Jovens voluntários levam alegria aos hospitais e abrigos

Marina Xavier (centro) e demais alunos no Projeto Jovem Voluntário. Foto: Arquivo pessoal
Marina Xavier (centro) e demais alunos no Projeto Jovem Voluntário. Foto: Arquivo pessoal

Para colaborar com a sociedade, de modo a incentivar projetos voluntários, a neurologista Gilma Holanda se transformou em coordenadora geral do projeto Jovem Voluntário em 2001 e contava inicialmente com apenas vinte e cinco alunos do Centro de Ciências da Saúde da Unifor (CCS). Atualmente, todos os estudantes e funcionários da universidade têm a oportunidade de aderir à proposta, que possibilita a humanização e conhecimento de outras realidades, já que assistem às unidades hospitalares e a abrigos.

A aluna do quarto semestre de Psicologia, Thaís Alves Siqueira, 20, monitora há dois anos, afirmou: “Fui voluntária durante um semestre no Hospital Infantil Albert Sabin e um semestre no Núcleo de Atenção Médica Integrada, uma experiência incrível que me tornou uma pessoa melhor e sempre tento, cada vez mais, ser. Me fez ver a vida de uma forma melhor, diferente e com mais amor.

Foto: Luana Quezado
Foto: Luana Quezado

Segundo ela, o empreendimento tem o objetivo de instruir as condutas médicas ou curativas, por meio do trabalho lúdico com aqueles que se encontram internados em hospitais, ou permanecem em qualquer instituição para pessoas com necessidades especiais.

O trabalho do voluntariado consiste em 80 horas no estágio semestral, fazendo serviços, como narrações de estórias populares e teatro de fantoches, proporcionando momentos de alegria e de descontração geral por meio de várias brincadeiras. Além da camaradagem aos desamparados, auxiliam faixas etárias de crianças no período pré-escolar até pessoas da terceira idade.

Combatendo o ócio cotidiano, os 466 prestadores, vinculados à vice-Reitoria de Extensão e Comunidade Universitária, cumprem o estágio semanal de quatro horas. Entre todos os projetos de assistência na Universidade de Fortaleza, o Jovem Voluntário se destaca em ação social. A humanização da iniciativa abrange benefícios mútuos para alunos e pacientes de instituições de caridade e hospitais.

Como o único projeto firmado de Ensino Superior do Ceará, o Jovem Voluntário disponibiliza certificado legalizado em todo o País, afora doação de material recreativo e de uso pessoal. Os acadêmicos e funcionários promovem atividades em cinco entidades: Núcleo de Atenção Médica Integrada (NAMI), Hospital Infantil Albert Sabin, Hospital São José, Associação Peter Pan e Lar Torres de Melo. Foram priorizadas entidades com enfoque na assistência de crianças e idosos em tratamento ou em salas de espera. Os estagiários atuam como parceiros nas terapias lúdicas e prestam auxílio aos terapeutas, que geralmente estão em número insuficiente para atender à demanda.

Texto: Fernanda Façanha e Ravelle Gadelha

Um comentário em “Jovens voluntários levam alegria aos hospitais e abrigos

  1. Desde que a psicanálise saiu do Inconsciente para os trabalhos de grupo, achei que ela enfraqueceu. Mas do ponto de vista de terapia de grupo, a doentes terminais, idosos em asilos e como psicologia aplicada, acho boa a iniciativa dos jovens.para eles também – que vão tomar contato com dramas humanos significativos e deficiências marcantes de nosso sistema de saúde.Sucesso!
    Francisco J.B.Sá
    Pesquisador em Antropologia/Autor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s