“Não tem dinheiro para educação, mas tem dinheiro para investir no Castelão”

Foto: Humberto Mota
Foto: Humberto Mota

Foi com essas palavras que, hoje, 19, a avenida Alberto Craveiro e a BR-116 não foram as mesmas. Contando com mais de 80 mil pessoas, a manifestação + Pão – Circo, Copa pra quem? tomou a avenida que fica ao lado do Supermercado Makro.

Num ritmo contagiante e com cartazes que chamavam a atenção pela criatividade, os manifestantes começaram a congestionar a avenida em direção ao estádio Castelão. Iniciada às 10 horas da manhã, a + Pão – Circo estava apenas começando.

 Os manifestantes concentraram-se durante duas horas na avenida. De acordo com  a Polícia Rodoviária Estadual (PRE), por volta do meio dia, o movimento já estimava 50 mil pessoas. Passada essa hora, o movimento foi em direção ao Castelão, porém havia  barreira do Batalhão de Choque da Polícia Militar, que bloqueou o acesso à Arena na avenida Alberto Craveiro. As pessoas pediam passagem e gritavam palavras de ordem.

Foto: Misael Parente
Foto: Misael Parente

Segundo a estudante de jornalismo, Thaís Praciano, que esteve no local, a manifestação, mesmo com alguns problemas de dispersão, serviu para marcar o que ela acredita. “O único problema real para mim foi a grande dispersão do grupo no começo, além do percurso muito longo no sol quente. Fora isso, esse dia ficou marcado na minha vida como o dia em que fui pra rua lutar pelo que acredito. Todo mundo que estava lá deve ter se sentido assim, como parte de algo muito maior”, declara.

Por volta de 12:30h, o movimento recuou e seguiu em direção a BR-116. Em minutos, os manifestantes ocuparam a BR, bloqueando o trânsito nos dois sentidos. Já somava-se mais de 80 mil pessoas indo em direção ao estádio.

“Seu guarda seja meu amigo”

Foto: Rafael Allan
Foto: Rafael Allan

Dentre as manifestações que estão acontecendo pelo país inteiro, pode-se destacar casos de abuso de poder, como foi o caso da repórter Giuliana Vallone, da Folha de S.Paulo, atingida no olho por bala de borracha disparada pela PM. Em Fortaleza, também aconteceu exemplos de violência contra os manifestantes. O fotógrafo, Rafael Allan, enfatizou o abuso de autoridade por parte dos policiais militares, tanto com ele e seus amigos, quanto com os jornalistas que estavam presentes.

Sofremos repressão por parte da Polícia Militar, mesmo fazendo parte da mídia. Eu fiquei sem acreditar no que estava acontecendo, pois a manifestação era nada mais do que pacífica. Atiraram na gente!”, desabafa Rafael.

Foto: Rafael Allan
Foto: Rafael Allan

O estilista, Marcelo Lima, que também esteve presente no ato, também sofreu abuso. “Eu fui um dos atingidos por uma bomba de gás, assim como muitos outros. Infelizmente caí, me machuquei e, por pouco, não fui pisoteado por manifestantes desesperados em meio a covardia da polícia”. Marcelo disse ainda que “algumas poucas reações violentas foram vistas, por parte de alguns grupos isolados, mas estas só tiveram início após o ataque gratuito do batalhão de choque, que nos atacaram com bombas de gás e bombas de efeito moral disparadas para dentro da multidão”.

+ Pão – Circo, Copa pra quem? é uma das muitas manifestações que estão acontecendo pelo Brasil inteiro. Os objetivos dos atos são diversos, como a melhoria na saúde e educação, gastos maciços para a Copa, corrupção, PEC 37 e aumento de passagens dos transportes públicos.

Texto: Priscila Baima

Confira a galeria:

Este slideshow necessita de JavaScript.

[Série] Mobilidade Urbana para a Copa: vai dar tempo ?

Matéria produzida pelos alunos da oficina de jornalismo 2012.1

Mapa das obras – Foto: http://www.portal2012.org.br

Fortaleza vai receber obras importantes de mobilidade urbana para a Copa de 2014. A cidade detém hoje, o segundo trânsito mais complicado do país , só perdendo para São Paulo. Quem mora aqui, sabe a dificuldade de locomoção , principalmente nos horários de pico. Além da falta de planejamento e alargamento de vias, a situação do trânsito na cidade, se agrava mais ainda, por conta de cerca de 5.ooo novos carros , que passam a circular em Fortaleza todos os meses, segundo a estimativa do DETRAN. Se os motoristas sentem dificuldade de locomoção no dia-a-dia imaginem numa Copa do Mundo , onde Fortaleza vai receber um público de 3 milhões de pessoas, por isso a importância dessas obras. Sem elas, seria praticamente impossível a realização de uma Copa em Fortaleza.

Mas será que vai dar tempo fazer tantas obras? Para fazer o acompanhamento dos acontecimentos que envolvem o processo de mobilidade urbana para a Copa, preparamos um memorial de links de matérias e multimidialidade , onde o leitor poderá acompanhar passo-a-passo o andamento dos trabalhos.

As obras de mobilidade urbana para a Copa de 2014 deram início no dia 24 de janeiro deste ano. A prefeita Luizianne Lins e o coordenador de Projetos Especiais Geraldo Accioly acompanharam os primeiros trabalhos que foram feitos no cruzamento da Via Expressa com a avenida Abolição, conforme matéria publicada no site portal 2012. Mais quatro avenidas estão inclusas no processo: Dedé Brasil, Alberto Craveiro, Paulino Rocha e Raul Barbosa.

Quando falamos em obras nas vias urbanas de Fortaleza, logo pensamos nos engarrafamentos que são constantes no nosso dia-a-dia, imagine como será transitar na cidade durante as obras . Segundo informação do site, as vias serão interditadas parcialmente, com uma faixa por sentido bloqueada. Os trabalhos ocorrerão no período da madrugada, entre 21h e 5h, para não trazer transtornos maiores, nos horários de pico. A obra foi orçada em R$ 145 milhões e as intervenções foram inicialmente, conduzidas pela Delta Construções e a previsão de conclusão é para agosto de 2013.

Podemos ver mais detalhes sobre o início das obras de mobilidade urbana, neste vídeo de uma matéria da TV Jangadeiro que adianta informações da segunda fase do projeto, como recapeamento e sinalização das vias envolvidas no projeto e a construção de túneis na via expressa .Nessa segunda etapa, outras ruas passarão por intervenções , como Dedé Brasil, que receberá implantação de corredores exclusivos para ônibus e construção de viadutos. A avenida Alberto Craveiro receberá alargamento para 4 faixas, corredor de ônibus e construção de túnel. Ao contrário do que disse o site Portal da Copa, nessa matéria, as obras foram orçadas em 261 milhões.

Os fortalezenses já pouco acreditavam na conclusão das obras de mobilidade urbana da capital cearense. Depois de iniciadas, as atividades andavam meio lentas . Para piorar a situação, as obras, que são de responsabilidade da Prefeitura de Fortaleza, foram interrompidas quatro meses depois do início pois a construtora responsável, Empresa Delta Construções S/A, pediu recisão de contrato. Como se pode acompanhar nessa reportagem .

A nossa equipe entrou em contato com a Coordenadoria de Projetos Especiais e Relações Institucionais e Internacionais ( Cooperii) para obter uma posição a respeito das obras na cidade, a mesma não concedeu a entrevista, alegando que devido ao imprevisto, os coordenadores e engenheiros não estariam autorizados a conceder entrevistas, até que fosse resolvido o empecilho e que o novo processo licitatório fosse lançado. Um mês após anunciar a saída da Delta, a prefeitura anuncia o novo edital para as obras de 2014. A previsão é que as obras tenham início em setembro deste ano e a nova construtora terá que trabalhar dia e noite para não atrasar a entrega , que deverá ser em dezembro de 2013, conforme informado nesta matéria.

Segundo o coordenador de projetos especiais da prefeitura, Geraldo Aciolly, com o novo cronograma do edital, a prefeitura fará o máximo para cumprir as metas no prazo. E aí, será que vai dar tempo?

Texto: Rosanni Guerra e Thayane Silva 
Orientação: Profa. Adriana Santiago

Revista eletrônica sobre os preparativos da cidade para a Copa é lançada

Foto: Divulgação

A revista eletrônica Imagina na Copa? foi lançada esta semana. A produção ocorreu durante o primeiro semestre de 2012 pelas 20 alunas da Oficina de Webjornalismo, do curso de Jornalismo da Unifor. As matérias publicadas na revista serão reproduzidas pelo Blog do Labjor durante o mês de julho. A professora Adriana Santiago, responsável pela disciplina, explica que todos os assuntos decorrem em volta do macrotema “como ficará a vida da cidade de Fortaleza (CE) em 2014, com o início da Copa do Mundo?”. Todavia, as matérias, por mais que permeiem sobre o tema da Copa, falam sobre os mais variados assuntos, onde muitos refletem a ideia dos problemas de infraestrutura da cidade, matérias que explicam o investimento do setor hoteleiro, do transporte urbano em Fortaleza, sobre estudantes que fazem intercâmbio para aprender inglês e até sobre o trabalho infantil no Ceará.

“A disciplina foi muito proveitosa, e esse já é o quarto semestre que desenvolvemos a revista eletrônica”, conclui satisfeita a professora Adriana. E, segundo ela, o objetivo da disciplina é fazer com que os alunos se aproximem dessa nova forma de escrever, de trabalhar o jornalismo na internet. Durante o semestre os alunos desenvolvem um ciclo de palestra, chamado Ciberdebates, além de uma série de reportagens colaborativas. Neste semestre a série foi Desafios da Formatura, publicada entre os dias 23 de abril e 11 de maio, no Blog do Labjor. Por fim, um blog temático, o qual recebe o nome de revista eletrônica por ser um blog de conteúdo fixo, onde os próprios alunos escolhem o tema. Em 2011, a revista da disciplina feita em 2010.2 Cibergentil foi premiada no Intercom Nordeste como Jornalismo digital (avulso), assim como a matéria do aluno Raone Queiroz, no 3º Prêmio Nacional ESMPU de Jornalismo Universitário.

Texto: Ahynssa Thamir
Orientação: Profa. Adriana Santiago

Ciberdebates: Copa do Mundo é a discussão da vez

Ferruccio Feitosa, Jocélio Leal e Ívila Bessa / Fotos: João Romero e Roberto Barros

Com o tema “Copa do Mundo de 2014 – Desafios de uma Cobertura Online”, cerca de 200 alunos dos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda da Unifor lotaram, hoje (25), o auditório da biblioteca da Universidade para assistir ao Ciberdebates, evento organizado por alunos da disciplina de Oficina em Jornalismo do curso de Comunicação Social, ministrada pelas professoras Adriana Santiago e Joana Dutra. Continue lendo “Ciberdebates: Copa do Mundo é a discussão da vez”