Mostra de festival de cinema expõe curtas e filmes vencedores em bienal

Luiz Ernesto Meyer e Nílbio Thé. Foto: Thiago Gadelha
Luiz Ernesto Meyer e Nílbio Thé. Foto: Avner Menezes

Foram exibidos seis curtas na Unifor pelo Festival Internacional de Cinema da Bienal de Curitiba (FICBIC) nesta terça-feira, 5 de novembro. O evento contou com a presença de Luiz Ernesto Meyer, diretor geral da Bienal de Curitiba, e Nilbio Thé, professor de Audiovisual e coordenador dos cursos de Teatro e Artes Visuais do campus.

O professor Nílbio, junto com Ana Quezado – coordenadora do Audiovisual e Novas Mídias -, organizou a vinda do festival para Fortaleza. “A mostra é importante para que os alunos fiquem sintonizados com o que está ocorrendo em outras universidades”, apontou o representante da Bienal de Curitiba Luiz Ernesto.

Foram expostos dois curtas da Mostra Principal – Pátio, de Aly Muritiba, e Urânio Picuí, de Tiago Melo e Antônio Carrilho -, junto com quatro filmes ganhadores nas categorias de: videoclipe, experimental, documentário e ficção. Os diretores serão premiados com viagem à Berlim para assistirem, em 2014, o Festival Internacional de Cinema. Os curtas ganhadores foram: Espelho de Alice (2012), de Nathália Araújo e Gabriel Lima, da Universidade Federal da Bahia (UFBA); Meditação: um Tríptico Telemático (2013), de Roderick Steel, da Universidade de São Paulo (USP); Leprosário (2012), de Luís Augusto, da Universidade da Paraíba (UFPB); e Antes de Palavras (2013), de Diego Carvalho, da Academia Internacional de Cinema, de São Paulo (AIC).

Luiz Ernesto disse que a mostra foi feita em comemoração aos 20 anos de existência da Bienal Internacional de Curitiba, sendo sediada no campus em homenagem aos 40 anos da Unifor.

Foto: Thiago Gadelha
Foto: Avner Menezes

Além da Universidade de Fortaleza, o FICBIC contou com a parceria do Itaú e do Ministério da Cultura. “Fortaleza é a cidade cultural com maior relevância da região nordeste do Brasil, é muito importante a presença de alunos daqui no evento”, defendeu Luiz Ernesto, falando ainda que “os trabalhos que foram mostrados são apenas um recorte do Festival, com intenção de iniciar uma cooperação e fortalecer as relações das ações de lá, que podem acontecer aqui e vice-versa”.

As exibições podem servir, também, para que os alunos e professores da universidade conheçam mais sobre a Mostra Universitária, que é aberta para o Brasil inteiro. O Festival, diferente da Bienal, ocorre anualmente e qualquer aluno do audiovisual já pode ir planejando a sua inscrição. O ganhador da Mostra do ano que vem receberá um curso de cinema em Nova Iorque.

Texto: Giovânia Alencar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s