[Foca Nessa] A poesia e a comicidade carioca de Gregório Duvivier

GREG1

Transformar o que é trivial em poesia não é algo raro. Mas Gregório Duvivier, ator, poeta, colunista e roteirista, consegue extrair uma nova visão do cotidiano carioca e do amor irônico, ingênuo e adolescente. Tudo isso em seu novo livro Ligue os pontos – Poemas de amor e big bang, o segundo de sua trajetória como escritor.

A memória coletiva da cidade do Rio, o amor adolescente e a nostalgia irônica fazem da poética de Duvivier ter uma elaboração simples, adotando uma aparência de poesia moderna com poemas sem sinais de pontuação. No livro, o banal e o ordinário, aos olhos de Duvivier, tornam-se extraordinários, principalmente, pela linguagem coloquial.

você é a última dos moicanos no pacote
de jujubas a cereja do bolo no topo
do milk-shake de creme de la crème
brûlée aquela música do cole porter
o topo do top de todos os pokémons
você é aquele que me diz calma tá tudo
bem agora você é o meu beatle preferido
tem dias em que é o george e dias em que
é o paul e dias em que é o chico buarque
e dias em que é aquele feriado que cai
no meio da semana e a gente enforca
pros dois lados imagine um réveillon fora
de época é você uma terça-feira de carnaval
em plena sexta-feira da paixão e minha
paixão é um sábado que não termina nunca.

2013012462854
Gregório Duvivier. Foto: Camilla Maia/O Globo

Fugindo um pouco da poesia prosaísta, Duvivier não se preocupa em ser hermético, em fazer analogias super rebuscadas. O seu diferencial é a comicidade, a chamada “poesia-entretenimento”: surpresas no meio dos versos, alinhadas a falta de pontuação dos poemas, que corta a respiração do leitor.

o bairro de botafogo
se fosse um senhor
usaria óculos fundo
de garrafa e daria
bom-dia aos pássaros
cantores que já não
moram na varanda

Antônio Prata foi preciso em sua definição sobre o novo livro de Duvivier: “Em algum momento da vida as pessoas escolhem se vão ser sérias ou engraçadas. Para a nossa sorte, o Gregório faltou essa aula, sendo capaz, nestes belos e surpreendentes poemas, de extrair melancolia de um Guaraplus e de graça do Big Bang”.

Logo no prólogo, o passo a passo de uma declaração de amor moderna:

Ao se deparar com a coisa mais bonita do mundo:

1. Certifique-se de que ela existe.
2. Observe-a minunciosamente. Pode ser que ela evapore.
3. Ouça a coisa mais bonita do mundo.
4. Deite a coisa mais bonita do mundo sobre a superfície mais confortável do mundo.
5. Ame-a imensamente.

Gregório Duvivier é conhecido pelo grande público como um dos criadores e atores do Porta dos fundos, programa humorístico feito para a internet, com esquetes de humor ácido, urbano e realista. O carioca de 27 anos também é colunista da Folha de S. Paulo, roteirista de seriados da Rede Globo, como o Louco Por Elas, atua no teatro com o Z.É, cenas improvisadas e no monólogo Uma noite na Lua, dirigido pelo seu sogro João Falcão.

Texto: Tatiana Alencar

O despertar de um gigante: ou ficar a pátria livre, ou morrer pelo Brasil

Manifestação no Rio de Janeiro. Foto: Daniel Merenco/Folha Press
Manifestação no Rio de Janeiro. Foto: Daniel Merenco/Folha Press

As ruas do Brasil ganharam mais vida nos últimos dias, em decorrência dos protestos realizados contra medidas governamentais, em prol de implementações e em oposição à realização da Copa do Mundo de 2014 no país.

Os protestos começaram em Porto Alegre, em fevereiro deste ano, atingindo outras cidades brasileiras. Em São Paulo, manifestações pacíficas contra a alta na tarifa de ônibus, anunciada pelo novo prefeito Fernando Haddad, geraram reações violentas por parte da Polícia Militar, que se utilizou de balas de borracha e gás lacrimogêneo para conter os manifestantes, ferindo inclusive pessoas que não estavam envolvidas no protesto. O Movimento Passe Livre reivindica por transporte público gratuito e de qualidade.

A repórter Giuliana Vallone, da Folha de S.Paulo, foi atingid ano olho por bala de borracha disparada pela PM - Foto: Diego Zanchetta/Estadão
A repórter Giuliana Vallone, da Folha de S.Paulo, foi atingida no olho por bala de borracha disparada pela PM – Foto: Diego Zanchetta/Estadão

No dia 6 de junho, primeiro dia de protestos, 30 pessoas ficaram feridas pela ação da polícia pela não obstrução da avenida Paulista. Sete jornalistas da Folha de São Paulo foram atingidos por spray de pimenta e feridos por balas de borracha, enquanto cobriam as manifestações. Um repórter da Carta Capital foi detido por posse de vinagre.

No Rio de Janeiro, milhares de manifestantes tomaram o centro da cidade, tendo mais de 68 mil pessoas confirmado presença na manifestação pelas redes sociais. O movimento iniciou-se, como em São Paulo e outras capitais brasileiras, motivado pelo aumento das passagens de ônibus, ampliando-se para reivindicar melhorias na educação, na saúde e contra os gastos voltados para a realização da Copa.

Um grupo organizou-se em protesto nos arredores do estádio Maracanã ontem, 16, com gritos de guerra como “se a passagem não baixar, a roleta eu vou pular” e “Eduardo Paes, cadê você, cadê você?”

Brigadeiro Faria de Lima, São Paulo. Foto: Juca Varella/ Folha Press
Brigadeiro Faria de Lima, São Paulo. Foto: Juca Varella/ Folha Press

Foram convocadas a participar dos manifestos pelo menos 177 cidades brasileiras. No exterior, brasileiros se mobilizam em pelo menos 44 cidades, tendo ao menos cinco dessas cidades já registrado manifestações: Berlim (Alemanha), Dublin (Irlanda), Montreal (Canadá), Boston (Estados Unidos) e San Diego (EUA).

Por meio de passeatas, dos cartazes, dos coros e das mensagens, vídeos e imagens compartilhados nas redes sociais, o movimento vai gradativamente ganhando mais corpo, convertendo-se em grito robusto. É o gigante que desperta, é o filho que não foge à luta.

A revolução iluminou a Terra da Luz

Manifestação Fortaleza Apavorada. Foto: Hayanne Narlla.
Manifestação Fortaleza Apavorada. Foto: Hayanne Narlla.

Em Fortaleza, as manifestações foram iniciadas na última quinta-feira, 13, com a caminhada proposta pelo movimento Fortaleza Apavoradagrupo apartidário que ganhou força nas redes sociais reunindo fortalezenses insatisfeitos com os elevados níveis de violência da cidade e dispostos a lutar por mais segurança.

A caminhada, que teve como ponto de concentração o Palácio da Abolição, sede do governo do estado do Ceará, e prosseguiu até a Av. Beira Mar, reuniu mais de 2 mil pessoas, direta ou indiretamente atingidas pela violência da capital. O evento parece ter servido também como ponto de partida para diversos outros atos: há sete manifestações político-ideológicas agendadas para esta semana em Fortaleza.

Manifestação em Fortaleza. Foto: Sara Maia
Manifestação em Fortaleza. Foto: Sara Maia

Nesta segunda-feira, 17, aconteceu na Gentilândia, às 16h, o Ato Anticapitalista de Repúdio à Repressão Policial do Estado – um protesto contra a violência da polícia e sua atuação antidemocrática na repressão de manifestantes. Neste mesmo dia, aconteceu também, no Bosque das Letras, no Centro de Humanidades da UFC (CH1), às 18h, a plenária geral de preparação para o Ato Nacional em Defesa do Transporte Público, que clamará, entre outras reivindicações afins, pela gratuidade e confecção imediata das carteirinhas de estudante de 2013. O ato em si está programado para ocorrer nesta quinta-feira (20), no IFCE.

Na quarta-feira (19), ocorre na Arena Castelão a manifestação + Pão – Circo / Copa pra Quem?! , ato pacífico, também apartidário, em repúdio à Copa do Mundo, com concentração marcada para 10h no pátio do supermercado Makro (na Av. Alberto Craveiro) e saída para o Castelão programada para o meio-dia. O cerne do protesto recai sobre os gastos excessivos do governo com a Copa do Mundo, em contraposição à visível carência do país em setores básicos como educação, saúde e transporte público.

Avenida Domingos Olímpio, Fortaleza. Foto: Divulgação
Avenida Domingos Olímpio, Fortaleza. Foto: Divulgação

Para o mesmo dia, está planejado o ato Brasil x México – Todos de Preto, voltado para aqueles que já compraram ingresso para o jogo. A ideia da manifestação é incentivar os torcedores que vão ao estádio a usar preto, pintar as mãos de vermelho e, se possível, levar cartazes, de modo a causar impacto nas redes de televisão durante a transmissão do jogo.

Na sexta-feira, 21, acontece no Teatro do Centro Dragão do Mar, às 16h, o ato Operação Educação 10, visando a uma conscientização quanto à necessidade de investimentos significativos no ensino público de modo a tornar a educação uma prioridade nacional. No sábado, 22, por fim, ocorre a I Caminhada Ceará Pede Paz, com saída programada para as 16h, da Av. Beira Mar.

Texto: Janine Nogueira e Lia Martins

Confira a galeria das manifestações nas principais cidades brasileiras

Este slideshow necessita de JavaScript.