Novo trabalho da cantora Apá Silvino reúne lirismo e suavidade

1457666_779348252078050_1196333699_n

Será lançado na próxima sexta-feira, 21, às 20h, na Livraria Cultura, o CD Sinal de Cais,da cantora cearense Apá Silvino. A artista, que já acumula 30 anos de carreira, três discos lançados, com colaborações de grandes nomes da música popular brasileira, como Fagner, Belchior e Milton Nascimento no seu repertório, fará uma noite de autógrafos acompanhada de um pocket show  do novo álbum.

O mais novo trabalho da cantora teve início em 2006, por meio de uma lista de discussão do site Yahoo, intitulada M-Música, em que se deu boa parte do processo criativo para o disco. O trabalho, que levou oito anos para ser finalizado, surgiu a partir de parcerias virtuais com outros artistas do meio musical de diversas regiões do país.

Sinal de Cais apresenta composições exclusivamente autorais, reunindo o lirismo, suavidade e charme feminino, que traz ao público cearense um porto de chegada para a música popular de qualidade, com canções que retratam o amor feliz, além de sentimentos íntimos do ser humano. A cantora explica que a sua relação com a música é simbiótica, sempre esteve presente em sua vida, desenvolvendo diversas aptidões na infância, como estudante de semiologia musical e piano. “Cantar é bom demais, fazer música é melhor ainda”, ressalta Apá Silvino.

Para marcar a temporada de lançamento do CD, nos dias 17 e 18 de maio de 2014, será realizado dois shows no Dragão do Mar de Arte e Cultura.

Serviço

Lançamento do disco “Sinal de Cais”

Data: 21 de março

Hora: 20 horas

Local: Livraria Cultura

Texto: Marcelo Tavares 

Emoção e literatura definem o evento de lançamento do livro de M. Monte

M. Monte. Foto: Thiago Gadelha
M. Monte. Foto: Thiago Gadelha

Ao chegar no Mambembe para o lançamento do livro 27 Páginas Antes de Dizer Teu Nome da escritora M. Monte, a primeira impressão que tive foi de um encontro entre amigos. Em um ambiente aconchegante e discreto, todos que estavam ali foram seduzidos pela música, iluminação indireta e grafites nas paredes.

O cerimonial foi marcado de surpresas para o público. Houve a apresentação do grupo Literalmente Falando que declamou poesias inspiradoras de Vinícius de Moraes, Carlos Drummond, Pablo Neruda, Carlos Augusto Lima e da própria autora. Após a apresentação, fui convidada por M. Monte para entrevistá-la ao vivo e na frente de todos.

Grupo Literalmente Falando. Foto: Thiago Gadelha
Grupo Literalmente Falando. Foto: Thiago Gadelha

No papel de entrevistadora, perguntei a autora como é ser personagem do seu próprio livro, que é uma característica presente em sua escrita. “Sempre me considerei um personagem. Nunca tive talento para artes cênicas ou pra desenhos de quadrinhos, essas coisas que geralmente você cria personagens e vai desenvolvendo as histórias. A diferença desse livro é que eu assumi, pela primeira vez escrevendo, o personagem ‘eu’ ”, argumentou ela.

Continuando a celebração, Priscila Baima, assessora da autora, apresentou de forma simples um livro tão intenso. “ ’27 Páginas Antes de Dizer Teu Nome’ conta uma história verbalizada por batimentos. Passa pela vida de três pessoas, faz evoluir quem antes amou de primeira e agora ama como derradeira e, ao mesmo tempo, como uma principiante”, declamou. Por fim, a autora agradeceu os diversos apoios que teve para a realização do lançamento, desde sua assessoria e organização até o local que sediou o evento.

Foto: Thiago Gadelha
Foto: Thiago Gadelha

Para o estudante de jornalismo Paulo André, o lançamento foi surpreendente. “Não esperava aquelas apresentações no início, pois o conhecimento que eu tinha sobre lançamentos de livros era só o autor autografando os livros. Então achei bem bacana, me lembrou uma técnica de teatro chamada de teatro intimista, que é quando a plateia fica bem próxima ao público, deixando o evento calmo e aconchegante”.

Todos podiam perceber que M. Monte irradiava felicidade. “Nesse primeiro evento tem sido incrível. É a realização do meu maior sonho. Escrever sou eu, então se eu não me tornasse isso eu nunca seria eu mesma, M. Monte”. Para ela, a presença de amigos, familiares e curiosos foi de extrema importância. “Eu não estou acreditando, isso é um sonho, não parece real, embora eu sei que é. Estou tentando assimilar tantas pessoas, tanto carinho, tanto sorriso, tanto encanto”.

Foto: Thiago Gadelha
Foto: Thiago Gadelha

Percebi que o que unia todos que estavam ali era, além de prestigiar a autora, o interesse e paixão pela literatura. A leitura de um livro implica, além de conhecimento, a imaginação, tornando cada um de nós pessoas criativas, sensíveis e autênticas, características da personalidade de M. Monte.

Texto: Fernanda Façanha

Pesquisadores lançam “Artes do Sentir”

Alessandra Oliveira que assina o artigo "Narrativas fotográficas de três jovens comunicadores". Foto: Marina Duarte.
Alessandra Oliveira que assina o artigo “Narrativas fotográficas de três jovens comunicadores”. Foto: Marina Duarte.

Nesta sexta será lançado o livro “Artes do Sentir”, que tem a professora e coordenadora do NIC, Alessandra Oliveira, como um dos autores. O evento acontecerá na cobertura do Centro de Convivência da Unifor, a partir das 18 h.

“Artes do Sentir” reúne 20 artigos de 36 pesquisadores e aborda diversas experiências, que refletem os processos de aprendizado, pesquisa e formação social. A obra é o terceiro volume da trilogia organizada por Ercília Maria Braga de Olinda, que lançou os outros dois títulos: “Artes do existir”, em 2008, e “Artes do Fazer”, em 2010.

A professora Alessandra Oliveira, que assina o artigo “Narrativas fotográficas de três jovens comunicadores”, conta que seu texto “é resultado de minha pesquisa de mestrado sobre o projeto Segura essa Onda”, um programa de rádio da ONG Catavento Comunicação e Educação. No artigo, Alessandra relata o trabalho de fotografia artesanal que fez com comunidades da periferia de Fortaleza.

No lançamento, aberto ao público, haverá apresentações artísticas, com destaque para a participação do ator e estudante de Belas Artes, Raffael Barroso, que irá interpretar sua peça “O Fim”.

SERVIÇO
Lançamento de “Artes do Sentir”
Onde? Cobertura do Centro de Convivência da Unifor
Quando? Hoje, 30 de novembro
Horário? 18 horas
Aberto ao público.

Texto: Lorena Cardoso 

“Lá sou amigo do rei”: Quando a vida de repórter vira pauta

Foto: Fabiane de Paula – Diário

Depois de enfrentar ditaduras, no Brasil e na Argentina; ser embaixador da Unesco; trabalhar em grandes jornais; produzir filmes; compor músicas; e conviver com personalidades históricas, como João Paulo II, Khrisnamurti, Yasser Arafat, Salvador Dali, Dilma Roussef, entre outras; o repórter Carlos Marques percebeu que sua história não era das mais comuns e resolveu transformá-la em livro. Uma síntese dessa vida cheia de aventuras foi apresentada na noite de ontem, quinta feira, 27, no auditório da Biblioteca da Unifor. O lançamento da autobiografia,”Lá sou amigo do rei”,  reuniu jornalistas, professores, estudantes e comunidade acadêmica.

A apresentação do livro e do autor foi feita pela diretora do Centro de Ciência Humanas, Erotilde Honório. “Esse cara não existe! Sua escrita é simples, irritantemente simples e completamente envolvente”. A diretora  emocionou o autor, que afirmou: “Só posso dizer muito obrigado”, e completou que sua apresentação, seu discurso, era dispensável, depois da fala de Erotilde Honório. A estudante de Jornalismo Clara Magalhães, que esteve no lançamento e adiquiriu o livro, contou que começou a leitura logo após o evento. “O livro é muito bom, principalmente para nós, jornalistas. É Bem humorado, divertido, bem ilustrado. Estou gostando muito.”

O lançamento também contou com a apresentação do músico Nonato Luiz, que interpretou algumas músicas compostas por Carlos Marques, entre canções de Luiz Gonzaga, Ari Barroso e Barden Powell. “Fiquei impressionada. Não é qualquer um que consegue fazer um som daqueles, juntando duas cordas do violão”, comentou Gisele Peixoto, aluna de Publicidade e Propaganda.

Texto: Lorena Cardoso

Lançamento do iPhone 5 mobiliza fãs de tecnologias

iPhone 5, lançamento da Apple. Foto: Divulgação

A Apple apresentou hoje, para o mundo, a nova geração de smartphones, o iPhone 5. O evento de lançamento aconteceu em São Francisco – Califórnia, às 14h (horário de Brasília) e teve a cobertura de diversos meios de comunicação de todo o mundo.

Informações que vazaram por meio de fabricantes de peças e fornecedores de acessórios afirmavam que o novo iPhone teria tela de 4 polegadas, conexão 4G (mais rápida, mas que não chegou no Brasil, ainda) e uma melhora no aspecto do consumo de bateria, o que foi confirmado no evento de lançamento. A sexta geração do iPhone chega 18% mais fino e 20% mais leve que a versão anterior, o iPhone 4S.

Como é de praxe, a empresa guardou segredo sobre o produto, mas muitas especulações e rumores sobre como será o smartphone saíram na internet durante os dois meses antes do lançamento.

Acompanhando ao vivo

O público criou grandes expectativas sobre esse lançamento e acompanhou o evento via transmissão online. A estudante Mariana Lima, que se diz fã da marca, é um exemplo disso: “Como sou fã dos produtos lançados pela Apple, principalmente a linha dos smartphones, tenho boas expectativas em conhecer as novas funcionalidades do iPhone 5, que vem prometendo grandes mudanças em relação aos aparelhos anteriores, principalmente no design e processador mais rápido. A marca surpreende bastante e, sem dúvidas, será um sucesso aqui no Brasil”, acredita.
A pré-venda está marcada para hoje, mas as distribuições nas lojas dos Estados Unidos devem acontecer a partir do dia 21 de setembro. Além do novo aparelho de smartphone, a Apple lançou o novo iPod nano e o iPad mini.

Luciano Farias, que trabalha com Marketing Digital justifica o sucesso da marca pela preocupação com o usuário. Um consumidor da Apple, Luciano tem iPhone, iPod, iPad e Macbook e afirma que dependendo da situação utiliza algum desses produtos. Perguntado se compraria o iPhone 5, ele reponde que não se interessa pelas novidades apresentados no smartphone, apenas o IOS6, o sistema operacional, que poderá ser aplicado às versões anteriores.

Texto: Louise Mezzedimi