Mercado Central é opção de lazer também para o fortalezense

Foto: Divulgação

Você já ouviu falar do Mercado Central de Fortaleza? E uma visita até ele, você já fez? O mercado que já é um “vovô” da capital cearense, foi inaugurado em 1814 com o nome de “Cozinha do Povo”. E, após algumas séries de reformas, uma delas em 1975, o mercado foi restaurado e intitulado de “Mercado Central”. Porém, a grande reforma aconteceu na década de 1990, onde o espaço foi completamente reformulado, num projeto do arquiteto Luiz Fiúza e, surgiu, então, o novo “Mercado Central”.

O mercado agora representa um pólo de artesanato, não só em nível regional ou nacional, mas também internacional. Turistas do Brasil e do mundo sentem-se motivados a visitar este centro da cultura nordestina. Entre seus cinco pavimentos e quase 600 boxes, o mercado não conta somente com artesanato. Lá, você encontra um verdadeiro acervo de tudo que a bela cultura nordestina pode oferecer. Artigos em couro, rendas, bordados, camisetas, joias, além de peças para decoração. E como não falar dos produtos que atiçam e encantam o paladar de muitos turistas e dos nordestinos? Castanhas, cachaças, licores, doces das mais diversas frutas típicas da região, sem falar dos mais variados pratos típicos, preparados por muitos restaurantes dentro do mercado.

A diversidade de produtos é distribuída em um ambiente agradável e bem estruturado (o centro comercial conta com rampas que facilitam a acessibilidade) para receber os visitantes. O Mercado Central está situado na Av. Maestro Alberto Nepomuceno, 199, bem ao lado da Catedral Metropolitana de Fortaleza, a igreja da Sé, e em frente ao comando da 10ª Região Militar. É um lugar que merece uma visita, seja para apreciar toda a vasta riqueza cultural que ele carrega, seja simplesmente para tomar um café e apreciar o fim de tarde.

Texto: Vitória Matos.