[Claquete] O contraste de sentimentos vividos na ditadura

O_Ano_em_Que_Meus_Pais_Sairam_de_Ferias

O Saldanha é um louco, um comunista!” Esbravejava o torcedor da seleção ao falar do ex-treinador da amarelinha. Um exemplo bem caricato de como é retratada a sociedade da época no filme: um povo com medo de ditadura e de um possível golpe comunista, mas esperançoso com a seleção brasileira comandada em campo pelo ícone Pelé.

Em meio a isso, o menino Mauro foi deixado na casa do avô enquanto seus pais iam “passar as férias” em um lugar ao qual eles mesmos não tinham conhecimento com a promessa de voltarem a tempo de verem a copa do mundo de 70 junto ao primogênito.

O ANO EM QUE MEUS PAIS

O avô veio a falecer antes mesmo deles chegarem. Por felicidade do destino, o garoto não ficou desamparado. Ele foi acolhido pelo vizinho do seu pai, que pertencia a uma comunidade judaica. Mauro fez amigos pelo bairro e no “Clássico do Bom Retiro”, entre descendentes de italianos e descendentes de judeus, descobriu a paixão por ser goleiro.

Em um período de muita censura e repressão ao povo brasileiro, o filme relata um outro lado da luta contra a ditadura: como passava ser a vivencia dos filhos abandonados pelos pais que estavam na luta contra o sistema.

Muitas dúvidas existiam naquele momento: até quando duraria a ditadura e se o Brasil poderia ganhar a copa com Pelé e Tostão na mesma equipe eram as principais. Isto evidenciava como futebol e política servem para explicar um contexto histórico. Fato que acontece até hoje, porque o futebol não deixou de ser uma grande ferramenta política.

Naquele ano tivemos o auge do período militar. Com o “milagre econômico” e a seleção brasileira se consagrando tricampeã mundial de futebol, o governo ganhou pontos fundamentais para fortalecer seu poder. O filme relembra os erros do passado. Para que a história não se repita.

Texto: Italo Nunes


Ficha técnica

Título Original: O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias

Ano: 2006

Direção: Cao Hamburger

Roteiro: Cao Hamburger
Claudio Galperin
Bráulio Mantovani
Anna Muylaert

Gênero: Drama

Duração: 110 min

Origem: Brasil 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s