De olho no colesterol

Foto: Suélen Ramos
Foto: Suélen Ramos

A má alimentação é apontada como um dos principais causadores do Colesterol. No centro de convivência da Unifor, existem diversas lanchonetes, mas poucas são as alternativas para quem quer seguir uma dieta saudável. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 40% da população brasileira sofre com colesterol alto. Nesse percentual, estão muitas crianças e adolescentes, desmentindo a crença de que essa é uma doença de idosos. Isso acontece, muitas vezes, devido à rotina agitada e as constantes refeições que têm que ser realizadas fora de casa.

Cibele Matos é advogada e conta que quando vem à Unifor, encontra dificuldade na hora de optar por lanches saudáveis. “O único lugar que oferece essas opções é a farmácia. Compro iogurtes, sucos, cookies. E sempre levo uma barra de cereal na bolsa. Até o sanduíche natural daqui tem muita maionese”, reclama. Ela explica que evita as gorduras e frituras, para não ganhar peso. “Não é nem tanto pela saúde. Me privo de certas guloseimas pela estética mesmo”, brinca. Apesar disso, Cibele faz exames anuais em seu médico, e seu colesterol está controlado.

2013-03-06 16.26.15
Foto: Suélen Ramos

O estudante de Direito Jardeu Sales, também estava fazendo um lanche leve, apesar de tantos salgados, doces e sorvetes a sua volta. Ele diz que não sente falta de doces e não tem vício em comidas. “Seria interessante se criassem alguma lanchonete aqui com alimentos mais saudáveis. Muitas vezes tenho que comprar algo na farmácia mesmo”,opina. Como mora com sua avó, que já é idosa, Jardel tem costume de consumir refeições que beneficiam a saúde, e às vezes, acaba tendo que fugir disso na Unifor. “Já fiz exames de colesterol, pois tomava um medicamento que podia aumentá-lo,mas as taxas continuaram normais e meu organismo reagiu bem”, conclui.

Entendendo a doença:

O colesterol é um lipídio, um tipo de gordura presente no sangue, que é produzido naturalmente em nosso organismo ou consumido nos alimentos. É uma substância essencial para a função de todas as células, produz hormônios, vitamina D e contribui para o bom funcionamento do corpo humano. No entanto, seu excesso é prejudicial e aumenta o risco de desenvolver doenças cardiovasculares.

O médico e diretor do Instituto de Metabolismo e Nutrição (Imen), Daniel Magnoni, explica: “Há dois tipos de colesterol: o HDL, que é o “bom colesterol” já que protege o organismo, e o LDL, que é considerado o “colesterol ruim”, que forma placas, que com o tempo, obstruem as artérias.” Pode-se dizer que existem vários tipos de colesterol no sistema circulatório. A soma de todos, eles denomina-se “Colesterol Total”.A obesidade, hereditariedade, sedentarismo, excesso de álcool, fumo e o uso de alguns medicamentos são alguns dos fatores que podem contribuir para o LDL. Além da ingestão exagerada de alimentos de origem animal: ovos, leite e seus derivados, carnes e gorduras saturadas.

Quando a doença se agrava podem surgir problemas como derrame (AVC), hipertensão, doenças cardíacas e até morte. É importante destacar que, geralmente, a elevação do colesterol não provoca sintomas. Ou seja, o primeiro sinal já pode ser o de um ataque do coração.

Para os casos em que mesmo o paciente mudando seus hábitos e mantendo a alimentação saudável o colesterol continua elevado, o médico poderá receitar medicamentos. A maneira que se tem de saber como está seu colesterol é por meio do exame de sangue.

tabela Colesterol

Para mais informações, visite o site da Sociedade Brasileira de Cardiologia. Por lá é possível fazer perguntas a uma equipe de médicos cardiologistas.

 

Texto: Suélen Ramos

Um comentário em “De olho no colesterol

  1. Encontrei esse especial para a Folha de São Paulo de 1997 http://www1.folha.uol.com.br/fsp/1997/11/27/caderno_especial/5.html tratando-se do número de obesos no Brasil, vi outras de 2011 e novembro de 2012… Preocupante nossa situação.
    Vemos escolas/universidades particulares oferecendo alimentos gordurosos (e caros) em abundância para alunos que passam mais tempo decidindo onde comprar e ficar na fila por minutos, já que a poucos funcionários dependendo da lanchonete. Logo os estudantes desistem da alimentação menos calórica e correm para a lanchonete mais vaga, comprando um milkshake para não chegar atrasados em sala. Repete-se por semanas, e como ficará o organismo da pessoa após um semestre?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s