Cuidado: todos somos sujeitos a crimes na internet

Foto: Eduardo Cunha
Foto: Eduardo Cunha

Maria Navarro, aluna do curso de jornalismo da Universidade de Fortaleza (Unifor), foi vítima, semana passada, das ações de crimes na internet em sua rede social. Esta é a segunda vez que acontece, e ela se sentiu constrangida com o episódio. “Foi um baque muito grande pra mim ver que eu não só havia sido hackeada como estavam usando o meu perfil para me vender” , ela conta indignada.

A estudante relata que não foi a primeira invasão a ser feita em sua rede social, isso também ocorreu em sua adolescência, gerando uma série de problemas psicológicos a ponto de passar por acompanhamentos profissionais. A vítima deposita esperança na Lei Carolina Dickimann sancionada no dia 12 de dezembro de 2012. Maria Navarro adverte a todos os internautas que “fiquem de olhos bem atentos para todos que nos rodeiam em nossas redes sociais”.

images
Foto: Divulgação

Os piratas na internet vem se aproveitando da ingenuidade ou confiança exagerada dos internautas, “Todo usuário precisa usar suas senhas em computadores confiáveis e não sair clicando em tudo o que se vê pela internet”, adverte Pablo Ximenes, integrante do Information Security Research Team (INSERT),  grupo de pesquisa da Universidade Estadual do Ceará,  e professor do Curso de Especialização em Segurança da Informação da Faculdade 7 de setembro (FA7). A atuação desses criminosos está associada ao prazer de realizar um desafio e ganhar a prática em quebrar a segurança dos usuários e instituições.

Pode-se evitar invasões nos computadores com instalação de bons antivírus atualizados, ou “se tornar um indivíduo paranóico com as propagandas”, adverte Ximenes. Nos casos de violações das redes sociais, é preferível tentar recuperar a conta invadida em vez de se criar uma nova. Logo em seguida, é primordial tentar identificar como aconteceu o vazamento ou quebra de segurança. A partir dessas informações, será possível identificar os responsáveis pela violação, ensina o especialista.

O que é a lei Carolina Dickimann?

A Lei Carolina Dickimann é a primeira legislação de combate aos crimes na Internet, estabelecendo pena de reclusão de seis meses a dois anos e multa para quem obtiver segredos comerciais e industriais ou conteúdos privados por meio da violação de mecanismo de segurança de equipamentos de informática.

Essas condutas ilegais vem se tornando, nos últimos anos,  um pesadelo na vida dos internautas. Os invasores cometem atitudes perversas invadindo redes sociais, contas, etc. Fazendo disso o roubo de informações restritas dos usuários.

Qual a diferença entre hackers e crackers?

Existe uma diferença entre hackers e crakers que, para muitos, essa comparação não existe. Os hackers invadem sua intimidade, não ocasionando prejuízos aos seus periféricos, mas o cracker são programadores mal intencionados, que estudam e decodificam programas e linguagens a fim de causar danos a computadores alheios.

Texto: Gabriela Pereira

2 comentários em “Cuidado: todos somos sujeitos a crimes na internet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s