[Claquete] Pelo amor à arte

lugar-na-plateia-poster

A Paris das artes é o foco da obra Um Lugar na Platéia (Fauteuils d’Orchestre), filme dirigido pela francesa Danièle Thompson, com roteiro leve e agradável. A comédia romântica explora a vida de personagens que vivem por trás de palcos e exposições, sob a perspectiva de uma ingênua e amável transeunte.

A trama desenrola-se a partir de Jessica (Cécile de France), jovem simples e interiorana que, incentivada pela avó e suas histórias, vai para Paris em busca de trabalhar no luxuoso hotel Ritz. Ao chegar na capital Francesa, Jessica não consegue emprego no hotel, mas é contratada como garçonete aprendiz em um movimentado café na Avenue Montaigne, em frente a um dos principais teatros da cidade.

lugar2

A garota passa então a acompanhar figuras interessantes, tais como uma famosa atriz de televisão que busca ampliar sua carreira para o cinema e está prestes a estrear em um novo espetáculo, um pianista que está cansado de sua rotina e planeja não realizar mais concertos, e um milionário que está pondo os principais títulos de sua coleção de arte em leilão. Todas essas situações, então, interligam-se, sendo exploradas simultaneamente.

O charme da produção está nas paisagens e na trilha, que contribuem para criar uma sensação agradável de beleza ao espectador. O roteiro, permeado de situações cômicas, é tão ingênuo quanto sua protagonista, e aposta em explorar personagens cativantes. O grande trunfo, entretanto, é a homenagem às artes. Tudo está lá: música, teatro, cinema, artes plásticas… tanto nos gêneros clássicos, quanto nos populares. A proposta dessa “mostra artística” ganha ares harmoniosos, que encaixam-se perfeitamente na atmosfera de romanticidade parisiense.

lugar1

Um Lugar na Platéia possui uma temática que supre a necessidade de entretenimento, mas peca em não investir mais no lado reflexivo e na profundidade de determinadas histórias. Apesar disso, propõe algumas metáforas que, mesmo não destacando-se no meio cinematográfico, garantem análises e sorrisos. O espectador passa, por meio disto, a identificar-se com o meio artístico. Como dizia a avó de Jéssica, na frase que abre o filme: “Eu sempre quis ser artista, mas como não tinha talento, resolvi trabalhar no meio deles”.

Texto: Gustavo Nery

Ficha Técnica

Título Original: “Fauteuils d’Orchestre”
Ano: 2006
Direção: Danièle Thompson
Roteiro: Christopher Thompson e Danièle Thomson
Gênero: Comédia / Romance / Drama
Duração: 106min.
Origem: França

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s