Cineclube estimula debate

logo cineclubeO professor Marcio Acselrad já é figura conhecida por grande parte dos graduandos da Unifor – principalmente daqueles que mais circulam pelos blocos de Jornalismo e Publicidade. Na direção do Cineclube há cerca de 10 anos, o docente pode ser visto, quase sempre, munido de chapéu e bom humor – quem sabe, coordenar o Laboratório de Estudos do Humor (Labgraça) tenha algo a ver com isso.

Quanto ao Cineclube, Acselrad conta que o intuito é “formação de plateia, estimular o pensamento crítico”. Como se trata de uma atividade de extensão, ou seja, não é preciso estar matriculado em nenhum curso para participar, não raro, integrantes e debatedores de outras praças e universidades acrescem os encontros. A característica agrega um viés democrático à atividade, que não requer inscrição prévia, e é gratuita.

Foto: Arquivo pessoal
Foto: Arquivo pessoal

Segundo Acselrad, nesses dez anos houve muitas mudanças no formato. “O projeto começou como uma provocação”, conta. A ideia da exibição de filmes fomentando debates já existia, mas ainda não havia engrenado. Apreciador da sétima arte, e vendo “cinema desde que se entende por gente”, o professor decidiu pegar para si, a tarefa.

Agora, as sessões integram a programação da TV Unifor. No início era bem diferente, o registro dos debates era feito de forma bem amadora, e já chegou a haver duas sessões por semana.

 E o formato atual?

A exibição dos filmes acontece todas as quintas-feiras, às 13h30, seguido de um debate que é registrado para a TV. A seleção da programação fílmica é bem livre. “A escolha é nossa. Debatedores, estudantes… todos são bem vindos a participar e sugerir”, diz Marcio.

Em parceria com o Centro de Ciências Jurídicas (CCJ), e coordenação do professor Felipe Barroso, uma vez por mês é o CCJ que escolhe o filme.

Confira a programação do mês de março, e participe também:

cineclube program

Texto: Manoela Cavalcanti

Palhaçada para receber congressistas

Trupe do Labgraça em ação no Mundo Unifor 2011. Foto: Thalyta Martins

A 35ª edição do Intercom, que este ano será realizada em Fortaleza de 3 a 7 de setembro, traz como recepção para os estudantes e congressistas, uma verdadeira palhaçada. Mas não será uma palhaçada qualquer. A “bagunça” será organizada pela Comissão Cultural do evento. Um dos integrantes e grande incentivador da ação é o professor Marcio Acselrad. Empolgado, o organizador já anuncia: “Vem coisa boa por aí”.

A comissão está preparando uma acolhida no melhor estilo cearense para os que estão chegando na Universidade de Fortaleza, para participar do Intercom 2012. E o Ceará costuma receber os hóspedes com humor, muito bom humor. “Vamos convocar a todos os interessados para participarem deste momento, que terá como tema a nossa forma de falar, de brincar e de agir, tudo aos moldes da figura do palhaço”, explica Acselrad.

O objetivo dessa recepção inusitada é mostrar que o humor pode estar atrelado a outros campos menos convencionais, como o campo acadêmico, por exemplo. Apresentar o humor em locais onde antes ele não era nem cogitado. E além disso, tentar mostrar para os participantes do congresso que o humor também é uma forma de comunicação. Com esse projeto espera-se poder mostrar que a comunicação pode se expandir de forma inusitada, porém, não menos eficiente.

O convite está aberto para todos. “Independente de serem ou não da comissão cultural. O importante é que o maior número de pessoas participem durante o evento”, convoca o professor.

O professor Márcio Acselrad além de lecionar na Universidade de Fortaleza, também é coordenador do Labgraça, um núcleo situado dentro da universidade, que estuda o humor e o riso nas suas mais diversas vertentes, buscando descobrir os mistérios desta intrigante característica humana: a capacidade de rir.

Texto: Vitória Matos
Orientação: Profa. Joana Dutra