[Ensaio] O que tem no mercado?

Vista do Mercado São Sebastião. Foto: Eduardo Cunha
Vista do Mercado São Sebastião. Foto: Eduardo Cunha

O ensaio de hoje foi feito no Mercado São Sebastião pelo aluno de Publicidade e Propaganda da Unifor, Eduardo Cunha. O aluno, que também é o bolsista da central de fotos do Núcleo Integrado de Comunicação (NIC), fotografou um dos mercados mais tradicionais da cidade de Fortaleza.

Panelada, carneiro, tripa, celular, lâmpada, carne moída, Deus, língua ao molho, torneira, almofada, assado de panela, acerola, cano, ralo, sarrabulho, bicicleta, privada, fígado, cordel, placa, panela, cueca, galinha caipira, almodega, peixe, graviola,  alho, colher, sapato, cinto e planta medicinal. Tudo com atendimento personalizado. O ensaio faz parte de um grupo de fotógrafos, 202b,  dedicado a desenvolver um trabalho autoral independente, usando o universo das artes visuais, ao transitar em linguagens como vídeo, fotografia, pintura e desenho.

[Ensaio] No barco

Escambo contemporâneo? Foto: Pedro Cela
Escambo contemporâneo? Foto: Pedro Cela

São cinco dias de viagem rio acima. Percorremos 1.600km passando por onze cidades para abastecer o barco com vários produtos a serem levados até Manaus. O barco não é preparado para turismo. É o transporte semanal das pessoas que moram em cidades  à beira do Rio Amazonas. Então, durante esses cinco dias convivi com “o pessoal de lá” dormindo em redes apertadas e comendo quentinhas caseiras de carne ou frango.

Entre o que mais me chamou atenção na viagem estão as crianças ribeirinhas. Meninos e meninas e o seu trabalho. De certa forma um trabalho que se transforma em brincadeira e intercâmbio cultural para estas crianças que moram ali à beira do  Amazonas.

Os jovens habitantes das margens do Rio, em pequenas canoas, remam até o barco pra vender frutas, camarões, vegetais e outros produtos “da terra” para a tripulação do barco. Com uma parte do dinheiro da venda compram um pouco do sabor do “mundo de fora” (chiclete, biscoito, coca cola) e com olhares, conversas com pessoal da cidade, instigam a curiosidade.

O que estes meninos tiram do trabalho? O que este trabalho tira deles? No barco, os meninos observam de onde normalmente eles são observados. E me pergunto, o que será que esses meninos pensam de si próprios ao observar “o seu lugar”. Não deu para responder no dia… Fico com a pergunta na cabeça.  Quem sabe um dia eu volte lá pra descobrir.

Texto: Pedro Cela

O ensaio de hoje foi produzido pelo 202b, um grupo dedicado a desenvolver um trabalho autoral independente, usando o universo das artes visuais e transitando em linguagens como vídeo, fotografia, pintura e desenho. Confira a galeria: