Fortaleza, para os que vêm

Foto: Alex Uchoa
Foto: Alex Uchoa

Em comemoração aos 287 anos de Fortaleza, que serão comemorados no dia 13 de abril, o Blog do Labjor buscou uma série de depoimentos de pessoas que fizeram da cidade o seu lar, apresentando, de forma breve, suas histórias e o porquê de optarem pela mudança.

A Cidade da Luz é a quinta capital do país em população, tem o maior PIB do Nordeste, 9° do Brasil segundo dados do IBGE. Com clima tropical quente, ideal para suas famosas praias, é um dos destinos turísticos mais visitados do país de acordo com o Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur).

 Remi Dalla Costa

Foto: Arquivo pessoal
Foto: Arquivo pessoal

Costa, 50 anos, é de Bento Gonçalves (RS). Ele era caminhoneiro e rodava o Brasil quando conheceu sua ex- esposa, no Ceará. Casaram-se no Sul e tiveram duas filhas, mas logo retornaram à Fortaleza. Desde 1988, vivem na cidade. Os lugares que mais frequentam é a Praia do Futuro, o Centro e a Beira-mar.

 “Fortaleza encanta por suas praias belas, clima estável (sem mudança brusca de temperatura), pessoas receptivas e calorosas.”

Barbara Degues

barbara
Foto: Arquivo pessoal

Em 2006, Barbara veio de Lisboa, Portugal, com a família. Filha de missionários, ela é estudante de  Arquitetura e Urbanismo. Diz que gosta dos prédios altos e modernos da cidade, e cita a praia do Porto das Dunas como seu local preferido.

 Ana Sousa

Foto: Arquivo pessoal
Foto: Arquivo pessoal

Ela também veio de Portugal, mas é filha de pai brasileiro e mãe portuguesa. Ana veio morar no Brasil por incentivo do pai, que desejava que ela estudasse aqui. Hoje, com 20 anos, cursa o 5° semestre de Jornalismo na Universidade de Fortaleza.

Seu lugar favorito é o Dragão do Mar, que, segundo afirma, lembra um pouco o ambiente de Portugal.

“Quis tentar conhecer algo novo, e viver aqui seria uma boa oportunidade.”

Manoel Lafuente

Foto: Arquivo pessoal
Foto: Arquivo pessoal

Lafuente tem 20 anos e nasceu em Belém do Pará. Residiu em Fortaleza entre 2008 e 2010 com sua família. No início, teve receio com a diferença entre as duas culturas, mas logo percebeu que teria uma rápida adaptação, tanto que retornou a residir na cidade em 2012. O que mais lhe encanta de Fortaleza é a Ponte dos Ingleses, a Beira-mar e as barracas de praia que contam com música e culinária.

 “Fortaleza foi o lugar que morei, que mais me aproximou do que considero ser, comparada a Belém, um lar”.

Texto: Mariane Dantas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s