Busca por intercâmbio cresce entre universitários

O meio acadêmico é um espaço que deve ser aproveitado pelos alunos de todas as maneiras possíveis. Além de oportunidades de estágios, grupos de pesquisa e projetos, uma alternativa muito procurada ultimamente é o intercâmbio acadêmico. A oportunidade de visitar outro país e ainda ter a chance de estudar um idioma e conhecer culturas diferentes é uma experiência que enriquece muito a formação de qualquer profissional, além de proporcionar uma bagagem bem mais rica.

Foto: Arquivo pessoal
Mariana na Salamanca. Foto: Arquivo pessoal

Mariana Bandeira, estudante de Direito, foi para Salamanca no primeiro semestre de 2012. “Valeu muito a pena porque pude conhecer bastante a Espanha e também viajei muito para outros países que eu sempre quis conhecer: Inglaterra, França, Polônia, República Tcheca etc”. As histórias, claro, são muitas. “Teve uma viagem também que peguei um trem de Cracóvia pra Praga em que quase ninguém sabia falar inglês e fiquei com medo de estar indo na direção errada. Em Londres, eu e meus amigos fizemos a reserva de um albergue e quando chegamos, vimos que era do lado de um crematório e cemitório.”

Mariana em Praga. Foto: Arquivo pessoal
Mariana em Praga. Foto: Arquivo pessoal

Ela escolheu a Universidade de Salamanca por ser uma das mais antigas do mundo, com quase 900 anos, e por ser uma das melhores na área de Direito. Ela é um dos destinos preferidos dos alunos, principalmente por não exigir o diploma de conclusão de espanhol, diferente das outras que exigem a proficiência na língua local.

Matheus Aguirre, também estudante de Direito, foi para lá no mesmo período que Mariana. Ele escolheu Salamanca porque já tinha ouvido falar sobre como era bonita e recebia pessoas de diversos países. Matheus sempre teve vontade de fazer intercâmbio e procurou agências de viagem, mas achou que valeria mais a pena ir pela Universidade.

Matheus em Londres. Foto: Samuel Carvalho
Matheus em Londres. Foto: Samuel Carvalho

“Posso dizer que foi a melhor coisa que já fiz na vida. Conheci gente do mundo inteiro e lugares que sempre sonhei em conhecer.Eu faria de novo e indico pra qualquer um que queira fazer!”. Mas, como em toda viagem, imprevistos acontecem. “Posso citar um ‘golpe’ que levamos do corretor de imóveis, assim que achamos o apartamento pra morar. Acabamos perdendo um dinheiro considerável nisso. Não foi umas boas-vindas muito legal não, mas serviu pra mostrar pra gente que temos que ficar espertos em qualquer lugar do mundo!”

Para aqueles que querem tirar um tempo só para se dedicar ao estudo de outra língua, a viagem também vale a pena. Camila Carvalho, recém-graduada em Jornalismo, viajou por conta própria com as amigas para estudar inglês. Elas fecharam um pacote em uma agência e estão passando seis meses em Londres. “Eu me formei no final do ano passado e vim para estudar inglês em vista da Copa e pretendo fazer algum curso dentro da àrea de jornalismo aqui”. Elas mantêm um blog em que contam suas experiências em um país desconhecido.”

Foto: Arquivo pessoal
Camila e amigas. Foto: Arquivo pessoal

Ainda dá tempo

As inscrições na Unifor para o segundo semestre de 2013 vão até o dia 28 de março, na Assessoria de Assuntos Internacionais, e são mais de 160 instituições conveniadas. Para participar, o aluno deve estar devidamente matriculado na graduação e ter no mínimo 50% dos créditos concluídos da grade curricular, dominar o idioma da universidade   de destino, caso ela o exija, ter o PMG igual ou superior a 7,0 e não estar cursando o último semestre.

A taxa de inscrição é de R$297,00 (não reembolsáveis) e o passaporte deve estar válido no momento da inscrição. O aluno fica responsável pelas suas despesas relativas à hospedagem, alimentação, passagens aéreas e/ou terrestres, visto e seguro/saúde. Ao voltar de viajem, o aluno deve procurar a Divisão de Assuntos Estudantis, DAE, para fazer o aproveitamento de cadeiras, conforme as normas da Unifor.

Marília Ceres em Buenos Aires. Foto: Arquivo pessoal
Marília Ceres em Buenos Aires. Foto: Arquivo pessoal

Marília Ceres, estudante de Jornalismo, está planejando ir para Buenos Aires. “Eu quero fazer intercâmbio porque pra minha profissão me parece ser essencial. Não só pelo aprendizado do idioma, mas pelo contato com pessoas que vivem em outra cultura. Como jornalista, vou ter que aprender a lidar com todo tipo de gente e situação, começar por aí seria ótimo. Escolhi Buenos Aires porque já visitei duas vezes e sou apaixonada pela cidade. juntar o meu carinho por lá com a vontade de fazer intercâmbio só pode resultar em algo bom.”

Oportunidade

Esse ano, para comemorar os 40 anos da universidade, a Unifor vai premiar 4 alunos, um de cada centro, com bolsas para 13 universidades. As inscrições vão até amanhã, dia 15 de março no DAE. Os interessados devem levar o histórico acadêmico com média igual ou superior a 8,0 e nenhuma reprovação, carta de motivação, cópia do passaporte válido até no mínimo junho de 2014 e cópia da proficiência no idioma do local escolhido.

Texto: Thaís Praciano

Unifor expõe estudos da obra de Portinari

Painéis Guerra e Paz de Candido Portinari. Foto: Divulgação

Para abrir a exposição “Guerra e Paz”, que reúne estudos da obra de Cândido Portinari, o filho do artista, João Candido Portinari Filho, ministrará palestra nesta quinta, 25, às 10 horas, no auditório da biblioteca da Unifor. O responsável pelos direitos autorais das obras de Portinari vai falar sobre a trajetória de um dos mais famosos artistas plásticos do mundo. A exposição sobre os painéis “Guerra e Paz” acontecerá no Espaço Cultural Unifor, do dia 26 de outubro a 20 de janeiro de 2013 e terá entrada gratuita.

Os quadros Guerra e Paz foram feitos sob encomenda para a Organização das Nações Unidas e ficam expostos na sede em Nova Iorqueque, no momento, está em reforma. O Espaço Cultural vai expor vários estudos originais da obra e conteúdo audiovisual do legado artísticode Portinari, que tem mais de 5 mil peças que refletem a cultura brasileira e seu povo.

João Candido Portinari Filho falará sobre a carreira de seu pai, que começou na pequena cidade de Brodowski, São Paulo , chegando ao auge com a obra ‘’Guerra e Paz’’ , onde retratou no painel ‘’Guerra’’ o sofrimento das mães com os filhos mortos e em ‘’ Paz’’ crianças brincando, como em muitos de seus trabalhos.

Serviço
Palestra de abertura ”Candido Portinari: Do Cafezal á ONU”
25 de outubro, ás 10 horas no auditório da biblioteca
Inscrições no local

Texto: Lia Moreira