[Claquete] As paixões humanas além da tecnologia

HER

Com direção e roteiro de Spike Jonze, o filme Ela (Her, 2013) é um romance com elementos de ficção científica que aborda de forma delicada e poética as relações humanas e o envolvimento do homem com a tecnologia. A obra foi recebida pelo público e pela crítica com aclamação universal e ganhou o Oscar de Melhor Roteiro Original (2014), além de ter sido indicado em mais quatro categorias, incluindo a de Melhor Filme.

O  filme narra a vida de Theodore (Joaquin Phoenix), um homem solitário que está lidando com um divórcio e vive boa parte de seu tempo recordando os momentos mais felizes que compartilhou com sua esposa, Catherine (Rooney Mara). Certo dia, Theodore adquire o mais novo sistema operacional falante que possui uma inteligência artificial, que se auto-denomina Samantha (Scarlett Johansson). A partir de então, os dois desenvolvem uma relação que resultará em processos de descobertas pessoais e amorosas.

A história se passa em um futuro onde as pessoas convivem incessantemente com tecnologia, sistemas operacionais e smartphones. O diretor faz uso dessa ambientação para discutir os efeitos que os sistemas tecnológicos surtem nas relações interpessoais, bem como para narrar a trajetória de um homem que redescobre a paixão e de seu sistema operacional, que passa por uma fase de autodescoberta.

Em certo momento do filme, uma das personagens diz que “se apaixonar é uma forma de insanidade socialmente aceitável”. Esta é uma abordagem interessante e que possibilita inúmeras reflexões, afinal, não seria se apaixonar, fosse por alguém ou por um computador, uma forma de loucura totalmente admissível?

Os personagens principais são semelhantes a quaisquer outros de filmes românticos, uma vez que passam pelas mesmas fases de um relacionamento amoroso: se conhecem, desenvolvem afeto, compartilham momentos, brigam e por fim se apartem.

A facilidade de se identificar com Theodore e Samantha protagonistas tão peculiares e com a história entre eles, é incrivelmente grande. É nessa circunstância que reside a magia de “Ela”: apesar de parecer complexo, é um filme que fala sobre paixões; sobre amor, solidão e perdas são retratados de maneira singular e primorosa. Quando Theodore afirma que Samantha não é apenas um computador, o espectador facilmente acredita nele, assim como acredita no amor que este homem achou ser incapaz de sentir novamente.

Texto: David Nogueira

Ficha Técnica:

Título original: Her

Ano: 2013

Direção e roteiro: Spike Jonze

Gênero: Romance/Ficção científica

Duração: 2h 06min

Origem: Estados Unidos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s