Emoção e literatura definem o evento de lançamento do livro de M. Monte

M. Monte. Foto: Thiago Gadelha
M. Monte. Foto: Thiago Gadelha

Ao chegar no Mambembe para o lançamento do livro 27 Páginas Antes de Dizer Teu Nome da escritora M. Monte, a primeira impressão que tive foi de um encontro entre amigos. Em um ambiente aconchegante e discreto, todos que estavam ali foram seduzidos pela música, iluminação indireta e grafites nas paredes.

O cerimonial foi marcado de surpresas para o público. Houve a apresentação do grupo Literalmente Falando que declamou poesias inspiradoras de Vinícius de Moraes, Carlos Drummond, Pablo Neruda, Carlos Augusto Lima e da própria autora. Após a apresentação, fui convidada por M. Monte para entrevistá-la ao vivo e na frente de todos.

Grupo Literalmente Falando. Foto: Thiago Gadelha
Grupo Literalmente Falando. Foto: Thiago Gadelha

No papel de entrevistadora, perguntei a autora como é ser personagem do seu próprio livro, que é uma característica presente em sua escrita. “Sempre me considerei um personagem. Nunca tive talento para artes cênicas ou pra desenhos de quadrinhos, essas coisas que geralmente você cria personagens e vai desenvolvendo as histórias. A diferença desse livro é que eu assumi, pela primeira vez escrevendo, o personagem ‘eu’ ”, argumentou ela.

Continuando a celebração, Priscila Baima, assessora da autora, apresentou de forma simples um livro tão intenso. “ ’27 Páginas Antes de Dizer Teu Nome’ conta uma história verbalizada por batimentos. Passa pela vida de três pessoas, faz evoluir quem antes amou de primeira e agora ama como derradeira e, ao mesmo tempo, como uma principiante”, declamou. Por fim, a autora agradeceu os diversos apoios que teve para a realização do lançamento, desde sua assessoria e organização até o local que sediou o evento.

Foto: Thiago Gadelha
Foto: Thiago Gadelha

Para o estudante de jornalismo Paulo André, o lançamento foi surpreendente. “Não esperava aquelas apresentações no início, pois o conhecimento que eu tinha sobre lançamentos de livros era só o autor autografando os livros. Então achei bem bacana, me lembrou uma técnica de teatro chamada de teatro intimista, que é quando a plateia fica bem próxima ao público, deixando o evento calmo e aconchegante”.

Todos podiam perceber que M. Monte irradiava felicidade. “Nesse primeiro evento tem sido incrível. É a realização do meu maior sonho. Escrever sou eu, então se eu não me tornasse isso eu nunca seria eu mesma, M. Monte”. Para ela, a presença de amigos, familiares e curiosos foi de extrema importância. “Eu não estou acreditando, isso é um sonho, não parece real, embora eu sei que é. Estou tentando assimilar tantas pessoas, tanto carinho, tanto sorriso, tanto encanto”.

Foto: Thiago Gadelha
Foto: Thiago Gadelha

Percebi que o que unia todos que estavam ali era, além de prestigiar a autora, o interesse e paixão pela literatura. A leitura de um livro implica, além de conhecimento, a imaginação, tornando cada um de nós pessoas criativas, sensíveis e autênticas, características da personalidade de M. Monte.

Texto: Fernanda Façanha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s