Mães jovens revelam dificuldades em suas rotinas

Aluna mãe

Denise Marques e sua filha, Luna, brincam nos momentos livres.

Era comum, antigamente, enxergar que a única preocupação das mulheres fosse cuidar da casa e dos filhos. Hoje, o mundo está bem diferente e a mulher está mais ativa na sociedade, com isso, a criação dos filhos deixou de ser responsabilidade apenas da mulher e passou a ser do casal. As dificuldades para educar aumentam para aquelas mulheres que começam a exercer a maternidade ainda jovens, muitas delas como mães solteiras. É preciso procurar um equilíbrio entre os cuidados com os filhos, os estudos e o trabalho.

Maria Neilde Soares, 29, mãe de um menino de 12 anos, sabe bem dessas dificuldades. Estudante do 4º semestre de administração, ela disse que a principal complicação que encontra no dia a dia é a falta de tempo para estudar, apesar de fazer apenas três disciplinas neste semestre. Além de estudar e cuidar do filho, ainda tem os afazeres domésticos. A rotina era mais puxada quando o garoto era bebê, mas agora com ele mais velho, o cotidiano está mais fácil. A mãe revela que o filho é compreensivo. “Meu filho se comporta bem. Ele já está acostumado, e sempre tem alguém em casa, ele não fica sozinho”, falou Maria Neilde.

Denise Marques, 21, ficou grávida aos 18 anos e teve seu modo de vida totalmente alterado. Atualmente ela estuda, trabalha, tem responsabilidades como mãe e dona de casa. No meio da gestação, a estudante teve que trancar o curso de Letras e só retornou quando sua filha, Luna, tinha por volta de 7 meses. “Retornei ao meu curso na UECE e me deparei com uma grande dificuldade em conciliar os estudos com os cuidados que eu tinha de ter com uma criança que não andava, nem falava, que possuía uma relação de dependência muito maior do que hoje”, comentou.

Denise tem uma rotina agitada e afirma que todo o seu estresse diário está ligado à sobrecarga de atividades e às dificuldades encontradas no caminho, como o uso de transporte público. “É ônibus para estudar, ônibus para trabalhar, má alimentação, e então surge um estresse que eu provavelmente só tenho por necessidade financeira e pessoal, e isso é o resultado de ser mãe”. Embora exista esse lado negativo, a jovem ressalta que o prazer da maternidade é imensurável. “A Luna é minha válvula de escape para os maus dias, para o meu mau humor”.

Texto: Larissa Vieira e Lucas Castro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s