Curso de Belas Artes realiza leitura das obras de Nelson Rodrigues

O grupo realiza homenagem ao centenário do escritor e jornalista pernambucano / Foto: Divulgação

O grupo de leitura de peças teatrais do curso de Belas Artes da Unifor, com orientação dos professores Eliane Diógenes e Manoel Moacir, abriu espaço na última quarta-feira, dia 11 de abril, para a leitura da obra do dramaturgo Nelson Rodrigues, Álbum de família.

Os encontros, que acontecem das 17h30 às 20h30 (EF tarde e AB noite) na sala N 31, serão mensais e ocorrem de forma despojada. Com a realização de movimentos corporais, o grupo permite que o convidado participe de uma integração intensa com outras pessoas. Este momento coeso, mesmo por um curto tempo, possibilita ao aluno, professor ou funcionário se distrair de sua vida cotidiana enquanto incorporam personagens em todos os níveis dramáticos.

A escolha do escritor e também jornalista não foi à toa, o feito se dá em homenagem ao seu centenário, comemorado este ano (2012). E para quem não quer perder o próximo encontro, erá no dia 9 de maio (quarta) com o texto Os Sete Gatinhos.

Serviço:

Grupo de Leitura de Peças Teatrais do curso de Belas Artes da Unifor
Próximo encontro: 09 de maio (quarta-feira)
Horário: 17h30 às 20h30 (EF tarde e AB noite)
Sala: N 31.

Texto: Fernanda Carneiro
Orientação: Profa. Janayde Gonçalves

Filho de Portinari, Portinari é

João Cândido Portinari / Foto: Lucas Marinho

“Entendam isso não como uma palestra, mas como uma conversa entre amigos”. Assim foi o início de uma longa e proveitosa conversa entre João Cândido Portinari e todos que, hoje, compareceram ao auditório da biblioteca na Universidade de Fortaleza (Unifor).

Continue lendo “Filho de Portinari, Portinari é”

[Ensaio] A expressividade da arte cênica

Este slideshow necessita de JavaScript.

Os gregos incorporaram o teatro nas suas rotinas e o popularizaram de tal forma que é impossível falar do tema e não lembrar dos termos comédia e tragédia, construções gregas. No entanto, a arte de dançar, encenar e compor personagens não surgiu na Grécia antiga – como muitos pensam -, foi em tempos anteriores. Quando e onde essa prática artística teve início até hoje é uma dúvida. Mas seja em rituais, festas religiosas ou em templos de Deuses, fazendo rir ou chorar, a tônica é uma só, a da expressividade. O ensaio dessa semana representa um pouco da arte cênica. Ele foi realizado pelo olhar de Mariana Parente, aluna do professor Júlio Alcântara, na disciplina de Fotojornalismo.  A fotógrafa acompanhou o grupo de pesquisa em teatro físico visual coordenado pela professora Caroline Cavalcante do curso de Belas Artes da Universidade de Fortaleza.

Texto: Thalyta Martins

Orientador: Profa.  Janayde Gonçalves

Professor e alunos representam o Ceará e a Unifor em exposições de arte internacionais

Fotos: arquivo pessoal

Usamos os espelhos para ver o rosto e a arte para ver a alma’’ – já dizia George Bernard Shaw, o famoso dramaturgo, romancista, ensaísta, contista e jornalista irlandês. Mas realmente, o que é a arte senão uma das maiores e mais apaixonantes formas de expressão da nossa alma, da nossa essência? É essa a mentalidade que encontramos no corpo docente e discente do curso de Belas Artes na Unifor. Dedicados e apaixonados, eles batalham para serem reconhecidos como artistas. E parece que tem dado certo.

Professor Eduardo Oliveira

Um exemplo disso é Eduardo Oliveira, professor do curso que é uma referência não só para os alunos, mas também para os artistas cearenses. Ele pertence à Academia Nacional de Artes Plásticas, Anap, e é o único representante do Ceará. Já participou de exposições na Alemanha e na Espanha e é ganhador de vários prêmios. Esse ano, a Anap convidou alguns de seus membros para participar de uma exposição no museu do Louvre, em Paris, e o professor Edu foi um dos felizardos. Ele vai expor uma de suas pinturas juntamente com outros grandes artistas nacionais.

A exposição acontecerá no Carrousel du Louvre, onde fica a famosa pirâmide invertida, nos dia 21, 22, e 23 de outubro no horário normal de funcionamento da entidade. Dez obras serão premiadas e o primeiro lugar receberá um prêmio em dinheiro. Elas serão avaliadas pelos próprios curadores do museu, que são profissionais capacitados responsáveis pela concepção, montagem e supervisão de uma exposição de arte.

Continue lendo “Professor e alunos representam o Ceará e a Unifor em exposições de arte internacionais”

Exposição abre I Semana de Belas Artes

Fotos: Jivago

Prossegue até amanhã, dia 19, a I Semana de Arte do Curso de Belas Artes da Universidade de Fortaleza . O encontro, organizado por alunos, professores e coordenação do curso, tem o objetivo de dar boas vindas aos novos estudantes, apresentar trabalhos realizados e incentivar a produção artística.

Os alunos são responsáveis por todos as atrações. A curadoria da Exposição Mestres e Aprendizes que está no hall da biblioteca, por exemplo, é composta por alunas da disciplina de produção cultural e eventos. A mostra permanecerá até o dia 12 de junho e expõe obras de docentes e discentes. Hirma Castro, 5º semestre, faz parte da organização e fala que objetivo é “promover e divulgar o Curso de Belas Artes, com a idéia de transmitir em diferentes setores, os frutos da disciplina Técnicas de Materiais Experimentais”.

Ponte para o infinito

O tema escolhido é auto-retrato, tendo como base a arte contemporânea conceitual. Uma das expositoras, a aluna Diana Rocha, autora da assemblagem Ponte para o infinito, conta que teve como inspiração para construir sua obra a ‘identificação com seu interior’: “pensar sobre si mesmo para escolha do material, buscar a criação me levou a concluir que, tanto a busca, quanto a criação, são infinitas. A escada para o infinito representa que estou em algum daqueles degraus”.

O público terá oportunidade de observar esculturas, pinturas, desenhos (obras em papel: pastel, nankin, xilo), releituras de Van Gogh e Cezanne, xilogravuras, serigrafia e instalações.

O aluno Otávio Medeiros, do curso de Ciência da Computação, visitou a exposição e falou de suas impressões: “Não tinha visto nada parecido na Unifor antes, e o inusitado me chamou atenção. A exposição me trouxe indagações por apresentar coisas bem diferentes. Fiquei impressionado com a visão artística dos autores. É privilégio nosso ter acesso a esse tipo de arte no campus”.

Programação

17/05

15h30 – Aula aberta ao público (Centro de Convivência)

17h – Corte da fita de inauguração (Bloco N)

17h20 – Esquete (Bloco N)

18/05

17h – Performance (Biblioteca)

18h- Cerimônia da espiral (Auditório da biblioteca)

19h – Coquetel de abertura da Exposição Mestres e Aprendizes (Hall da biblioteca)

19/05

17h – Seminário Teatro Brasileiro em Pauta B de Paiva (Auditório da biblioteca)

Serviço

Exposição Mestres e Aprendizes

de 17 de maio a 12 de junho, no Hall da biblioteca

Mais Informações

http://mestreseaprendizes.blogspot.com/

Texto de Érika Zaituni