[Ensaio] No barco

Escambo contemporâneo? Foto: Pedro Cela
Escambo contemporâneo? Foto: Pedro Cela

São cinco dias de viagem rio acima. Percorremos 1.600km passando por onze cidades para abastecer o barco com vários produtos a serem levados até Manaus. O barco não é preparado para turismo. É o transporte semanal das pessoas que moram em cidades  à beira do Rio Amazonas. Então, durante esses cinco dias convivi com “o pessoal de lá” dormindo em redes apertadas e comendo quentinhas caseiras de carne ou frango.

Entre o que mais me chamou atenção na viagem estão as crianças ribeirinhas. Meninos e meninas e o seu trabalho. De certa forma um trabalho que se transforma em brincadeira e intercâmbio cultural para estas crianças que moram ali à beira do  Amazonas.

Os jovens habitantes das margens do Rio, em pequenas canoas, remam até o barco pra vender frutas, camarões, vegetais e outros produtos “da terra” para a tripulação do barco. Com uma parte do dinheiro da venda compram um pouco do sabor do “mundo de fora” (chiclete, biscoito, coca cola) e com olhares, conversas com pessoal da cidade, instigam a curiosidade.

O que estes meninos tiram do trabalho? O que este trabalho tira deles? No barco, os meninos observam de onde normalmente eles são observados. E me pergunto, o que será que esses meninos pensam de si próprios ao observar “o seu lugar”. Não deu para responder no dia… Fico com a pergunta na cabeça.  Quem sabe um dia eu volte lá pra descobrir.

Texto: Pedro Cela

O ensaio de hoje foi produzido pelo 202b, um grupo dedicado a desenvolver um trabalho autoral independente, usando o universo das artes visuais e transitando em linguagens como vídeo, fotografia, pintura e desenho. Confira a galeria:

[Ensaio] Esquinas

A esquina que virou uma feira. Foto: Pedro Cela
A esquina que virou uma feira. Foto: Pedro Cela

O ensaio de hoje traz o trabalho do fotógrafo Pedro Cela, do grupo 202B. Todas as imagens são de esquinas em quatro cidades brasileiras: Sobral, Fortaleza, São Luís e Manaus. As fotografias foram tiradas durante uma viagem de pré-produção para um projeto do fotógrafo.

A esquina é o encontro de caminhos. Há esquinas em que as pessoas apenas se cruzam, mas, há esquinas que elas param. Param para que? Para observar e ser observado, para encontrar e ser encontrado, para montar uma barraquinha e vender espetinho com cerveja, ou simplesmente para conversar e comer espetinho com cerveja. Existem, todavia, esquinas tão abandonadas que o lixo marca presença.

Texto: Pedro Cela

Este slideshow necessita de JavaScript.