[Mundo Unifor] “Fotografia é um exercício para o olhar”

Oficina de Fotografia Artesanal. Foto: Maia Navarro
Oficina de Fotografia Artesanal. Foto: Maia Navarro

MUNDO UNIFORA primeira impressão que eu tive ao entrar na sala onde os alunos se reuniam para participar da oficina de fotografia artesanal era apenas uma: pessoas interessadas no mesmo tema, mas diferentes entre si. Depois de conversar um pouco e perceber conversas paralelas, entendi porque: alunos começando seus cursos, outros terminando, pessoas de diversas universidades, porém de cursos bem longe da comunicação. Uma coisa nos unia, a paixão e a curiosidade de aprender processos que não permeiam nosso dia a dia tão cheio de tecnologia e “facilidades”.

A proposta foi apresentada pelo professor Wilton Martins nos primeiros minutos. “O objetivo da oficina é permitir ao aluno criar, passar por essa experiencia lúdica que é uma brincadeira, uma coisa mais descontraída, mas que ao mesmo tempo permite uma aprendizagem de desenvolvimento da percepção”, apontou.

Para além disso, a oficina permitiu também, aprender (e para muitos de nós, reaprender) os processos químicos e físicos que fazem parte do processo da pinhole e do fotograma, elementos primordias da fotografia.

Foto: Avner Menezes
Foto: Avner Menezes

Em um ambiente escuro e silencioso com apenas luzes vermelhas e difusas, Wilton explica os passos da nossa primeira atividade: “a ideia é fazer fotografia sem usar uma câmera”, fala sorrindo. Em alguns minutos, no entanto, entendemos que podemos fotografar usando apenas luz e um papel fotossensível.

Enquanto revelamos as fotos, passo a passo, em cada uma das quatro etapas, observamos nossas criações e também as dos outros. Folhas, chaves, brincos e mãos aparecem aos poucos enquanto os químicos agem. Faz silêncio ainda, prendemos a respiração a medida que as imagens se revelam em preto e branco.

Foto: Avner Menezes
Foto: Avner Menezes

Repetimos o processo mais algumas vezes e, dessa vez, com um ruido baixo de reconhecimento – já sabemos o que fazemos e até ousamos.

O segundo momento da oficina era exatamente oposto ao primeiro, da escuridão da câmara escura para a claridade do sol que fazia lá fora. As latas de leite vazias nas mãos quase enganavam em sua aparente banalidade.

A técnica, conhecida como pinhole, ou no melhor português, “buraco de alfinete”, nada mais é do que uma máquina fotográfica sem lente, mais um modo de ver uma imagem real através de uma câmara escura. A exposição, que pode ir de poucos segundos até um minuto, dependendo da quantidade de luz do ambiente, tem uma contagem toda especial: “Kodak 1, Kodak 2, Kodak 3…”, brinca Wilton.

Foto: Juliana Teófilo
Lara Franco. Foto: Juliana Teófilo

As impressões não poderiam ser melhores. A futura arquiteta, Lara Franco, uma entusiasta da fotografia agarrou a oportunidade de conhecer mais a fundo a antiga paixão. “Apesar da minha paixão por fotografia, eu nunca tinha participado de nenhum curso na área. Então surgiu essa oportunidade no Mundo Unifor e eu aproveitei!”, aponta.

Já com sua fotografia revelada em mãos, pergunto a Lara o que ela está achando da experiência, o grande sorriso de satisfação me responde antes mesmo que ela abra a boca: “Nossa, estou adorando! Muito legal”.

Vicente Leite. Foto: Juliana Teófilo
Vicente Leite. Foto: Juliana Teófilo

O estudante de Publicidade e Propaganda, Vicente Leite, por outro lado, está mais do que a vontade, o rapaz brinca com câmeras analógicas desde muito pequeno, quando não largava a Trip 35 da mãe. Para ele, o hobby tornou-se uma filosofia, um exercício diário. “Fotografia é um exercício para o olhar. É importante sempre ver as coisas por um ângulo diferente, tentar sair um pouco da rotina, mesmo que seja um pouco difícil”, aponta Vicente.

A surpresa de Wilton era evidente e notoriamente positiva. “Eu não esperava a presença de tantos alunos que já tinham passado por essa experiência. São alunos que já tinham passado pela disciplina de Fotografia I e por algum motivo quiseram revisitar e reviver essa prática analógica. É muito interessante”, conclui.

Texto: Juliana Teófilo

Confira a galeria:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s