[Foca Nessa] O amor na solidão da velhice

Foto: Marina Duarte
Foto: Marina Duarte

Um velho jornalista aposentado resolve contar suas aventuras sexuais em um livro de memórias. As “Memórias de minhas putas tristes”. Entretanto, a maior aventura não é sexual e acontece às vésperas de seus 90 anos, quando ele decide se presentear com uma noite de prazer com uma virgem.

A jovem com medo de sua primeira vez e sob efeito de calmantes, adormece. E o silêncio do sono é definitivo para encontro dos dois. O aspecto frágil da Menina, marcado pelos sofrimento dos seus 14 anos de vida miserável, encanta o jornalista, que passa a cuidar dela.

Apesar do título direto e frio, a obra remete ao amor da forma mais pura e intensa, sem medo do ridículo. A descoberta do amor por um ancião sem perspectivas de vida desperta nele o desejo de viver por mais cem anos. O livro é escrito com muita sensibilidade pelo vencedor do Prêmio Nobel de 1982, Gabriel García Márquez, que é considerado um dos mais importantes escritores do século XX. São 120 páginas de uma leitura rápida e envolvente.

No vídeo você pode conferir um trailer literário de “Memória de Minhas Putas Tristes” feito como trabalho de conclusão de curso por estudantes de Publicidade e Propaganda da Unileste (MG):

Leia mais:

  • Leite Derramado (2009) 

imagesNo mais recente livro de Chico Buarque, um outro homem de idade avançada conta sua trajetória, que passa pelas mudanças históricas do Brasil, desde o Império até os dias atuais. Na solidão de um leito de hospital ele faz reflexões com um tom de pessimismo sobre a vida, o amor e o país. O livro rendeu ao autor o Prêmio Jabuti em 2010 como melhor ficção do ano. A obra também está disponível na Biblioteca da Unifor.

Texto: Lorena Cardoso

[Foca Nessa] Algumas coisas são perfeitas do início ao fim

Foto: Lidiane Almeida

“Meu nome é Sam. Tenho onze anos. Coleciono histórias e fatos fantásticos. Tenho leucemia. Quando você estiver lendo isso, provavelmente já estarei morto.” Assim começa Como Viver Eternamente, primeiro livro da autora britânica Sally Nicholls.

Romance, mas também considerado auto-ajuda, a história já encanta desde a primeira página. Sam é uma criança que tem consciência da sua doença e, mesmo assim, não deixa de sonhar. Em suas visitas ao hospital, ele conhece Félix, um garoto de treze anos que tem câncer e anda numa cadeira de rodas, e os dois se tornam melhores amigos. O livro é escrito pelo próprio personagem, e é feito de listas de desejos a serem realizados, como bater um recorde mundial ou ser um adolescente comum.

Uma das “Perguntas Que Ninguém Responde”. Foto: Lidiane Almeida

Através do seu livro, “Perguntas Que Ninguém Responde”, Sam tentará descobrir respostas relacionadas à morte. Pode parecer triste, mas Como Viver Eternamente tem um ar leve e bem humorado. Os personagens sinceros, como a irmã mais nova de Sam, Bella, que fica com raiva porque ela tem que ir à escola e ele não; seu pai, que prefere evitar falar da doença do filho; e uma mãe amável, preocupada, que abandonou o emprego para cuidar da saúde de Sam.

Uma leitura que prende do início ao fim, podendo ser feita em poucas horas, fazendo o leitor chorar e rir. Em seu testamento, no final do livro, Sam escreve as coisas que ele quer que aconteçam após a sua morte. E é nesse clima que o livro faz as pessoas quererem ser mais como ele, sonhando e planejando, sem medo de que as coisas não sejam possíveis.

Texto: Lidiane Almeida

Destaque além dos livros

Este slideshow necessita de JavaScript.

Não só de livros é feita a Bienal, mas também pequenas atrações chamam a atenção dos visitantes. Banquinhas de mágicos em diversos pontos, caricaturas feitas em dois minutos, leituras de cordéis num palco exclusivo, vendas de fantoches, entre outros.

Os preços dos livros variam e as promoções enchem os olhos leitores, que podem comprar livros com apenas R$ 10,00 além de bancas de revistas, gibis e bíblias. Para aqueles que não conseguem encontrar os desejados exemplares novos, na Bienal também há stands de sebos, onde serão encontrados tanto livros semi-novos, quanto velhos, mas bem cuidados.

Texto e fotografia: Iara Sá e Lidiane Almeida

Livros em tamanho inusitado chamam a atenção dos leitores

As miniaturas conquistam o público na Bienal. Foto: Iara Sá
Na X Bienal Internacional do Livro do Ceará, que acontece no Centro de Eventos do Ceará até o dia 18 de novembro,  é possível encontrar livros de cores, tamanhos e formatos diferentes. O stand “Os Menores Livros do Mundo” segue literalmente o seu título e chama a atenção de quem passa devido aos minúsculos exemplares tanto de clássicos infanto juvenis, como O Pequeno Príncipe e Alice no País das Maravilhas, quanto de livros de signos, espíritos, entre outros. As obras possuem o conteúdo integral e, em média, fonte de tamanho 8.
Juliane Silva, atendente do stand, conta que as pessoas ficam impressionadas ao passarem por lá. “Elas se atraem por aquilo que é diferente, e aqui temos livros que cabem na palma da mão.” Para quem gosta de colecionar, também são vendidas estantes próprias para guardá-los. A vendedora conta ainda que a obra de Saint Exupery, O Pequeno Príncipe, está entre os mais vendidos.

Texto: Iara Sá e Lidiane Almeida
Colaboração: Suélen Ramos

[Foca Nessa] Leia mais nesse dia do livro

O Dia Nacional do Livro é comemorado em 29 de outubro, pois foi nesse dia, há pouco mais de dois séculos, que a Bibliteca Real Portuguesa foi transferida para o Brasil, em 1810, quando foi denominada Biblioteca Nacional.

Dizem que a leitura engrandece a alma,que traz plenitude,que faz bem ao intelecto. Mas também há quem diga que ler é uma atividade monótona. A verdade é que, quem não gosta de ler,provavelmente ainda não encontrou um (assunto) de livro de sua preferência. Pois existem estilos para todos os gostos: ficções, não-ficções,romances, narrativas de viagens, biografias e mais uma infinidade de temas.

Conversamos com algumas pessoas para saber que livros elas recomendam para o dia de hoje. Veja o que elas sugeriram:

Mariana Pontes, estudante de medicina

             “Muito além do nosso eu” é o título do livro, autoria de Miguel Nicolelis.
“A humanidade está prestes a cruzar mais uma fronteira do conhecimento em direção à compreensão do imenso poder do cérebro, um conhecimento que poderá ser aplicado com grande proveito nas áreas de saúde e tecnologia. Em Muito além do nosso eu, o premiado e internacionalmente reconhecido neurocientista brasileiro Miguel Nicolelis revela suas idéias revolucionárias sobre essa nova tecnologia. Ele nos explica como o cérebro cria o pensamento e a noção que o ser humano tem de si mesmo (o seu self) – e como isso pode ser incrementado com o auxílio de máquinas”. Acho que responde o motivo do meu interesse no livro!

Mateus Aragão, estudante de jornalismo

             “Transformando suor em ouro” – Bernardinho
O livro do Bernardinho é uma motivação não só para esporte, mas pra vida. As lições que você tira do livro são extremamente positivas, ele fala muito em como o trabalho duro leva ao sucesso, como o próprio nome do livro já diz.

                                   ”My Life” – Earvin “Magic” Johnson
O livro do Magic Johnson segue mais ou menos o mesmo padrão de lição. Um dos maiores jogadores de basquete de todos os tempos conta como, desde pequeno, o talento pra ele não era suficiente, o esforço e dedicação contam mais ainda, e, também, como um atleta pode perder a carreira num simples ato de desatenção, no caso dele, contraindo o vírus HIV.

Maria Luiza Raia, estudante do ensino médio                         

                    ”Os feios”, de Scott Westerfeld 
Eu gosto desse livro pois ele é uma ficção cientifica que faz meio que uma parodia dos padrões de beleza impostos pela sociedade. Ele fala de um mundo onde as pessoas esperam em “escolas” até terem 16 anos e passarem por uma cirurgia que muda todo o corpo e os deixa bonitos, depois todos vão morar na vila perfeita e vivem por um tempo só festejando e sendo felizes. Os que não querem passar pela cirurgia são ostracizados e tem que viver na floresta,bem bizarro! O incrível é que descobrem que na cirurgia alteram o cérebro da pessoa sem ela saber e ela fica meio sem vontade própria,a estória é brilhante.

Renan Martins ,estudante de sistema de Informações

O Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil,do Leandro Narloch, contém histórias e acontecimentos relacionados ao País contados de uma forma diferente a que se acredita e se convencionou. Verdades desagradáveis de ícones brasileiros são reveladas com fatos comprovados, declarações e provas concretas. O livro é muito bom; revela várias verdades que estavam ‘atrás das cortinas’, e que ninguém fazia questão de pesquisar a fundo. Porém, ao meu ver, existem alguns casos que o livro trata sem imparcialidade, mostrando uma forte opinião sobre o assunto, mas não ao ponto de me fazer desistir de terminar de ler o livro. Conclui que o livro é muito bom e pode ser recomendado para qualquer pessoa que deseja conhecer um pouco mais sobre o Brasil e suas histórias obscuras.

Marcio Acscerald, psicólogo e professor de comunicação

”Equador”

” Um romance do escritor português Miguel Sousa Tavares, muito bem escrito. Trata de assuntos da colonia da Ilha de São Tomé,que interessava à metrópole. Mostra a interculturalidade entre ingleses,portugueses e suas diferentes maneiras de ver o mundo.”

Texto: Lia Moreira