Retrato íntimo define novo filme de Karim Aïnouz

 

praia-poster
claquete-2

Praia do Futuro, novo longa-metragem do diretor cearense Karim Aïnouz, conhecido por filmes como O Céu de Suely e O Abismo Prateado, destaca-se por mesclar cenas em Fortaleza e Berlim. Apesar de dividir expectativas do público, o filme acerta ao deixar espaço para diversas interpretações, e por manter uma perspectiva intimista para a compreensão dos personagens.

A trama desenvolve-se a partir de Donato (Wagner Moura), salva-vidas da Praia do Futuro, na capital do Ceará, que, após seu primeiro resgate frustrado, aproxima-se de um amigo da vítima, o alemão Konrad (Clemens Schick). Atormentado internamente pela sua falha, Donato vai para Berlim com Konrad, onde os dois desenvolvem um romance. O salva-vidas encontra, então, a possibilidade de reconstruir sua vida. Anos depois, o cearense recebe a visita inesperada do seu irmão mais novo, Ayrton (Jesuíta Barbosa), que anseia por descobrir as condições em que ele se encontra, devido ao longo período sem contato entre os dois.

 

praia1

A fotografia do filme é a principal responsável em propor uma dualidade entre a ensolarada Fortaleza e a fria Berlim, utilizando com frequência cores que fazem alusão a essas condições climáticas. Planos abertos em cenários quase paradisíacos, ou closes psicológicos, que evidenciam a expressão dos atores, contribuem para compreender a simplicidade dos personagens e, ao mesmo tempo, seus conflitos interiores.

O roteiro do longa-metragem permeia a produção com um tom íntimo e naturalista, colaborando para a imersão dos espectadores em uma série de eventos ocorridos. Cenas de sexo e nudez, ou de ações banais, como tomar banho ou comer, parecem exercer a função de familiarizar, quase que instantaneamente, os personagens ao público. Essa construção auxilia na afirmação do filme quanto ao gênero drama psicológico, mas pode torná-lo um pouco arrastado, quase incômodo, para alguns. A análise da complexidade interna dos personagens é atrapalhada pela edição. Quando começamos a adentrar, por exemplo, a mente de Donato ou Ayrton, a narrativa é repentinamente tomada por cenas cheias de cor e movimentos, prejudicando a inserção previamente iniciada.

praia3

No campo das atuações, percebemos a dedicação de Moura e Schick na composição de seus devidos personagens. A preparação física e emocional dos dois é completamente perceptível. Apesar disso, o principal destaque positivo está no desempenho de Jesuíta Barbosa que, apesar da idade, mostra todo seu potencial em um personagem intenso e representativo. Praia do Futuro não se revela como o melhor filme de Aïnouz, mas deixa no ar uma breve reflexão sobre (re)aproximação entre familiares, fuga de seus medos e angústias.

Texto: Gustavo Nery

Ficha Técnica

Título Original: Praia do Futuro

Ano: 2014

Direção: Karim Aïnouz

Roteiro: Karim Aïnouz, Felipe Bragança

Gênero: Drama, Romance

Duração: 1h30min

Origem: BRA

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s