“A maior mentira da internet: li e concordo”

Foto: Aline Cardoso
Foto: Aline Cardoso

A última edição do Ciberdebates do ano aconteceu na manhã desta terça-feira, 8 de outubro, no Auditório da Biblioteca da Universidade de Fortaleza. O público, em sua maioria estudantes do curso de Jornalismo da UNIFOR, ouviu atentamente ao debate sobre o tema “Privacidade: compartilhada ou invadida?”.

Os debatedores que compuseram a mesa foram: Ricardo Sabóia, professor do curso de Jornalismo da Unifor, mestre em Comunicação e Cultura Contemporâneas (UFBA), com pesquisa na área de estudos culturais e cibercultura; Jackson Cruz, jornalista especialista em Linguagens e Mídias Digitais e consultor em Comunicação Digital e Cícero Campelo, que trabalha há 18 anos com Tecnologia de Informação, e nos últimos 12 anos, com Segurança da Informação, diretor de consultoria e soluções da Trust Control.

Ricardo Sabóia. Foto: Aline Cardoso
Ricardo Sabóia. Foto: Aline Cardoso

Quem começou o debate foi Ricardo Sabóia. O professor fez um esboço do que é a vida privada e a possibilidade dela se tornar pública. Ele deixou claro que não existe uma diferença entre o mundo online e offline, “existe o mundo, e o que é publicado na sua rede se torna público e será arquivado”, destacou o doutorando em Sociologia pela UFC.

Ricardo lembrou ainda que Fortaleza é um ponto estratégico para a transmissão de dados que saem do Brasil e seguem para os Estados Unidos. Pela localização geográfica privilegiada, há um número grande de informação passando por cabos submarinos que aceleram a internet na capital cearense, mas também há um maior número de informação circulando.

Ele destacou a importância do Marco Civil da Internet, falou sobre a preocupação do Governo Dilma com a segurança dos dados dos brasileiros, sugerindo inclusive que todos os dados de brasileiros deveriam ficar armazenados em servidores no Brasil para evitar a vulnerabilidade do País. Outro ponto destacado é o de que ninguém lê os termos dos contratos das redes, como no caso do TwitPic, que diz que você, ao aderir ao serviço, abdica da propriedade de sua fotografia, que pode ser vendida para qualquer pessoa, sem créditos. Citou um site que mostra todas as vulnerabilidades a que estamos expostos a partir dos termos dos contratos  das redes. 

 

Bom senso na hora de usar as redes sociais

Foto: Aline Cardoso
Foto: Aline Cardoso

O jornalista Jackson Cruz trabalhou muito tempo com monitoramento de redes sociais e deixou claro que não existe permitir ou proibir, “a palavra de ordem é controlar o conteúdo que é postado e respeitar a etiqueta do ambiente”. Quem cria um perfil em redes sociais deve estar atento ao que vai ser publicado e estar ciente de que a primeira impressão que vai ser passada pelo perfil nas redes sociais é a que realmente fica.

O interesse por informações pessoais não é mais apenas dos governos, mas atualmente as empresas, fazem o monitoramento de usuários por meio de tecnologias que invadem a privacidade alheia. Hoje vivemos na era do monitoramento real. Jackson deu ainda um conselho: “seja seletivo nas suas amizades”, pois há perfis falsos circulando nas redes em busca de informações valiosas.

Cícero Campelo. Foto: Aline Cardoso
Cícero Campelo. Foto: Aline Cardoso

Já Cícero Campelo, que trabalha com segurança da informação há mais de uma década, ofereceu dicas de como se proteger para não se expor erroneamente e nem ter sua conta roubada, pois, segundo ele, mesmo com toda a quantidade de informação que está circulando, ela consegue sim ser monitorada. Cícero acredita que a preocupação com a privacidade na internet é um tema pertinente pois o crime organizado está migrando para a rede. Outro cuidado que deve ser tomado é ao usar redes wifi livres, pois existem ferramentas que possibilitam a invasão e o roubo de senhas do de quem está conectado a redes desprotegidas.

Dicas para se proteger no Facebook:

1.  Crie grupos de usuários e direcione os seus posts
2.  Renove sua senha periodicamente(de 1 a 3 meses é ideal)
3.  Símbolos como @ e $ tornam a senha mais forte
4.  Tenha consciência que ao postar na rede você não está falando sozinho
5.  Cuidado com quem você aceita como “amigo” no Facebook
6.  Use a criptografia para se proteger
7.  A primeira impressão é dada pelo seu perfil online, que é aquela que você mesmo constrói

Texto: Giselle Nuaz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s