Paulo Henrique Amorim vem à Fortaleza para palestra gratuita

Jornalista Paulo Henrique Amorim

O jornalista Paulo Henrique Amorim estará em Fortaleza no próximo dia 18 para ministrar uma palestra que tem como tema, Mídia: Regulamentação e Democracia. O evento faz parte do Ciclo de Debates Nordeste VinteUm 2010, do Instituto Nordeste XXI. Para quem quiser ir assistir a entrada é gratuita e não é necessário realizar inscrição prévia.

O coordenador do curso de Jornalismo da Universidade de Fortaleza (Unifor), Wagner Borges, declara que o evento é importante para os estudantes de comunicação. “A participação nesta palestra será muito valida. Além do Paulo Henrique Amorim ser um grande jornalista o tema do evento é muito interessante e aborda pontos importantes”, ressalta.

O Instituto Nordeste afirma que o objetivo da palestra é contribuir para a consolidação e desenvolvimento da democracia no Brasil. O auditório onde acontecerá o evento tem capacidade para 800 pessoas, então quem for, é bom chegar cedo ao local.

Além da palestra, o jornalista Altamiro Borges, que foi responsável pela a entrevista do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a blogueiros de todo o País, fará uma apresentação sobre o Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé.

Outros eventos para “apimentar a discussão”

O Instituto informou que estão programados para este ano outros eventos que darão segmento a palestra que será realizada no dia de 18 de fevereiro. No final de março acontecerá o 1º Congresso Internacional sobre Ética da Comunicação, em Sevilha, na Espanha. Em abril, ocorrerá o Congresso sobre mudanças Estruturais no Jornalismo, em Brasília.

Serviço:
Ciclo de Debates Nordeste VinteUm / 2011
Realização: Instituto Nordeste XXI e UFC
Tema: Mídia: Regulação e Democracia
Palestrante: Paulo Henrique Amorim
Data: 18 de fevereiro
Horário: 19h
Local: Auditório da faculdade de Direito da UFC (Rua Meton de Alencar, s/n – Centro)
Entrada Franca

Texto: Deborah Milhome

“O caldeirão tá fervendo”

Foi com essa expressão que Carlos Bittencourt, sócio na agência Ipisilon, professor e coordenador do curso de Publicidade e Propaganda da Unifor, definiu o atual mercado publicitário nas mídias sociais, nesta manhã (22/11). Convidado para debater sobre o campo profissional na disciplina de Teoria da Comunicação, Bittencourt deixou bem claro que o estudante de Comunicação Social não pode se acomodar. A cada dia surgem novas ferramentas e novos mercados e se você [profissional] não enxergar isso rápido, outra pessoa vai enxergar”, alertou Bittencourt.
 

Carlos Bittencourt não imagina uma empresa que não tenha Twitter. / Foto: Wolney Batista

As favoritas do momento
Ao lado do Twitter, o Facebook é hoje tido como uma excelente plataforma publicitária. Campanhas simples e sem muitos gastos, rapidamente ganham repercussão.

Foi o caso do aplicativo “Bloqueia véio”, disponível no Orkut e Facebook, criado pela empresa de telefonia TIM, no qual pedia ao usuário do site que fizesse um simples teste de audição. Ao fim, mesmo o resultado sendo negativo, o internauta era solicitado a indicar mais 8 amigos, e se estes também respondessem o teste, ele ganharia um chip pré-pago com várias vantagens. A ideia foi vista com bons olhos por Bittencourt. “Achei genial. Eu queria ter feito essa campanha. Foi a mesma coisa que a loja de roupas de Fortaleza, Desconexo, fez e que, em pouco tempo, chegou a 6 mil pessoas”.  
 

A polêmica ação promocional da TIM, que atingiu 3 milhões de pessoas, é elogiada por Bittencourt. / Foto: Internet

Apesar do boom que as novas mídias tiveram nos últimos anos, o coordenador esclareceu que é impossível fazer uma boa campanha publicitária sem usar plataformas mais tradicionais. “Clientes mais jovens acreditam que podem resolver tudo nas novas mídias. Ainda não é assim”, esclarece Bittencourt, completando que apesar de o email ser coisa de “velho” ele ainda é usual.

Quando questionado sobre o que seria mais fácil: atingir uma grande massa ou um nicho, o coordenador foi incisivo:“se eu fosse ter que explicar pra todo mundo o que é Star Trek, por exemplo, perderia muito tempo. É mais fácil eu ir em um blog direcionado a série, descobrir uma pessoa, que ela vai me levar até os demais”.

O futuro dos impressos
Há muito tempo as publicações impressas passam por uma crise financeira, informou o publicitário. Com a chegada da Internet, principalmente, esses veículos precisaram se reinventar. A mais recente tentativa é na diagramação de suas páginas, que agora, tentam cada vez mais se aproximar da aparência virtual. “A revista conseguiu entender esse momento melhor do que o jornal”, disse Bittencourt, que citou como um fator importante a busca delas por públicos segmentados.

Texto de Wolney Batista

Jornalismo Político estimula debate na Unifor

 

Érico Firmo fala sobre a importancia do Twitter para o jornalismo./ Foto: Jocéilo Leal

O jornalista Érico Firmo é cético: “Mesmo quando gosta, ninguém elogia a cobertura política dos jornais”. Com essa frase, o Editor Adjunto do Núcleo de Conjuntura do Jornal O Povo iniciou a palestra que ministrou na Unifor, para os alunos da disciplina de Jornalismo Especializado, orientada pelo professor Jocélio Leal, na manhã desta terça (26). O jornalista, durante uma hora e meia, respondeu perguntas, esclareceu várias dúvidas dos estudantes e relatou o seu fascínio e as dificuldades de se cobrir política.

A evolução da tecnologia ocupou boa parte do tempo da palestra. Érico posicionou-se sobre o uso de mídias e sites de relacionamento como fontes de informação dos grandes jornais, principalmente o Twitter. “Dependendo de quem seja, de qual é a informação, você pode, sim, se pautar pelo Twitter. Mas acho que é algo bem difícil de acontecer”, salientou. Ele também relatou um famoso episódio, que aconteceu com uma colega de jornal, e que se transformou em reportagem, a partir de uma primeira informação postada por um político no microblog.

Avaliando os assuntos mais importantes do cenário político atual, Érico fez uma balanço do primeiro turno das eleições 2010. “Foi bem acirrado. É sempre um período de tensão, principalmente por conta das eleições locais”. O jornalista, ao analisar o andamento do segundo turno, confessou que vê esse período bem menos tumultuado. Para completar, deu sua opinião sobre o andamento das eleições para presidente: “Os debates estão muito rasos. Questões cruciais estão deixando de ser mencionadas pelos candidatos. Não há uma troca de idéias entre candidato e público”, afirmou.

Enquanto debatia com os alunos, Érico deu uma dica para quem aspira ser um jornalista político. “Passamos um ano inteiro no meio desse movimento, dessa confusão, cobrindo as prévias e acompanhando as eleições. Se você não gosta, não faz sentido ingressar na área de política. Apesar de tudo, me divirto com isso”, finalizou.

Texto de Raynna Benevides 

XV Semana de Psicologia da Unifor

 
Feira com livros ligados ao assunto também faz parte da XV Semana. Foto: Luiza Costa

A XV Semana de Psicologia da Unifor vai até 8 de outubro. Com o tema “Psicologia: O que há de novo? Pensando os desdobramentos de ser psicólogo”. A abertura do evento aconteceu no dia 5 de outubro, no Teatro Celina Queiroz e teve palestras sobre transtornos de ansiedade, de humor e de personalidade.

O evento conta com palestras, documentários, feira de livros e minicursos sobre psicanálise. Segundo o vendedor de livros, Adriano Fernandes, os preços variam entre 10,00 a 15,00 reais(edições antigas) e 25,00 a 70,00 os livros atuais.
 
Para participar, basta se cadastrar no hall do bloco T. São vinte vagas para cada atividade. Os certificados só serão emitidos com a participação mínima em 1 minicurso, 4 palestras e 3 documentários. Aproveite!

 

Texto de Andréa Nunes

Cultura de Quinta debate Marketing Político amanhã

 

Foto: divulgação

O Cultura de Quinta acontecerá amanhã, no horário EF (11h às 13h) onde o tema que será debatido é “Marketing Politico”. Em sua terceira edição, sendo o primeiro deste semestre, será realizado no bloco P, sala 02, na Unifor. Foram convidados para participar do debate o jornalista do Diário do Nordeste, Inácio Aguiar; o diretor de criação e redator da agência de publicidade LS Estratégia, Luís Santos; e o jornalista do jornal O Povo, Érico Firmo. A inscrição é gratuita e deve ser feita pelo email do pelo Núcleo Integrado de Comunicação (NIC).

O evento é promovido pelo NIC, por meio da Central de Eventos, sempre na última quinta-feira de cada mês. Este semestre, porém, houve uma adiamento, e este é primeiro.

Liana Ibiapina e Ana Beatriz Oliveira, que trabalham na Central de Eventos, informaram que o objetivo do projeto é trazer profissionais da Comunicação Social para conversar com os aulos sobre assuntos que são visto em sala de aula. “Esse momento é importante para os alunos, pois podem aprender como as coisas acontecem na prática. Alguns assuntos quando vão ser praticados ficam diferentes da teoria”, comentou Liana.

Um dos focos do debate de amanhã será : “O poder que o marketing tem para eleger um candidato”, além de também conversarem sobre o resultado do 1º turno da eleição.

Serviço
Inscrições – eventos.nic@gmail.com
 

Texto de Deborah Milhome