Discussão sobre Estado Laico é tema de debate no campus

E eu com isso

O Pastor Marco Feliciano, Presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias, certa vez afirmou que “O Estado é Laico, mas não é ateu! O Brasil é um país laico-cristão”. O Brasil adota em sua constituição o estado laico, o que proíbe que a União, os Estados e os Municípios estabeleçam cultos e alianças com igrejas ou representantes delas.No entanto, nem sempre isso é respeitado. A Câmara de Fortaleza, por exemplo, aprovou um projeto que inclui na programação da TV Fortaleza a veiculação de um ato de natureza religiosa.

Em meio a esta polêmica, os alunos de Ética e Cidadania em Jornalismo e de Filosofia do Direito promoverão o debate: Estado Laico x Religião. O evento, que acontece no Teatro Celina Queiroz, às 8h, faz parte do projeto “E eu com isso?”, que já chega a sua 5ª edição. Para o debate, três nomes foram escolhidos: Martônio Mont´Alverne, jurista, professor da Unifor, procurador do Município de Fortaleza; Carlo Tursi, teólogo, integrante da coordenação das Comunidades Eclesiais de Base (CEBS) e Vanderlúcio Souza, editor do blog cristão (católico) Ancoradouro.

O evento é promovido pela professora Sandra Helena, articulista do jornal O POVO.Já na mediação, o nome escolhido foi o do diretor institucional do O POVO, jornalista Plínio Bortolotti, que se mostrou bastante empolgado com o evento. “É um tema que está na ordem do dia. As discussões sobre religião e política estão em alta e é importante que possamos debater sobre o assunto”, disse.

Bortolotti tem experiência no projeto “E eu com isso?”, tendo sido debatedor em outras oportunidades. “Eu já participei de alguns de eventos e posso dizer que são muito dinâmicos, com a participação constante dos alunos”, exaltou o jornalista. O debatedor Matônio Mont’Alverne fará sua estreia mas espera ver o Teatro lotado. “Espero que os alunos compareçam em peso”, disse.

“É um debate muito interessante. A pluralidade de opinião sempre deve ser respeitada. O tema é bastante polêmico. O Estado Laico sempre gera muita polêmica”, comentou.

 

Serviço

Debate “Estado Laico – E eu com isso?”

Data: 29 de maio
Local: Teatro Celina Queiroz
Horário: 8h

Texto: Juliano de Medeiros

Representação da mulher e o machismo na mídia: E eu com isso?

Mesa de debatedoras: Letícia Abreu, Lola Aronovich, Sandra Helena e Inês Detsi (da esquerda para direita). Foto: Gabriela Nunes

Em sua quarta edição, o debate “E eu com isso?”, produzido pela disciplina de Ética e Cidadania em Jornalismo, reuniu dezenas de estudantes de diversos cursos para debater a representação da mulher na mídia, comumente exposta de forma machista. Foram quase três horas de debate, em que os convidados trocaram suas reflexões com o público sobre machismo, feminismo e movimentos sociais. O “Mulher não é mercadoria. E eu com isso?”, aconteceu nessa manhã na Unifor, com a participação de Lola Aronovich, Maria Inês Detsi e Letícia Abreu.

Para a professora Lola Aronovich, conhecida por seu blog que aborda questões feministas, “a mídia não é a única vilã. Ela reflete o senso comum, que vê na mulher apenas duas funções: decorativa e maternal.”Lola ainda exemplificou com manchetes de jornais, reportagens de web e matérias de televisão, que a mídia é machista. Como fonte principal para os exemplos de Lola, a cobertura esportiva geralmente expõe o corpo da mulher e ressalta no trabalho de grandes atletas características femininas, seja o esmalte, a beleza ou a maternidade.

A professora Inês Detsi buscou nas raízes históricas a contextualização do tema . Já a estudante Letícia Abreu, que também participou da mesa, falou de seu trabalho junto a organização feminista Mucama, que promove rodas de conversa e intervenções na cidade, para sensibilizar a sociedade para a causa feminista. Elas já organizaram, no inicio do semestre, uma marcha contra a mídia machista. Você pode conferir abaixo um vídeo desse ato feminista e, caso se interesse pelo trabalho do grupo, pode entrar em contato pelo Facebook e participar de outras ações da Mucama.

Débora Coelho, estudante de Psicologia, elogiou o debate: é importante, interessante e necessário estimular o senso crítico, é um primeiro passo.

De acordo com a professora Sandra Helena, que orienta os debates “E eu com isso?”, a turma ainda deve produzir um material escrito sobre esse tema, que será compartilhado com a comunidade.

Indicações de Inês Detsi para conhecer mais sobre esse assunto:
[O que ler]  Um é o Outro – Elisabeth Badinter
A dominação masculina – Pierre Bourdieu
[O que ver] Tempo de Espera

Texto: Lorena Cardoso

Machismo na mídia em discussão

Foto: Divulgação

Organizado por alunos da disciplina de Ética e Cidadania em Jornalismo da Unifor, o debate “Mulher não é mercadoria. E eu com isso?” vai reunir pesquisadores e interessados no tema para analisar como a mídia atual trata algumas questões feministas. Também, deve questionar se os veículos de comunicação estão assumindo ou não um papel machista diante das mulheres. O evento, que tem a orientação da professora Sandra Helena, acontecerá dia 26 de novembro, às 9h, no auditório A2.

Juliana Teófilo, estudante de Jornalismo e uma das organizadoras, conta que o acontecimento pretende “estabelecer uma discussão não só entre mulheres, mas também entre homens para ver até que ponto eles concordam que essa mídia é machista”. Além dos estudantes da disciplina de Ética, o evento conta com a participação de três convidadas: Lola Aronovich, Maria Inês Detsi e Letícia Abreu.

Conhecida nacionalmente pelo seu blog “Escreva Lola Escreva”, Lola Aronovich, vai estar pela primeira vez na Unifor. Ela é professora da Universidade Federal do Ceará (UFC) e Doutora em Literatura da Língua Inglesa pela UFSC. Seu canal virtual é famoso por levantar a bandeira do feminismo e denunciar casos de de machismo na sociedade e na mídia. Maria Inês Detsi é professora da Universidade de Fortaleza e Doutora em Sociologia pela Universidade Federal do Ceará. A terceira convidada, Letícia Abreu é estudante de Direito e integrante da organização feminista MUCAMA.

Para mais informações e discussões prévias, a organização evento está presente nas redes sociais: Facebook e Twitter. Os alunos da Unifor que participarem terão direito a duas horas de atividade complementar, de acordo com a professora Sandra Helena. As inscrições serão feitas no local.

Serviço:
“Mulher não é mercadoria. E eu com isso?”
Quando? 26 de novembro, segunda
Horário? 9 horas
Onde? Auditório A2, Unifor
Aberto ao público

Texto: Iara Sá e Lorena Cardoso