[Série] Próxima parada: Terminal Marítimo de Fortaleza

Matéria produzida pelos alunos da oficina de jornalismo 2012.1

Navio de Contêiner Atracado no Cais Comercial. Foto: Divulgação

Um novo terminal marítimo de passageiros está para atracar. Ou melhor, está para ser construído. Administrado pela Companhia Docas do Ceará, as obras foram iniciadas, com atraso, no dia 02 de março deste ano, logo após a assinatura da Ordem de Serviço pelo Ministro dos Portos Leônidas Cristino, e tem previsão de conclusão para dezembro de 2013. O orçamento total é de R$ 149 milhões oriundos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) Copa. Com essa precisão estima-se que o equipamento estará em pleno funcionamento para a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014.

Segundo a assessora de Comunicação da Companhia Docas do Ceará, Nathalia Sá, a obra contempla a construção de uma nova Estação de Passageiros com infraestrutura semelhante aos terminais de aeroportos, com espaço para check-in e check-out, com restaurante, Correios, Polícia Federal, ANVISA, Receita Federal, lojas de conveniências etc. Além de um novo cais de atracação com 350 metros de extensão e 13 metros de profundidade, preferencial para navios de pasageiros, uma vez que nos períodos de baixa estação o cais receberá outros tipos de navios. Também uma retroárea com 40 mil m², que atuará como pátio para armazenagem de contêineres, configurando o equipamento como um Terminal de Múltiplo Uso.

Atualmente 95% das transações comerciais com outros países são feitas por via marítima. No ano passado, os portos brasileiros movimentaram 886 milhões de toneladas de mercadorias. Considerada uma das obras principais para a Copa de 2014, a expectativa é que o porto seja um dos mais modernos de todo o país, ocupando uma área de 5 hectares no total, segundo planos da Companhia Docas do Ceará.

Além disso, o novo empreendimento irá fomentar o desenvolvimento do turismo do Estado do Ceará, movimentando ainda mais a economia, e interferindo consideravelmente e positivamente na relação porto x cidade. O Ministro dos Portos, Leônidas Cristino, destacou essa importância durante a abertura da Conferência Internacional da Balms Group International (BGI), realizada no dia 18 de maio em Fortaleza. Segundo o Ministro, a SEP (Secretaria de Portos da Presidência da República) está trabalhando intensamente para que o setor aquaviário salte dos atuais 14% para 30% de participação na matriz de transporte no país. A meta é intensificar o crescimento a partir do Plano Nacional de Logística Portuária (PNLP), tornando o desempenho dos portos brasileiros entre os dez mais importantes do mundo até o ano de 2025.

Pouca estrutura, muita expectativa

Com mais de meio século de atividade, o Porto do Fortaleza, também conhecido como Porto do Mucuripe, é um dos terminais marítimos mais importantes do País. Sua localização o mantém em proximidade com os mercados da América do Norte e Europa, permitindo o atendimento a empresas de navegação com linhas regulares destinadas a portos dos Estados Unidos, Canadá, América Central, Caribe, Europa, África e países do Mercosul, além de itinerários para os demais portos brasileiros através da navegação de cabotagem.

Sua área de influência abrange os estados do Ceará, Piauí, Maranhão, Rio Grande do Norte, Pernambuco e Paraíba, estendendo-se também às regiões Norte, Centro-Oeste e ao Vale do São Francisco. Nele encontra-se um dos maiores pólos trigueiros do país. Cerca de 1500 pessoas trabalham no Porto. Dentre os principais produtos movimentados pelo Porto estão: Castanha de caju, cera de carnaúba, metal, tecidos, frutas, trigo, malte, lubrificantes, combustíveis e derivados de petróleo.

Em contrapartida, o porto é, basicamente de atracação de cargas, administrado e explorado comercialmente. Ele aceita navios de, no máximo, 35 mil toneladas. Em sua estrutura interna, o terminal possui apenas um pequeno salão de embarque e desembarque de passageiros, com banheiros, poucos assentos de espera, sem praças de alimentação e sem quiosques. Há um estacionamento público e volante, além de um posto de táxi. Segundo Joaquim Bento, assessor técnico de Infraestrutura do porto do Mucuripe, atualmente, a estrutura montada para o embarque e desembarque de passageiros durante um cruzeiro marítimo, fica a cargo da operadora de turismo que organiza a viagem.

Após as obras previstas de dragagem, o porto terá capacidade para receber navios mais pesados, de até 70 mil toneladas. Para receber os turistas que virão para Copa, está prevista a construção de uma moderna estação de passageiros. Não será apenas uma reforma, mas, praticamente uma nova construção. De acordo com a Assessoria de Comunicação do Porto, além das obras, os planos preveem a contratação de um novo sistema de segurança, que contará com novos equipamentos de scanners.
As três frentes de serviço do Porto são: O cais de atracação, a estação de passageiros e a retroária. “Estamos atualmente fazendo o aterro hidráulico para iniciar os trabalhos de construção do cais e da estação. Temos 80 homens, mas a obra chegará a 400 trabalhadores. Vamos cumprir o prazo estabelecido pelo Governo Federal, pois estamos em um ritmo adequado”, destaca o Engenheiro Raimundo José.

Obras no vermelho!

Na relação do TCU (Tribunal de Contas da União) apenas as obras em Recife estão dentro do cronograma estipulado. Prevista para começar em fevereiro, a reforma do Porto de Fortaleza teve sua primeira Ordem de Serviço assinada no dia 2 de março para o começo da construção do Terminal Marítimo do Mucuripe.

Anteriormente, o TCU havia apontado irregularidades técnicas como medição inadequada e planilha orçamentária incompleta para a contratação da empresa responsável pela obra. O contrato, no entanto, não demorou a ser fechado. Em fevereiro a Companhia Docas do Ceará (CDC) conseguiu resolver os problemas e assinou com a empresa Constremac Serveng.

A Matriz de Responsabilidade de Portos para a Copa do Mundo de 2014, disponibilizada pelo Governo Federal, está disponível no Portal da Transparência. O objetivo é de dar transparência às ações e despesas do Poder Executivo Federal relativas aos jogos da Copa do Mundo de Futebol de 2014, seja na forma de gastos diretos ou de transferências aos estados e municípios envolvidos com o evento.

Animação de como ficará o Terminal Marítimo de Passageiros

Entenda os números

Por: Larissa Andrade
Orientação: Profa. Adriana Santiago  

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s