Drops pós-moderno: literatura e poesia nas redes sociais

Imagem da Fanpage "Eu Te  Dedico"
Imagem da Fanpage “Eu Te Dedico”         

Quem pensa que literatura e poesia nas redes sociais não passa de um eterno copiar e colar, engana-se. Surpreender o público pós-moderno, tão ciente e instantâneo, não é fácil, porém é possível. Tão possível que páginas que trazem uma nova forma de contar histórias ou ler poesia têm atraído cada vez mais usuários.

Um exemplo disso é a página brasileira “Da boca pra fora”, que recebe vídeos de pessoas recitando poemas, porém com enquadramento somente na boca. O mistério é uma arma para incentivar a participação. “O anonimato é a falta de necessidade ou mesmo desejo de reconhecimento. É a ação pela simples vontade de agir, pelo genuíno interesse de vivenciar algo. Tira-se o peso do ridículo, da autocrítica que segura tanta ideia boa”, afirmou Patrícia Kalil, uma das idealizadoras da página, em entrevista para a revista da Livraria Cultura.

Apesar de serem lábios, dentes e línguas desconhecidas, a impressão que os vídeos deixam é perfeitamente oposta, passando ao ouvinte uma proximidade confortável, uma intimidade que acalenta e que incentiva.

E, conforme os movimentos literários ganham força na Rede, ganham também as ruas. Em Fortaleza, por exemplo, existe um espaço, no centro da Cidade, dedicado à paixão pela poesia. O Templo da Poesia nasceu do amor dos poetas, Reginaldo Figueiredo e Ítalo Rovere pela poesia e pela arte. Hoje o lugar abriga um ponto de leitura, um Descansódromo e uma Poemoteca, funcionando sempre aos sábados.

Com todo o meu amor,

“Um livro com dedicatória é um livro com duas histórias, uma que começa no primeiro capítulo e uma que começou antes de se passarem as páginas. Dedicar é gravar uma intenção ou sentimento e a proposta deste projeto é registrá-los”. É assim, poeticamente, que a página “Eu te dedico” é apresentada aos usuários do Facebook.

526492_381786611934477_2120765139_n

Que grande surpresa abrir um livro e encontrar uma dedicatória, não a feita pelo próprio autor, mas sim uma feita à caneta, a lápis ou, quem sabe, à tinta guache. Essas mensagens que aquecem o coração de quem quer que as leia estão disponíveis na página “Eu te dedico”, criada pela designer brasileira, Mariana Guglielmelli.

Atualmente com mais de doze mil curtidas no Facebook, a página tem como objetivo compartilhar momentos marcantes eternizados em dedicatórias de livros. E é nela que encontramos o pedido de Maycon, “Juliana, quer namorar comigo?”; o convite de Daniel, “vamos ao cinema, baby?”; o poema de Léa: “Cassiano, querido, com amor, seja um grande escritor. Léa. Inadimplente, inconsequente e caliente. beijos”. Assim nos deliciamos com lembranças, ensinamentos, saudades, tudo permeado por um carinho palpável e encantador.

Escritora Hannah Brencher do "More Love Letters"
Escritora Hannah Brencher do “More Love Letters”

Outro exemplo de iniciativa é o da escritora norte-americana, Hannah Brencher, idealizadora do site More Love Letters. Após uma solitária temporada em Nova York, Hannah decidiu espalhar mensagem de afeto pela cidade, deixando por onde passava mensagens de amor, depoimentos, ensaios e bilhetes de apoio.

“Nenhuma delas era para um destinatário específico, mas para quem quer que encontrasse os envelopes que eu espalhava pelo meu caminho: dentro de livros da biblioteca, em quartos de hotéis, mesas de restaurantes e até pendurados em galhos de árvores. E eu nunca assinava esses textos – nunca quis ser identificada, pois sempre achei que o que menos importava ali era o remetente”, afirmou a autora em entrevista para a edição de junho da Revista Glamour.

scan0003-1024x817-680x542
Carta de amor do “More Love Letters”

Mas Hannah queria mais! Quando estava próxima da marca de 400 cartas, fez um post em seu blog pessoal dizendo que mandaria cartas de amor para quem pedisse e recebeu centenas de respostas! Assim surgiu a ideia do site More Love Letters que hoje conta com 20 mil escritores, que enviam cartas para pessoas de todo o planeta.

Se para o escritor e linguista alemão, Hugo Friedrich, o misto de fascinação e incompreensão é o que arrebata o leitor, então que homens e mulheres pós-modernos continuem fascinados e famintos pela poesia simples do dia-a-dia, da boca desconhecida, do convite feito, da carta de amor.

Serviço

Templo da Poesia

Endereço: Rua Barão de Aratanha, 201, Centro, Fortaleza-CE

Contatos: (85) 86034105 (85) 85328178

Texto: Juliana Teófilo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s