Bazares de moda viram febre na cidade

Foto: Divulgação

Uma opção para quem gosta de fazer compras e se manter atualizado com as novidades do mundo da moda é visitar os bazares. Em Fortaleza acontecem muitos eventos desse tipo, que reúnem diversas marcas com preços especiais em um mesmo lugar. Os mais movimentados são o Bazar La Boutique, o Bazar das Blogueiras e o Bazar Fashion Music, que terá sua segunda edição nesse fim de semana e chega a reunir mais de 2500 pessoas por dia.

Mais do que descontos, os bazares oferecem atrativos como sorteios, música,entrada gratuita, serviços de alimentação, dentre outros. Alguns também colaboram com causas sociais, o La Boutique, que apoiou o Instituto de Câncer do Ceará (ICC). A presença de blogueiras é outra atração. Elas, que servem como referencias de moda, participam e dão dicas de estilo, fotografam com os visitantes, além de organizar o evento e divulgar nas redes sociais, como a estudante de moda e blogueira Edith Gomes.

Edith Gomes, blogueira, produz o Bazar Fashion Music, que terá a segunda edição nesse sábado.

Edith conta que já promovia seu bazar de roupas para as amigas, mas nunca se interessou de fazer em parceria com outras lojas, até que surgiu a ideia de organizar o Bazar Fashion Music. Ela se empolgou em produzir um evento que reúne música, desfile e outras atividades. “É um projeto novo, diferente, as pessoas não vão apenas em busca de preços baixos, mas pelo evento em si, para falar sobre moda, sobre as tendências, e assistir aos desfiles”, explica. Ela ainda afirma que o retorno do público é ótimo. “As pessoas vão, se interessam, compram. Na primeira edição, tivemos a presença de cerca de 2.500 pessoas e as lojas lucraram muito.” afirma.

Stefanie Cavalcante, estudante de arquitetura, conta que frequenta esses bazares. Porém, ela afirma que já comprou peças que apresentaram defeitos. “Em alguns casos que podem ser consertados facilmente, adicionando um zíper, por exemplo, portanto vale a pena” constata. Algo que também a incomoda é aglomeração de pessoas em disputa por peças. “Isso me causa mau estar, desconforto e não consigo fazer boas compras! Por isso evito fazer compras em lugares assim. Mas se o preço for algo imperdível, vale apena dar uma passada!”, conclui.

Jonatan Lucas é um dos homens que frequenta bazares de moda.

Os homens também marcam presença nos bazares. Eles estão quebrando preconceitos e o que antes poderia ser considerado uma atividade cansativa, acompanhar as mulheres as compras, se torna algo prazeroso e compensador. Jonatan Lucas, que estuda engenharia conta que quando tem tempo disponível vai dar uma conferida. Ele não se considera do tipo vaidoso, mas diz: “Quem nao gosta de se vestir bem e ter uma boa aparencia? Eu gosto. Vejo que a qualidade das roupas sao parecidas com as encontradas nas lojas e o preço bem inferior. E principalmente quando estamos um pouco sem dinheiro, eles caem como uma luva”, comenta sorrindo.

Serviço
Bazar Fashion Music
Data: 12 de maio
Hora: a partir das 13:00h
Local: Mucuripe Club
Entrada gratuita

Texto: Suelen Ramos

Moda na sua mão

Foto: Divulgação

Segundo a Revista Exame, desde 2010, a indústria de beleza vem crescendo em uma direção inesperada, os esmaltes passaram a ser mais adquiridos, com a nova diversidade de cores e tendências. Cada vez mais mulheres compram suas cores preferidas. Começou na Europa com os esmaltes foscos, uma moda que não pegou no Brasil, mas diante dos coloridos e chamativos fluor ou holográficos, as brasileiras enlouqueceram.

Em 2012, segundo blogs de moda, como Viciadas em Esmaltes, a nova moda são as unhas de pelúcia, caracterizada por pequenos pelinhos coloridos que aderem nas unhas, e unhas de caviar, que se utiliza do mesmo processo só que ao invés de pêlinhos são pequenos granulados. Não sabemos se essa moda vai pegar, mas as maiores empresas de esmaltes estão sempre lançando novas cores e coleções, remetendo desde Pecados Capitais, com esmaltes em tons vermelhos, a filmes de animações e animações dos anos 80, como a coleção Rio, em tons vibrantes e a coleção Penelope Charmosa, em tons rosas. Muitas empresas de cosméticos, como a Avon e a Boticário, lançaram esmaltes combinando com os batons da marca.

Conversamos com Dayane Araújo, fiel colecionadora de esmaltes, ela conta “Passei a comprar mais e mais esmates porque gostava de ter várias opções de tons, cores divertidas, para eu poder misturar e mudar quando quisesse. Dependendo de como eu me sinto a cor do esmalte reflete isso. Cores quentes, como vermelho, quando me sinto mais viva, para sair ou namorar, cores escuras, como preto, cinza ou marrom, quando estou na correria do trabalho e quero me mostrar mais séria e as cores claras e vivas como azul, rosa, quanto estou alegre”. Além disso ela comenta “Eu mesma corto, lixo, tiro a cutícula e pinto, o ato mesmo de ajeitar as unhas, para mim, é uma terapia”.

Além de inovar nas cores e tendências, os esmaltes são bem criativos nos nomes, alguns exemplos divertidos são: amor de verão, no escurinho do cinema, conchas peroladas, água viva, pôr-do-sol, azul pavão, sex appeal, desfecho, pés na areia, brilho da sereia, brilho vinil.

LabVLOG

Que a moda dos esmaltes tá pegando todos sabemos, mas as dicas das meninas do Núcleo Integrado de Comunicação (FAIL) você pode ver agora no primeiro Vlog do Labjor.

Texto: Bárbara Guerra

A cultura da renda

 Os historiadores não têm uma conclusão a cerca da origem da renda. Acredita-se que o berço dessa arte foram França, Itália e Egito. O que se sabe ao certo é que é uma arte muito antiga.

A nossa renda de bilros chegou ao Brasil através dos portugueses. Foram as mulheres açorianas que disseminaram essa arte por todo país, especialmente no litoral nordestino. As rendas estão presentes na moda feminina até os dias atuais. Sejam em estações mais quentes ou frias, elas sempre dão o ar da graça, mostrando sua beleza e charme retrô.  Desde sofisticados aos mais populares, a renda consegue atender a todos os estilos. A delicadeza desse trabalho que incorpora parte de nossa história colonial mantém-se presente até os dias de hoje em nossa forma de se expressar por meio da moda.

Fotos: Arquivo pessoal de Márcia Pessoa

Continue lendo “A cultura da renda”

A arte nas coleções da estilista Ticiana Sampaio

Foto: Divulgação
A palavra arte, de acordo com o professor do curso de Belas Artes da Unifor , Carlos Velazquez,  decorre do latim ars, que significa “arma” no sentido de ferramenta e seu correspondente grego é techné, cujo o significado é técnica. Assim, na antiguidade, entendia-se por arte o resultado de uma aplicação técnica, da utilização racional de ferramentas, ou seja, tudo aquilo que foi transformado pelos humanos e não se encontra no seu estado natural. Neste sentido estrito, a moda, é uma arte. Continue lendo “A arte nas coleções da estilista Ticiana Sampaio”

Moda e natureza de mãos dadas

Afinal, o que é isso?

A moda, na sua essência, cria peças e tendências. Mas o que anda acontecendo hoje no mundo da moda é sua união com a sustentabilidade. É com lixo reaproveitado, reciclando produtos e recriando peças que não tinham mais usos, que estilistas e estudantes de moda criam peças sustentáveis. E você, sabe o que isso significa sustentabilidade? Sustentabilidade está relacionada com a continuidade dos aspectos econômicos, sociais, culturais e ambientais da sociedade humana. Em outras palavras, é viver hoje, preservando e pensando no futuro.

E quem faz isso?

O grupo Lixúria, de estudantes do curso de Estilismo e Moda da UFC, transforma materiais recicláveis que iam para o lixo em arte. O grupo tem seis integrantes, Natássia Maia, Karine Matos, Mayrla Canasfístola, Laura Nefitale e Meiriane Nascimento, que participaram do Concurso Novos Talentos do Dragão Fashion Brasil. O concurso pedia que os concorrentes elaborassem apenas duas peças com materiais recicláveis, mas as meninas fizeram todas as oito peças da coleção com o material. Elas encantaram o público, pois conseguiram levar luxo, brilho e muita criatividade ao desfile.

Continue lendo “Moda e natureza de mãos dadas”