Praticando a solidariedade

praticas

Criado há dois anos, o projeto Práticas (Projetos Realizados Através de Transformações Inovadoras Conjuntas de Atividades Sociais), tem como objetivo não só ajudar instituições de caridade, mas divulgar a solidariedade de uma forma geral para que todos, que por ele se interessarem, possam também participar. A iniciativa conta com a participação de todos da empresa júnior, Inova, que é exclusiva dos alunos dos cursos de Economia, Administração, Atuaria e Contabilidade, da Universidade Federal do Ceará. E teve como prioridade, formar um novo princípio na empresa, a responsabilidade social.

Cláudia Araújo é voluntária do projeto Práticas.
Cláudia Araújo é voluntária do projeto Práticas.

Este ano, o voluntariado acontecerá na Casa do Menor, São Miguel Arcanjo, que acolhe crianças e adolescentes que vivem em situação de risco. A voluntária, Cláudia Araújo, conta que, em busca de alimentos e outros tipos de recursos que a organização necessita para seu funcionamento, será feito no mês de dezembro, um Natal na instituição. E, em seguida, será realizado um evento de integração com os jovens, ocorrendo ações educativas e entrega de todos os materiais arrecadados.

Segundo Davi Frota, atual responsável pelo projeto, o plano funciona através de pesquisas em lares desfavorecidos, onde é procurado meios de auxílio para que, em seguida, seja traçado as ações e por fim a execução. “Traçamos metas realistas e inovadoras para nossas ações, sempre pensando em quem poderá nos ajudar e como”, explica. “Outra característica é que nós prezamos por total transparência para que consigamos passar credibilidade para quem colabora e para quem pensa em colaborar, pois sabemos que a vontade de ajudar não pode ser imposta a ninguém”, conclui.

A mobilização não é apenas feita por meio da mídia, mas também são realizadas visitas periódicas com ações educativas, doações e passeios, recebendo, até mesmo, apoio na área gerencial da própria instituição, pois de acordo com Davi Frota, o principal parceiro nessa ajuda, hoje, é a comunidade acadêmica, com quem se mantém mais contato.

Davi Frota responsável pelo projeto.
Davi Frota responsável pelo projeto.

Para Davi Frota, falar de solidariedade é falar de todos. “Temos percebido muito isso, pois ficamos surpresos com a aceitação do nosso projeto através das mídias. Por outro lado, essa aceitação não diminui nosso grande esforço em conseguir parceiros. Sabemos que estamos no caminho certo e a tendência é ajudar cada vez mais. A semente já foi plantada, então, só tende a crescer.”, conta com satisfação.

O projeto Práticas, ano passado, já ajudou instituições como a Casa do Menor, da Paróquia Senhor do Bonfim no bairro Monte Castelo, que tinha sido fechada há poucos meses, destruindo metade da instituição com falsas promessas de reformas, deixando crianças que visitavam a casa sem lugar para realizar qualquer tipo de atividade. “O mais gratificante, foi ver que todos os inovadores que participaram dos encontros sempre diziam ao final, que eram as crianças quem realmente nos ajudavam.”, relembra Davi.

Texto: Marina Freire

Maria Paula apoia projeto Flores do Bom Jardim

Maria Paula/Foto: Renata Monte

A atriz e escritora Maria Paula participou hoje do projeto realizado pela Unifor, Flores do Bom Jardim. Convidada para falar sobre seu livro “Liberdade Crônica”, contou também sobre sua vida e sua carreira.

O objetivo do projeto é promover cursos de capacitação em áreas profissionalizantes e cursos preparatórios para acesso ao ensino superior de qualidade. Ele aborda a mediação como mecanismo de solução de conflitos, de exercício dos direitos humanos e da capacidade empreendedora, visando inserir no mercado de trabalho mulheres residentes do bairro Bom Jardim, considerado o mais violento de Fortaleza.

“Nós enviávamos cartas à Lilia, em um projeto anterior, contando nossos sonhos e anseios. Ela nos ouviu e embarcou no projeto Flores do Bom Jardim. Em meio à realidade do nosso bairro, o projeto conseguiu elevar a auto estima das donas de casa nos dando oportunidade de aprender, fazer novas amizades e crescer como pessoa e ser social”, afirma Socorro Sena, aluna do projeto em técnica de secretariado.

As aulas acontecem semanalmente no bairro, onde são oferecidos os cursos de telemarketing, técnico em secretariado, auxiliar administrativo, corte e costura, cabeleireiro e cake design. Além de cursos preparatórios para o vestibular. “Acho uma iniciativa muito importante. Tenho a Maria Paula como referência de luta pelos seus objetivos, como ela cresceu e como tem coragem”, exaltou Rita Feitosa, flor do Bom Jardim.

O Projeto ”Flores do Bom Jardim”, idealizado pela Profª Lilia Sales, é desenvolvido na Universidade de Fortaleza, em parceria com Instituto de Mediação Brasil, Banco do Nordeste do Brasil, Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FUNCAP) e Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Revisão do papel da mulher

Caráter, afeto e atitude. Estas são as principais temáticas que giram em torno do livro Liberdade Crônica, compilação de histórias e crônicas. No livro, além de abordar certos aspectos ideológicos da sociedade, Maria Paula discute  o papel da mulher ao longo dos tempos e das diferentes facetas da feminilidade, foco da palestra idealizada pelo projeto.

Texto: Juliano de Medeiros, Letícia Lima, Pedro Motta, Renata Monte

Orientação: Profa. Janayde Gonçalves