O estilo homem das cavernas ficou no passado

Atualmente, não são apenas as mulheres que frequentam salões de beleza ou gastam rios de dinheiro com produtos estéticos. Segundo o site da Revista Veja , uma pesquisa realizada com 400 homens, pela empresa de consultoria 2B Brasil Research, aponta que vários deles gastam até 15% do seu salário com tratamentos de pele, cabelo, entre outros.

O preconceito ainda existe. Para muitos homens mais tradicionais, se vestir melhor, cuidar mais do físico, é sinal de homossexualismo. Errado! Nota-se a atenção que as revistas de moda, saúde e beleza vêm dado para esse tema. Otelino Filho, estudante de Jornalismo, além de cortar o cabelo, quando tem tempo, faz sobrancelha e depilação. Ele conta que já foi a um salão de beleza que atendia mais mulheres que homens: “era impressionante como as atendentes me olhavam estranho, fiquei até constrangido. Infelizmente ainda existem pessoas que pensam que a vaidade é uma característica apenas feminina, o que é totalmente mentira se for analisar os dias atuais. Eu sempre mudo muito de salão, mas prefiro frequentar aqueles que tratam todo e qualquer cliente igual, afinal, somos iguais mesmo.”

“O ‘belo’ me atrai e atrai a muita gente. Além disso, hoje em dia é preciso ser bem cuidado para estar em dia com a saúde e, até mesmo, ter um espaço no mercado de trabalho”, comenta Alan Lima, estudante de Jornalismo. Já Guilherme Lopes, estudante de Letras, diz que não chega a se preocupar com a beleza física aos padrões da sociedade. “Me preocupo com o que acho bonito, sabe? Não ligo se as pessoas acham feio barba, alargadores, piercings, tatuagens e afins. Eu gosto de me sentir bem comigo.”

Quem nunca ouviu falar nos “metrossexuais”? Heterossexuais que têm preocupação com a aparência e estão sempre ligados às novidades do mundo da moda. Um exemplo famoso é o jogador de futebol David Beckham. Sempre convidado para fazer comerciais de produtos masculinos, o esportista tem o perfil exato de homem que se preocupa com uma aparência externa impecável.

Francieli Hess, estudante de Design de Moda, acha interessante que os homens estejam mais ligados a aparência e que estejam perdendo aos poucos a vergonha de admitir isso. “Acho que todo ser humano é meio narciso, e só acaba omitindo esse lado por medo das repressões sociais, medo de ser taxado de alguma coisa e etc. Isso dos metrossexuais é um grande mercado em expansão e, para mim, é uma tendência cultural desse século.”Para Flávia Queiroz, estudante de Jornalismo, a vaidade tem que ser medida. “Meu namorado às vezes se depila em casa, mas eu não gosto de exageros. Não gosto disso de homem tirando a sobrancelha ou deixando uma barba muito grande.”

Dica

Em Fortaleza, o Fígaro Barbearia Social Club, no bairro Dionísio Torres, homens frequentam para, além de investirem na beleza física com serviços como unha, cabelo, barba, manicure, também encontrarão maquiagem e penteado, spa dos pés, massagens, entre outros. Aqueles que esperam enquanto outros são atendidos, podem passar o tempo jogando videogame ou apostando algumas partidas de poker.

Texto: Lidiane Almeida

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s