Motivação incentiva aprendizado

Foto: Maria Navarro
Foto: Maria Navarro

A Universidade de Fortaleza tem como um dos seus objetivos acadêmicos o incentivo de metodologias pedagógicas que aproximem alunos e professores. A Supervisão de Monitoria e o Programa Tutorial Acadêmico do Centro de Ciências Jurídicas, Centro de Ciências da Saúde e Centro de Ciências da Comunicação e Gestão oferecem aos alunos os Grupos de Estudo Dirigido (GED).

A responsabilidade de gerir o grupo fica sob o dever de um estudante, que controla a frequência e organiza as atividades, principalmente as práticas, sempre de acordo com o que a disciplina exige. A relação entre monitor e professor é essencial para o sucesso do GED. Eles incentivam os alunos a comparecerem à atividade extracurricular, criando assim, um espaço para debates, auxiliando os conteúdos vistos em sala de aula.

“O GED tem o papel da gente poder passar o que aprendemos no curso para os alunos. Podemos fazer coisas mais avançadas para que eles desenvolvam o que aprenderam em sala de aula”, declara Júlio Rodrigues monitor do Gincango, o grupo de estudos dirigidos da disciplina Introdução a Computação Gráfica.

Foto: Maria Navarro
Foto: Maria Navarro

Quando o aluno apresenta uma frequência assídua, ele recebe um certificado e créditos extras, podendo usá-lo na disciplina de atividades complementares. Os Grupos servem também para motivar os alunos a buscarem mais conhecimento. Todo estudante da Unifor pode frequentar qualquer Grupo de Estudo Dirigido, mesmo quando a disciplina não faça parte de sua grade curricular.

“A minha experiência foi de bom proveito. O grupo não tinha um plano especifico, era apenas complementar à aula. Reproduzimos os mesmos passos do processo com aplicações diferentes, como um reforço”, diz o aluno Olavo Oliveira, que frequentou o Gincango.

O nível de procura dos GEDs é oscilante, já que o período de maior busca são os que antecedem trabalhos e NPs. Atualmente, existem 28 GEDs formados pelo Centro de Comunicação e Gestão (CCG), além de outros grupos que são criados às vésperas das provas.

Elisberg Bessa, um dos coordenadores do GED. Foto: Pedro Vinícius
Elisberg Bessa, um dos coordenadores do GED. Foto: Pedro Vinícius

Há também a possibilidade dos representantes de turma criarem um Ged, se estiver de acordo com o professor da disciplina e com o apoio dos alunos. “Eu costumo dizer que não há Grupo de Estudo Dirigido forçado, pois os alunos procuram os grupos por vontade própria e isso é o diferencial para que o sucesso aconteça”, declara o Professor Elisberg. Ele ressalta, ainda, que outro fator para obter o êxito é a escolha de horários alternativos mais acessíveis para os alunos, como os intervalos entre as aulas.

Observa-se que os resultados são percebidos no acompanhamento das notas dos alunos, aparentemente, aqueles que entraram no GED apresentam um desempenho melhor que os outros.

“Esse semestre, a procura pelo grupo de estudo dirigido da cadeira de Introdução a Computação Gráfica foi maior. Em função disso, as turmas apresentaram boas surpresas, elas têm atendido às expectativas. Nós, professores da disciplina, estamos mais motivados pelos alunos responderem bem a este processo e com isso aplicamos trabalhos mais desafiadores”, assegura o professor Aderson Sampaio.

Para mais informações, os interessados devem se dirigir à sala Q1 ou ligar 34773081. Veja também a tabela abaixo que contém as disciplinas que ofertam Grupos de Estudos Dirigidos pelo CCG.

GED

Texto: Edinardo Coelho e Fernanda Façanha

Trabalho em grupo melhora currículo de alunos

Elisberg Bessa, um dos coordenadores do GED. Foto: Pedro Vinícius
Elisberg Bessa, um dos coordenadores do GED. Foto: Pedro Vinícius

Os coordenadores do Grupo de Estudo Dirigido (GED) vão iniciar, na próxima quinta-feira, 13, encontros para entregar os certificados dos alunos que participaram do projeto anteriormente, apresentar os futuros estudantes gestores, bem como ministrar palestras sobre liderança, gestão e planejamento.

Os grupos têm como propósito disponibilizar aos alunos atividades extraclasse, sobretudo, para desenvolver práticas acadêmicas de toda a teoria abordada em sala. Os estudos são coordenados por monitores, que se interessam em formar grupos com seus colegas para explanação mais aprofundada do conteúdo, e são orientados por professores do curso. “O aluno monitor se torna gestor do grupo de estudo, porque vai, sob a orientação do professor da disciplina, organizar as atividades com os seus colegas”, explica Elisberg Bessa, um dos professores coordenadores do GED.

O aluno gestor assina um termo de compromisso, tornando-se assim responsável por toda a organização do grupo de estudos, como listar a presença em cada encontro, registrar em forma de relatório as atividades desenvolvidas nos encontros e, inclusive, escolher o professor supervisor.

Os benefícios de participar de um grupo de estudos vão além da área acadêmica, pois, segundo Elisberg, “o estudante aperfeiçoa seu currículo, sua trajetória no ambiente acadêmico e fora dele, desenvolvendo técnicas de gestão, de liderança, de gestão de projetos. Por isso, essa prática é muito importante já que ele assume esse papel de liderança”. O GED ainda garante certificação, além de servir de créditos para a cadeira de Atividades Complementares.

Segue a programação detalhada dos encontros organizados pelo GED:

 I- Encontro – Data 13 de fevereiro – Manhã: Sala R30 – 9h ou Noite: Sala T32 – 20h30min (A escolha do horário fica a critério do aluno).

 Temáticas: – Entrega/Solicitação de certificados do Programa de Formação de Liderança 2013.2.

 – Apresentação das disciplinas contempladas pelo GED 2014.2.

 – Apresentação dos novos monitores.

 – Início do Programa de Formação de Liderança 2014.1.

 II- Encontro – Data 18 de fevereiro – Sala P12 – 19h.

 Temática: Projeto de vida acadêmica e profissional sob o contexto da liderança.

 III- Encontro – Data 13 de março – Sala P12 – 19h.

 Temática: Técnicas de liderança aplicadas nos desafios pessoal e profissional.

 IV- Encontro – Data 24 de abril – Sala P12 – 19h.

 Temática: Planejamento e gestão de carreira.

 V- Encontro- Data 15 de maio – Sala P12 – 19h.

 Temática: Apresentação das pesquisas de campo realizadas no decorrer do semestre.

Texto: Andrezza Albuquerque

Monitores comandam novos grupos de estudo

Grupo de Estudos em Tv Pública. Foto: Marina Duarte
Grupo de Estudos em Tv Pública. Foto: Marina Duarte

Um projeto que aproveita o perfil do monitor-aluno, estimulando a sua vocação natural, está sendo lançado, este mês, no Centro de Ciências da Comunicação e Gestão (CCG). É o GED, que significa Grupo de Estudo Dirigido. Na verdade, são 13 grupos de estudos de disciplinas variadas, que tomou inspiração no programa semelhante que existe no Centro de Ciências Jurídicas (CCJ). A Universidade de Fortaleza (Unifor) visa, com esta ação, a oferecer aos demais alunos mais oportunidades de assimilarem o que foi visto em sala de aula.

O objetivo dessa nova metodologia de aprendizagem é proporcionar mais possibilidades de interação entre o aluno e o professor, com mais diálogo em sala. O estudante pode usar seu tempo livre para fazer um horário extra classe. Ele vai continuar o seu aprendizado com um instrutor preparado para exercer a função de socializar o assunto visto em sala de aula com a turma, portanto, atuará como um complemento visto em sala de aula.

Para o monitor, por sua vez, é a oportunidade de exercer, na prática, o que ele vê em sala de aula com o professor da disciplina. “O objetivo do estudo dirigido é trazer segurança e liberdade para o monitor no sentido de lidar com a prática para, com isso, enfrentar o mercado de trabalho”, explica o professor responsável pelo GED, Elisberg Bessa.

Elisberg Bessa. Foto: Arquivo pessoal
Elisberg Bessa. Foto: Arquivo pessoal

O monitor da disciplina atua como um facilitador do conhecimento, recebendo as condenadas do professor responsável por orientá-lo em suas atividades, entretanto, ele é autorizado pelo seu orientador a fazer revisões do conteúdo visto em classe. Para o professor Bessa, o monitor neste projeto é visto como protagonista, onde se deposita nele a responsabilidade maior, porém o grupo não é considerado aula.

Esse novo trabalho acadêmico busca uma visão do praticante sobre o que foi ministrado em sala, tendo em vista mostrar uma outra metodologia e uma outra prática. Assim, o GED tem como proposta articular a opinião dos envolvidos e fazer com que eles possam expor seus conceitos e levar isso para dentro de sala de aula “Queremos obter com esse mais novo projeto o desenvolvimento de todos os envolvidos mas, para que isso aconteça, precisaremos do empenho de todos os interessados”, afirma Elisberg Bessa.

“O professor orientador tem como função dar subsídios ao monitor, e repassar atividades que possam haver uma dinâmica para os estudantes, portanto a turma não será algo de responsabilidade do professor”, assegura Bessa.

Grupos de Estudos Dirigido

– Jogos de Empresa
– Sistema de Gestão I
– Radiojornalismo
– Introdução à Contabilidade
– Custos e Formação
– Organização, Sistemas e Métodos
– Contabilidade de custos
– Introdução à Computação Gráfica
– Teoria do Audiovisual I
– Animação e Infografia
– Telejornalismo I
– Língua Portuguesa II
– Legislação Tributária

Texto: Gabriela Pereira