Realizadores do Cine Holliúdy arracaram gargalhadas no Focom

Da esquerda pra direita: Halder Gomes, Glauber Filho e Edimilson Filho. Foto: Daniel Brainer
Da esquerda pra direita: Halder Gomes, Glauber Filho e Edimilson Filho. Foto: Daniel Brainer

Eita menino, que a 6ª edição do Fórum de Comunicação (FOCOM) hoje foi massa ó! No Teatro Celina Queiroz, foi um rebuliço só! Era aluno veterano e novato até dizer chega. Eles deram logo de cara com a apresentação da equipe de professor dos cursos de Jornalismo, Publicidade e Propaganda e Audiovisual da Unifor.

O diretor e o protagonista do filme Cine Holliúdy, que vai estrear nos cinemas do Ceará na próxima sexta-feira, 9, foram os convidados de honra. O longa é inspirado no curta-metragem “Cine Holliúdy – O Astista Contra o Caba do Mal”, que foi visto em 80 festivais de 20 países, premiado 42 vezes.

Foto: Daniel Brainer
Foto: Daniel Brainer

Glauber Filho, professor e diretor de cinema, já começou dando o grau no debate, quando o ator Edmilson Filho começou se apresentando com o nosso vocabulário “cearês”.

Também estava presente o diretor premiado, Halder Gomes, cabra arretado que também dirigiu o longa “As Mães de Chico Xavier”. Chegou logo com uma chuva de “Ieiiii”.

O Ceará não arreda o pé nem para Hollywood

Foto: Daniel Brainer
Foto: Daniel Brainer

Cine Holliúdy é um filme que busca trazer ao público, por meio da história de um amante de cinema do interior do Ceará, uma das características mais fortes da cultura cearense: o vocabulário. “É um filme que tem a gaiatice cearense, mas cada público tem sua visão particular. No Japão, por exemplo, eles acharam o filme um pouco violento porque tem um personagem que dá um peteleco no ouvido do outro e o chama de fuleragem”, declara Halder Gomes.

Diante desse cenário, Francisgleydisson (Edimilson Filho) sonha com um cinema popular na sua cidade e luta para que o espaço cinematográfico seja conquistado. Por ter o “cearês”, o filme conta com legendas para um melhor entendimento do público. “ O filme tem legenda exatamente para quem não entender. O nordeste tem uma diversidade própria. Essas produções que vem do sul para cá, muitas vezes não retratam como somos”, pontua o diretor.

Foto: Daniel Brainer
Foto: Daniel Brainer

Já Edimilson acha que o público não tem dificuldade de entender o vocabulário que , mesmo com gírias, traduz um linguajar único do nosso estado. “Não tem essa dificuldade do público entender não. Na verdade, eles acham até interessante. É uma tentativa de levar nossa cultura feita por gente daqui do Ceará para o mundo, e não só a cultura nordestina criada no eixo Rio-São Paulo”, explana.

Lista das cidades que exibirão o filme:

Caucaia – Cinesercla Iandê Shopping Caucaia
Fortaleza – Arcoplex Patio Dom Luis
Fortaleza – Arcoplex Del Passeo
Fortaleza – Arcoplex Aldeota
Fortaleza – Centerplex Via Sul Shop. 6
Fortaleza – Benfica 3
Fortaleza – Uci Shopping Iguatemi 12
Fortaleza – North Shopping 6
Limoeiro do Norte – Cine Francisco Lucena
Sobral – Cine Renato Aragão 3

Texto: Priscila Baima