Corridas de rua tem cada vez mais adeptos

Ricardo Borges, educador físico, correndo em Salvador (BA), 2009. Foto: Acervo Pessoal

As atribulações do dia-a-dia fazem com que muita gente procure a prática da corrida de rua como esporte. A grande vantagem é que a atividade pode ser adaptada aos horários livres de cada um. Em Fortaleza, diversos eventos são organizados para as pessoas que gostam de competir ou de alcançar melhores resultados físicos nas corridas. A estudante Liane Bastos, 18, afirma que começou a correr para emagrecer, mas hoje virou hábito. O que antes era uma obrigação, agora é prazer. “Para correr não tem idade, basta querer praticar e se superar”, atesta.

O educador físico Ricardo Borges, 38, explica “para quem deseja começar a correr, o exercício tem que começar aos poucos, devagar e aumentando o ritmo e a distância gradativamente”. Borges lembra que antes não existiam grupos preparatórios para as corridas, as pessoas começavam por afinidade e sem a orientação de um profissional. “Hoje, os educadores físicos são mais requisitados pelos iniciantes do esporte, mas ainda acho que a maioria começa sozinho e vai se interessando para participar das competições,” conclui.

O publicitário Sérgio Aragão, participa principalmente de meias maratonas ou de corridas de 10km. “Meu objetivo é viver 100 anos e correr é um hábito saudável. Para quem vive trabalhando e nas atribulações do dia-a-dia a prática ajuda muito no bem estar” comenta.

As próximas corridas de rua em Fortaleza acontecerão nos dias 26 de agosto e 01 de setembro. Para mais informações acesse o site dos Corredores de Rua do Ceará.

Texto: Louise Mezzedimi
Orientação: Profa. Joana Dutra