[Ensaio] Festival Eleazar de Carvalho

Foto: Thiago Gadelha
Foto: Thiago Gadelha

O Festival Eleazar de Carvalho chega à última semana de sua 15ª edição e o fotógrafo e estudante de publicidade, Thiago Gadelha, registrou alguns dos momentos das apresentações, como solos, duos e trios feitos no Teatro Celina Queiroz. O festival internacional promove a difusão da música clássica por meio de concursos para jovens solistas e regentes. Desde 2005, a Fundação Eleazar de Carvalho mantém parceria com a Unifor, que oferece a estrutura para que alunos e professores, do Brasil e de várias regiões do mundo, possam se reunir e trocar experiências.

Texto: Thiago Gadelha

Confira a galeria

Este slideshow necessita de JavaScript.

Unifor recebe 15ª edição do Festival Eleazar de Carvalho

Foto: Amanda Carneiro
Alunos aprimoram o aprendizado com cursos e oficinas. Foto: Amanda Carneiro

Desde o dia 30 de junho, está acontecendo na Unifor o Festival Eleazar de Carvalho, trazendo para o ambiente, já marcado pelo canto comum dos pássaros e fontes, os sons de coros e de instrumentos como violoncelos, pianos e oboés.

Eleazar de Carvalho, diretora artística do festival. Foto: Amanda Carneiro
Sônia Muniz Carvalho, diretora artística do festival. Foto: Amanda Carneiro

O festival internacional chega à sua 15ª edição, promovendo a difusão da música clássica por meio de concursos para jovens solistas e regentes, como também através de concertos abertos e gratuitos. “De manhã temos ensaios de banda, de coro e de orquestra; à tarde, aulas individuais e as masterclasses, e todas as noites têm concertos variados”, esclarece Sônia Muniz Carvalho, viúva do maestro cearense Eleazar de Carvalho e diretora artística do festival.

Desde 2005, a Fundação Eleazar de Carvalho mantém parceria com a Unifor, que oferece a estrutura para que alunos e professores, do Brasil e de várias regiões do mundo, possam se reunir e trocar experiências.

Matheus Santos. Foto: Amanda Carneiro
Matheus Santos. Foto: Amanda Carneiro

Em 21 dias de atividades musicais intensas, os jovens, previamente aprovados em testes, têm a chance de aprimorar seus conhecimentos. O aluno Matheus Santos, toca contrabaixo há dois anos e está participando do festival pela primeira vez. “Estou gostando muito. O meu grupo foi convidado para assistir o festival, mas eu ganhei a oportunidade de ficar aqui para ter aula”, revela.

O festival deste ano homenageia Peter Mennin, Almeida Prado, Richard Wagner, Giuseppe Verdi, Camargo Guarnieri e Francis Poulenc, grandes nomes da música erudita.

 

Programação

Teatro Celina Queiroz – apresentações diárias, a partir das 20h30
Teatro José de Alencar – dia 13, 20h. Grátis.
Campus Unifor – dia 21, 19h. Concerto de encerramento.

Texto: Lígia Costa

Música erudita enche o campus

Foto: Débora Queiros

Acontece no campus da Unifor, o XIV Festival Eleazar de Carvalho, entre os dias 1 a 22 de julho, tradicional evento nacional de música clássica que consistem em espetáculos abertos ao público, como apresentações de orquestras, óperas, conjuntos de câmara, corais, além de cursos e oficinas, também promovidos pelo festival em parceria com a Fundação Edson Queiroz.

Pela manhã, de 9h às 12h, ocorrem os ensaios da orquestra no Teatro Celina Queiroz, já no período da tarde, acontecem as aulas individuais, onde os alunos tocam uma peça da sua escolha e são analisados pelos professores, que os ajudam a melhorar o desempenho.

André Bergamaschi, de 21 anos, estuda regência orquestral. Ele avalia que embora essa semana seja a primeira das três que estão previstas, os alunos estão com um ótimo desempenho “mal começou, mas já estou gostando muito do festival, do resultado das aulas e das pessoas que conheci da orquestra”.

O Festival Eleazar de Carvalho é uma ótima oportunidade para aqueles que buscam aperfeiçoamento musical, pois os alunos tem a possibilidade de interagir com um corpo docente renomado no cenário artístico brasileiro e internacional, além da troca de experiências adiuiridas durante o convívio com outros alunos vindos de várias partes do mundo.

É a primeira vez que a estudante de violino Lisieux Rebouças, de apenas 12 anos, participa do festival “estou adorando tudo o que me é possibilitado aqui, pois consigo aprimorar os meus conhecimentos e trocar experiências com pessoas novas que conheço de todo o mundo”.

Lilian Abreu, estudante de violino de 16 anos, também está participando pela primeira vez. “Cheguei aqui pensando que aprenderia tudo de uma vez só, mas entendi que o aprendizado deve ocorrer em partes, e acontece conforme nós tocamos, pois o professor analisa o que está errado e nos ajuda a melhorar”.

Programação

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Texto: Ahynssa Thamir
Orientação: Profa. Adriana Santiago
Fotos: Débora Queirós e Samara Costa