[Lar Maior] Desenvolvimento humano e gestão empresarial na era das pessoas

Foto: Amanda Carneiro
Foto: Amanda Carneiro

563662_181636861986632_631460725_nComo parte do Lar Maior – Comunicação e Gestão em Harmonia, evento de apresentação do CCG ao campus da Universidade de Fortaleza, a palestra “Gestão de Pessoas: por que investir em gente” ocorreu nesta quarta-feira, 8 de maio, no Teatro Celina Queiroz, com início às 19h. A mesa de debate foi composta por Zuleika Araújo (SJ Administração de Imóveis), Alexandra Bosschart (Casablanca Turismo) e Elvis (Chilli Beans), com mediação da profª. Gleiva Rios.

 O debate tratou de um tema muito caro ao planejamento estratégico empresarial dessa nova era, que já começa a ser chamada de Era das Pessoas: o desenvolvimento humano, por meio de investimentos no setor pessoal visando a promover uma melhoria na qualidade de vida dos colaboradores e no ambiente de trabalho.

Foto: Amanda Carneiro
Foto: Amanda Carneiro

No foco da discussão estiveram, fundamentalmente, os desafios de adaptação criados pela chegada da “Geração Y” ao mercado de trabalho. Bolsas de estudos, programas de treinamento de líderes, eventos de integração, planejamento de carreira. Na contemporaneidade, investimentos desse tipo em capital intelectual tornam-se extremamente necessários, visto que a mão-de-obra, em virtude das crescentes exigências de especialização, se faz cada vez mais escassa e difícil de manter. A qualificação técnica atingida pela “Geração Y” permite que ela tenha uma mobilidade sem precedentes, trazendo às empresas o desafio de como atrair e reter funcionários.

 

Foto: Amanda Carneiro
Foto: Amanda Carneiro

Não é apenas de dificuldades, no entanto, que se compõe o impacto dessa geração sobre o mercado de trabalho. De acordo com Alexandra, “a Geração Y hoje – e eu me considero da Geração Y, tenho 28 – é uma geração que não apenas busca conhecimento desenfreado, sede de conhecimento, mas é uma geração que tem tido condições de cooperar com a empresa nos quesitos de criação, inovação, disposição e proatividade”.

 A chave para a gestão empresarial, hoje, estaria, portanto, em fomentar a troca de experiências e o aprendizado mútuo entre colaboradores, permitindo uma integração plena entre gerações. Reinventar-se, nas atuais circunstâncias, faz-se essencial – e, para isso, é fundamental investir em pessoas, uma vez que, segundo Zuleika, “máquinas não fazem nada por si sós, apenas as pessoas são capazes de evoluir”.

 

Texto: Lia Martins

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s