[Ensaio] Personal trainer de pessoas com deficiência

Este slideshow necessita de JavaScript.

O estudante de Jornalismo da Universidade de Fortaleza, Farley Aguiar, é o autor das fotos do ensaio dessa semana. Vicente Cristino, personal trainer para pessoas com deficiência, convidou Farley para acompanhar e fotografar seu trabalho e o de seus monitores na Unifor. Habilitando e reabilitando paraplégicos, deficientes visuais, amputados etc, o professor presta atendimento a mais de 12 anos na piscina da Universidade.

Com o olhar apurado, Farley Aguiar captou a beleza e a importância do trabalho do professor Vicente. Esse ensaio é apenas uma pequena seleção das excelentes fotos tiradas na ocasião.

Texto: Thalyta Martins
(thalytamartins@edu.unifor.br)
Orientação: Prof. Júlio Alcântara 

Professores na expectativa da Corrida Unifor

Para aliviar o estresse das salas de aula, professores já estão se preparando para a 20º Corrida da Unifor, que será realizada no próximo dia 11/12, às 07 da manhã. A corrida conta com 10km de extensão e é reconhecida oficialmente como prova classe A.

Professora e corredora Janayde Gonçalves/ Foto: arquivo pessoal

Para a professora do curso de Jornalismo, Janayde Gonçalves, as corridas de rua são uma forma de ocupar o espaço público de maneira simpática e humana, sendo uma maneira coletiva de cuidar da saúde e utilizar a própria energia do corpo para locomoção, ao invés de permanecer parado no trânsito. “É divertido também. Vejo os colegas, alunos, professores, amigos, educadores físicos… Fora as pessoas que vão fantasiadas”.

Continue lendo “Professores na expectativa da Corrida Unifor”

[Artigo] É feriado nas universidades, mas não há motivo para festa

15 de outubro, dia do professor/Foto: Thalyta Martins

A data, além de motivo de celebração, deve servir para a reflexão sobre a falta de atenção e respeito dedicados à classe pelos órgãos governamentais.

Tornou-se um desafio ser professor no Brasil. A remuneração baixa faz com que os profissionais tenham que se virar para viver bem, dividindo seu tempo entre várias escolas. A educação em segundo plano deixa os professores  desmotivados para ensinar e assim os alunos não têm interesse em aprender. O professor do curso de Jornalismo da Unifor, Alejandro Sepúlveda concorda que  os professores não recebem seu devido valor:

” Creio que o sentimento geral dos professores é que o profissional é pouco valorizado. Não é reconhecido e não é dada a ele a devida importância que deveria, diante dos grandes problemas que o país tem na educação”.

Continue lendo “[Artigo] É feriado nas universidades, mas não há motivo para festa”