma reconstituição tridimensional do local. Depois do roteiro de viagem definido as imagens aparecem automaticamente na tela com indicação dos sentidos das ruas e orientações geográficas.

Usuários que preferem apreciar detalhes por exemplo, visitar museus ou mesmo bibliotecas devem optar pelos aplicativos de fotos panorâmicas de 360graus. Os comandos direcionais são básicos, o usuário clica em algum ponto da imagem, pode arrastá-la no eixo horizontal e vertical ou ainda aproximar a imagem (zoom In) e afastar (zoom Out), diz Militão.

 Como funcionam os aplicativos

Foto: Divulgação

Militão diz que os aplicativos responsáveis pelo tour através de satélite funcionam devido às camadas de informações (Layers) que traduzem as imagens capturadas. Cada camada pode ser do tipo Vetorial (produzidas em programas especiais que mostram a como são os prédios(imagem acima) ou Matricial (contém a imagem de satélite do lugar desejado). Todas as camadas são geo referenciadas (contém latitude e longitude),comenta o professor.

As fotografias gigapixels (permitem a visualização de detalhes à grande distância e com alta definição). Segundo o professor, são mapeadas várias fotos de diferentes resoluções para permitir um zoom sem perda de qualidade. Ao ampliar uma imagem o usuário passa a ver uma outra imagem em uma melhor resolução. Isso funciona através de uma estrutura de dados em árvore que armazena as diversas fotos em diferentes resoluções do mesmo local, explica Militão.

Texto: Gizela Farias
Orientação: Profa. Adriana Santiago

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s