Estudantes da Unifor vencem Prêmio Gandhi de Comunicação

Professor Alejandro Sepúlveda, que representou as ganhadoras na categoria Mídia Impressa. Foto: Agencia da Boa Noticia

As estudantes Maria Falcão e Geovana Rodrigues, do curso de jornalismo da Unifor, venceram ontem, 27, o Prêmio Gandhi de Comunicação na categoria mídia impressa. A premiação individual para estudantes universitários foi de R$ 2.500,00. Idealizada pela Agência da Boa Notícia, o evento contou com Susan Andrews, psicóloga e antropóloga norte-americana, coordenadora do Movimento FIB – Felicidade Interna Bruta, no Brasil.

A matéria intitulada ‘Invisíveis Públicos’, veiculada na revista A Ponte, do Laboratório de Jornalismo (Labjor) da Unifor, deu a Maria e Geovana a chance de se inscrever no Prêmio Gandhi 2012. “Estamos muito felizes de ter esse reconhecimento valioso da Agência da Boa Notícia. Dedicamos este prêmio a todos os moradores da Comunidade do Dendê que nos acolheram e nos ajudaram a mostrar um pouco da história deles. É uma grande honra e uma imensa felicidade!”, declarou Maria Falcão.

 Fórum Comunicação e Felicidade

Em clima de descontração e dispensando o palco para ficar mais próxima às pessoas, Susan Andrews falou sobre a importância da felicidade. Radicada no Brasil há alguns anos, advertiu: “Espero que a minha mensagem vá além da minha gramática incorreta”. E disparou: “O que faz você feliz?” Susan esbanjou simpatia ao falar sobre um nova categoria do ramo científico: a Ciência Hedônica ou Ciência da Felicidade. De acordo com ela, esse novo ramo do campo científico é caracterizado pela fórmula F (felicidade) = G (genes) + C (condições externas e internas) + A.V. (atividades volitivas). Para a Ciência Hedônica, 50% do nosso estado de humor é genético.

Para ela, o medo e a violência chamam mais a atenção do que muitas notícias construtivas. “O mundo mau e perigoso da televisão estimula a sensação de perigo, que, muitas vezes, não corresponde ao real”, alerta.

Texto: Glauber Peixoto

Labjor ganha dois prêmios em Expocom nacional

Marilia Pedroza e Renata Frota, premiadas na Expocom 2012,com o coordenador de Jornalismo, Wagner Borges. Foto: Paulo Roberto Ribeiro

O jornal impresso Fôlego e a revista A Ponte são os melhores do Brasil, de acordo com a premiação da Exposição de Pesquisa Experimental em Comunicação de 2012 (Expocom). Os dois produtos são semestrais e desenvolvidos no Laboratório de Jornalismo da Unifor (Labjor), sob a orientação dos professores Janayde Gonçalves e Alejandro Sepulveda. As ex estagiárias do Labjor, Marilia Pedroza, Luana Benício e Renata Frota, foram responsáveis pela apresentação dos trabalhos.

A entrega do prêmio aconteceu no encerramento do XXXV Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação (Intercom), no dia 07 de setembro na Unifor. Antes disso, os produtos são avaliados em etapas local, regional e nacional. Na fase local os professores indicam o trabalho que deve ser apresentado no congresso regional. Nessa etapa um juri virtual avalia o paper produzido pelos alunos e selecionam o melhor para concorrer com trabalhos de outras regiões. Durante o congresso nacional os selecionados na regional apresentam suas pesquisas para um juri, que indica os vencedores.

Para Luana Benício, que apresentou o Fôlego, a experiência de participar do Expocom foi recompensadora. “Ano passado eu resolvi deixar em segundo plano a minha vida de atleta para me dedicar mais ao Jornalismo, estagiando no Labjor. Ver que meu trabalho deu fruto foi maravilhoso, fiquei muito emocionada”, explica.

A edição premiada de A Ponte tem como tema principal Invisíveis e marca os 10 anos do curso de Jornalismo da Unifor. Já o Fôlego, caderno de esportivo que busca mostrar atividades pouco divulgados na grande mídia, trouxe como destaque reportagens sobre futebol americano no Ceará e Sleckline, esporte sobre uma corda bamba.

Além dos dois prêmios na categoria Jornalismo, estudantes da Unifor conquistaram ainda prêmios nas categorias Publicidade e Audiovisual. O aluno de Publicidade e Propaganda, Bruno Guilherme, conquistou a melhor ilustração, com seu trabalho sobre Google Docs, enquanto a recém graduada em Audiovisual e Novas Mídias, Danielle Rotholli ganhou prêmio pelo programa Cineclube da TV Unifor.

Texto: Lorena Cardoso
Orientação: Profa. Adriana Santiago 

Fim do mistério da nova logomarca de A Ponte

Eleita por 110 votos, a criação de Vicente Leite é a mais nova logo da revista A ponte/ Foto: Iago Ribeiro

O anúncio da logomarca vencedora aconteceu nesta manhã, durante a comemoração dos 10 anos do curso de Jornalismo no teatro Celina Queiroz. A nova logo é criação do estudante de Publicidade e Propaganda, Vicente Leite. Ele conta que procurou manter na logomarca o conceito da revista, que é feita por estudantes da disciplina de Impresso II. Vicente, de maneira muito simples, ressaltou uma ponte suspensa, que liga as duas pontas do nome da revista, expressando integração. “Fiquei surpreso com o resultado, desde que a minha criação ficou entre as quatro que escolhidas para irem a voto público. Mas fiquei muito feliz pela escolha.”, disse o estudante.

A votação para a escolha da logomarca ocorreu em duas etapas. Na primeira, foram selecionadas quatro peças, todas de autoria de estudantes de Publicidade e Propaganda do NIC. Na segunda etapa, os estudantes de jornalismo foram convocados para a escolha de uma entre as quatro. No total, foram 110 votos.

Texto: Lorena Cardoso
(lorenacardoso@hotmail.com)
Orientação: Prof. Júlio Alcântara 

Mais expectativas para a nova logo d’A Ponte

A comissão responsável pela apuração dos votos da nova logamarca da revista A Ponte optou por transferir a divulgação do resultado para o III Fórum de Comunicação (FOCOM), organizado pelos dois cursos de Comunicação Social da Unifor. O evento ocorrerá no dia 17 de novembro no Teatro Celina Queiroz, onde também ocorrerá a comemoração dos 10 anos do curso de Jornalismo.

Até lá!