Festival Internacional de Biografias atrai público variado

Show da banda Transacionais, encerramento do primeiro dia do Festival Internacional de Biografias. Foto: Priscila Baima
Show da banda Transacionais, encerramento do primeiro dia do Festival Internacional de Biografias. Foto: Priscila Baima

Na quinta-feira, 14 de Novembro, no Estoril, Praia de Iracema, iniciou-se o I Festival Internacional de Biografias, que contou com presenças ilustres e espaços para debater a produção biográfica na Literatura e Cinema, além de bandas musicais, DJs, e uma feira de livros, para lançamentos e exposições.

O Festival atraiu artistas e intelectuais de várias áreas, como Hortenha Glauce, que é arte-educadora, atriz, diretora de teatro e atualmente está envolvida com projetos educativos e culturais. O que trouxe Hortenha, que também já foi diretora do Grupo Mirante de Teatro da Universidade de Fortaleza, foi sua paixão por biografias. “Escolhi esse horário especialmente por conta da palestra de Fernando Morais, um biógrafo brilhante, que fez com que eu me apaixonasse por biografias a partir da de Olga Benário Prestes. Estou coordenando um projeto chamado Mercadores da Imaginação, uma biblioteca itinerante, que visita periferias e diverosos bairros, levando leitura para a população. Nada melhor que juntar a ideia da leitura, do projeto, com o Festival, que tem tudo a ver com o nosso trabalho atualmente”, relatou.

Prefeito Roberto Claudio. Foto: Maria Navarro
Prefeito Roberto Claudio. Foto: Maria Navarro

Os interessados puderam desfrutar de um ambiente agradável e próximo ao mar, para conversar sobre obras e escritores importantes. O evento, gratuito, permitiu o debate cultural na cidade. Para o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, “é importante que Fortaleza seja sede de um encontro nacional que traz biógrafos de grandes quilates. Temos os nossos próprios, como Lira Neto e muitos outros, mas também temos aqui Fernando Morais, dando a oportunidade do povo de ouví-los e dar suas opiniões a respeito desse cenário (…). O evento em si que é muito importante, por trazer acesso pessoal à esses biógrafos, conversar com eles, interagir com o debate que está acontecendo hoje à noite, ter acesso às suas obras, e ao mesmo tempo ter entretenimento do valor de Jorge Mautner e Jards Macalé, que é muito bacana. Fico muito feliz em saber que a minha cidade está recepcionando um evento dessa natureza”.

Fernando Morais. Foto: Lívia Carneiro
Fernando Morais. Foto: Lívia Carneiro

Para o próprio Fernando Morais, que, além de “Olga”, escreveu diversas outras biografias, como a de Assis Chateaubriand (“Chatô – O Rei do Brasil”), muito indicada para os cursos de Comunicação Social em diferentes Universidades, o convite para participar do evento foi ótimo. “O Festival seria importante em qualquer ocasião, mas ele adquire um significado especial pela coincidência de acontecer no meio dessa polêmica sobre biografias. Acho que não poderia haver um momento mais apropriado para tratar desse tema do que agora. É uma coincidência feliz, e a ameaça que paira sobre os livros não é só sobre as biografias, mas é sobre toda a produção de não-ficção no Brasil”, explicou ele, referindo-se à atual discussão sobre os direitos autorais e liberdade de expressão na Literatura, que afeta os biógrafos.

Reunindo o poeta popular ao mais cultuado escritor, o primeiro dia do I Festival Internacional de Biografias encerrou com o show da banda Transacionais, e segue com suas atividades até domingo, 17 de novembro.

Texto: Gustavo Nery

Estudantes se preparam para aderir ao bilhete único

Foto: Diário do Nordeste
Foto: Diário do Nordeste

Fortaleza terá, a partir do dia 15 junho, um novo sistema para o pagamento das passagens do transporte coletivo: o bilhete único. Para as pessoas que utilizam muitas conduções no dia, esse sistema pode beneficiá-los pois, com este método, pode-se utilizar das conduções por inúmeras vezes no intervalo de 2 horas, pagando apenas o valor de uma só passagem.

A medida foi uma das propostas de campanha do prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, que visa a uma redução de gastos para seus usuários. O cadastramento pode ser feito nos terminais de Fortaleza, Etufor, Sindiônibus e praças José de Alencar e Coração de Jesus,onde se localizam os locais de atendimento. Pelos sites http://www.fortaleza.ce.gov.br, http://www.sindionibus.com.br e http://www.vtefotaleza.com.br é possível fazer um pré-cadastro antes de procurar um dos postos de serviços. Para o cadastramento são necessários os seguintes documentos: CPF, RG e o comprovante de residência com o CEP .

João Alexandre. Foto: Arquivo pessoal
João Alexandre. Foto: Arquivo pessoal

O estudante João Alexandre pretende aderir ao bilhete, mas disse que não obteve informações o suficiente sobre como irá funcionar esse sistema, pois não viu esse tema nas mídias sociais, diz: “não tenho ainda ideia de quanto se pode economizar, a falta de informações pelas mídias sociais ainda não permitiu entender de forma satisfatória o funcionamento do cartão e se haverá limite de uso diário, mas fazendo uma média, acho que, por semana, se consegue economizar de 5 a 10%”.

Suyane Andrade. Foto: Arquivo pessoal
Suyane Andrade. Foto: Arquivo pessoal

Suyane Andrade relata que não irá utilizar do bilhete pois não usa com frequência o transporte público. “Então, não vou aderir por que, pra mim, não compensa, já que eu não utilizo muito os transportes públicos, mas é uma boa pra quem precisa pegar duas conduções pra ir a faculdade, por exemplo”, explica a estudante.

Mariane Dantas. Foto: Arquivo pessoal
Mariane Dantas. Foto: Arquivo pessoal

O fator redução de gastos é um dos quesitos que podem fazer esse sistema do bilhete ter uma grande adesão por parte dos usuários. Mariane Dantas relata que o bilhete lhe fará uma boa economia, com a novidade.“Eu vou aderir ao bilhete único, pois eu pego duas conduções para vir a faculdade e, com esse beneficio, além da economia, não vou precisar passar pelo terminal, o que diminuirá também o tempo do trajeto.Vou economizar, por semana,cerca de 11,00. É uma quantia significativa para nós estudantes”, contabiliza.

Fábio Gomes
Fábio Gomes

Já Fábio Gomes comenta que o sistema irá lhe proporcionar um certo conforto e segurança, pois não precisar mais conduzir o dinheiro da passagem. “É mais prático na hora de passar e evita andar com dinheiro. É uma boa opção na hora de usar o transporte público em Fortaleza, com essa insegurança nos transporte coletivos”, alerta.

Texto: Bruno Andrade

Segundo turno não agrada o eleitorado

Foto: Divulgação

Fortaleza decidirá, no segundo turno, entre o candidato apoiado pela atual prefeita Luizianne Lins e o apoiado pelo governador Cid Gomes, quem será seu futuro governante. Elmano de Freitas, do PT, ficou em primeiro lugar com 25,44% dos votos (318.262), enquanto Roberto Cláudio, PSB, ficou em segundo, com 23,32% (291.740). Mas a grande surpresa foi o candidato Heitor Férrer, do PDT, que conquistou um número de votos muito acima do que previam as pesquisas, perdendo apenas por uma diferença de aproximadamente 30 mil votos, ficando em terceiro lugar. Moroni Torgan, do partido Democratas (DEM), que liderava as pesquisas em quase toda a campanha, ficou como quarto colocado com 13,75%, seguido de Renato Roseno, do Psol, com 11,84%.

Conversamos com alguns eleitores sobre o resultado do primeiro turno das eleições, alguns afirmaram não que o resultado da votação foi previsível. “Era o que a maioria das pessoas esperava. Você vê a cidade do jeito que já está e imagina que não vai ter evolução nenhuma”, disse Lucas Memória, estudante de Jornalismo.

Andrea Lima e Élder Xavier, ambos funcionários de uma instituição de ensino, contam que, por não acompanharem as campanhas dos candidatos, nem seus debates televisionados, votaram em Elmano por ele ser apoiado pelo ex-Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva. Já para Aline Porto, estudante de Direito, “vence quem tem mais dinheiro. As pessoas não procuram saber a história dos concorrentes, se importando apenas com aqueles que mais investem na sua candidatura”. Ela acredita que seria importante uma maior dedicação à camada mais humilde da população, principalmente aqueles que recebem o Bolsa Família, porque eles acham que, se ocorrer a mudança do gestor, vão deixar de receber o benefício.

“A pesquisa influencia bastante na opinião dos eleitores, o que faz com que muitos deles mudem de lado no último momento. Ou seja, as regras, tanto de pesquisa, como de financiamento de campanha deveriam ser revistas”, argumenta o estudante de Engenharia Civil, Gilberto Sales. “A sociedade não está preparada, nem disposta a mudar”, lamenta Guilherme Lopes, estudante de Letras da Universidade Estadual do Ceará.

Para outros eleitores ouvidos,  o que parece é que as pessoas têm esperança que o vencedor surpreenda e faça uma boa gestão com mudanças que beneficiem a todos.

Texto: Lidiane Almeida e Marina Freire
Orientação: Prof. Alejandro Sepulveda